Drag Queens invadiram o centro de Joinville no sábado (8/12)

Drag Queens em performance no centro de Joinville (SC) - Foto de Rogério Souza Jr.

Projeto de capacitação e intervenções urbanas patrocinado pelo Simdec ocorreu no sábado. As Drag Queens visitaram o CDH (Centro de direitos Humanos), shopping, o Centro da cidade, e até o festival de balonismo.

Maquiagem colorida, cílios enormes, perucas volumosas, muita purpurina, alegria e descontração. Foi desta maneira que as participantes da segunda edição do projeto DiverCidade invadiram o Centro de Joinville, neste sábado para promover a cultura LGBT, na mais populosa cidade de Santa Catarina.

Montadas as Drag Queens foram às compras no shopping Mueller, conheceram a decoração de Natal do Centro da cidade e ainda tiveram um tempinho para participarem do festival de Balonismo, na Arena Joinville, e o CDH (Centro de Direitos Humanos) sempre interagindo com a comunidade.

“A atividade faz parte do Projeto do Simdec (Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura), e já está em sua segunda edição. A ideia é fomentar a diversidade cultural e de gênero por meio de intervenções urbanas”, explica o coordenador do DiverCidade, o jornalista e produtor cultural, Windson Prado.

Antes de realizar as intervenções o grupo passou por uma capacitação com as Drag Queens Lilica Ripilica, de Curitiba, e Céia Maravilha, de Itajaí. “As duas artistas estão há mais de 15 anos no mercado, e usaram toda esta bagagem para ministrar o Segundo Workshop para Drag Queens. Nesta edição, os temas abordados foram performances caricatas, produção de palco/show e stand-up Comedy”, conta o produtor cultural.

Para a Drag, Lilica Ripilica, a atividade contribui para a valorização do artista. “Nós somos atores performáticos, que com nosso trabalho transmitimos cultura e alegria ao público. Ir aos espaços públicos, interagir com a comunidade é uma forma de divulgar nossa arte e mais do que isso, promover a cultura, diminuindo o preconceito”, acredita.

Polly Lews, Drag Queen há mais de oito anos, nunca havia participado de uma capacitação como esta. Para ela, o projeto abre portas para a profissionalização. “A gente tem que aprender tudo sozinhas, maquiagem, interação com o público, como se portar no palco. Não há curso ou oficinas que nos ensine a ser uma Drag Queen, ou melhor, não havia”, brinca.

“Com o DiverCidade a gente pode se reciclar, para cada vez fazer um produto final melhor”, diz.Ainda durante as atividades, os participantes ganharam kits com perucas e adereços. Todo o evento foi filmado e fotografado e deve dar origem a uma exposição em 2013.

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

3 comentários em “Drag Queens invadiram o centro de Joinville no sábado (8/12)”

  1. Parabéns, Joinville está cada vez melhor, me orgulho de ter morado aí, atualmente moro em Curitiba mais faço questão de ir sempre ver estes artistas que transformam a cidade de Joinville em verdadeiro palco de sensações de atracões.

  2. Windson, amigo e colega de profissão, além de corajoso defensor e articulador das causas LGBT, culturais e afins, obrigado a você por mandar o material e comentar aqui neste humilde Blog, abraço!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.