Prêmio Elisabete Anderle – FCC abre inscrições

A Fundação Catarinense de Cultura (FCC) abriu as inscrições para o Prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura 2020. Nesta edição, o valor total é de R$ 5,6 milhões e serão contemplados 215 projetos culturais para proponentes de todas as regiões de Santa Catarina. Mais uma vez a premiação está dividida em três editais: Patrimônio e Paisagem Cultural, Artes Populares e Artes.

As inscrições são gratuitas e totalmente digitais, sem necessidade de impressão em papel ou custos com correios. A plataforma para inscrições é intuitiva e de fácil navegação. Os projetos poderão ser enviados até 23h59 do dia 16 de agosto de 2020.

:: Clique aqui para acessar a plataforma de inscrições

Os prêmios serão divididos entre as seis mesorregiões de Santa Catarina, assim, projetos de todas as regiões terão as mesmas oportunidades de ser contemplados.

Conheça as categorias

Patrimônio e Paisagem Cultural, com 61 prêmios nas seguintes categorias:

– Patrimônio Material

– Patrimônio Imaterial

– Museus

– Bibliotecas Públicas

Artes Populares, com 64 prêmios, nas seguintes categorias:

– Artes Circenses

– Culturas Populares e Diversidades

– Culturas Negras e Afro-Brasileiras

– Culturas dos Povos Indígenas

Artes, com 90 prêmios, nas seguintes categorias:

– Artes Visuais

– Dança

– Música

– Teatro

– Letras: Livro, Leitura e Literatura

Para tirar dúvidas

As dúvidas sobre o Prêmio Elisabete Anderle 2020 serão respondidas somente pelo Portal de Compras do Governo do Estado de Santa Catarina ou durante as apresentações virtuais do edital que serão realizadas ao longo do mês de julho. Serão disponibilizados ainda tutoriais com detalhamento do processo de inscrição e sobre o envio de dúvidas.

É importante ressaltar que para participar do Prêmio Elisabete Anderle 2020 é necessário fazer inscrição no Mapa Cultural de Santa Catarina, disponível no link http://mapacultural.sc.gov.br.

Arte é arma no enfrentamento à Covid-19 em Florianópolis (SC)

A semana começou mais colorida em Santo Antônio de Lisboa, em Florianópolis. Um grupo de artistas plásticos se uniu para conscientizar os moradores e visitantes sobre a importância do uso da máscara em tempos de pandemia. Com material reciclável, restos de madeira e tintas de todas as cores, os artesãos fizeram placas com mensagens sobre o uso dos EPI’s – Equipamentos de Proteção Individual e dizeres lembrando que o amanhã será melhor.

A presidente da Aartesal – Associação dos Artistas e Artesãos de Santo Antônio de Lisboa, Liliane Motta da Silveira, é a coordenadora deste movimento que está sendo chamado de “Superação Santo Antônio de Lisboa”, que também envolve a Amsal – Associação dos Moradores da praia, onde atua como diretora de Cultura. “Sentimos a necessidade de fazer alguma coisa, exercer a cidadania. Muitas pessoas estavam sem máscaras pelas ruas e pensamos em trabalhar com a consciência coletiva. Isto é empatia, se colocar no lugar do outro”, destacou. O grupo também montou pontos de distribuição de máscara. 

O movimento também tem a preocupação de manter a cultura do bairro pulsando. “Mudamos um pouco e começamos ações imediatas de atenção aos artesãos e artistas, ligados ao distrito e redondezas. Estamos fazendo ‘lives’ mostrando os produtos de cada um. Agora vamos começar uma vitrine ‘on line’. Neste momento, tão importante quanto o sustento é manter o artista vivo na sua essência. Não deixar que a chama criativa se extinga”, concluiu Liliane. 

Neste momento tão crucial para a humanidade, a arte e união dos artistas na conscientização só reafirma que nada somos sem solidariedade, arte e iniciativa. Interessados em conhecer, apoiar e divulgar esta iniciativa dos artistas deste lindo bairro histórico de Florianópolis pode fazer contato com Liliane – Liliane Motta da Silveira – 48 98852-3668. Juntos vamos vencer mais este desafio. Parabéns a este povo que deixa a vida mais leve em qualquer momento!

Simdec: última semana para inscrições!

Os interessados em inscrever projetos culturais no Simdec tem uma semana para isso. As inscrições on-line seguem até às 23h59 do dia 28 de julho. A entrega do projeto impresso, conforme descrito em edital, ocorre até às 17h do dia 29. Até a data de hoje (22/07), mais de 300 projetos já foram cadastrado no sistema on-line e a expectativa é que cerca de 400 projetos sejam inscritos nesta edição do Edital de Apoio à Cultura.

As pessoas que estão sentindo alguma dificuldade podem procurar a Fundação Cultural de Joinville. A equipe do Simdec está preparada para sanar dúvidas e auxiliar na inscrição dos projetos. A Fundação Cultural de Joinville funciona no terceiro andar do Centreventos Cau Hansen, das 8 às 17h. O telefone é (47) 3433-2190.

Neste ano, o valor destinado ao Simdec é de R$ 3.682.000,00, sendo o recolhimento de 2% da arrecadação do ISS e IPTU de 2012. Deste montante, R$ 1.104.000,00 vai para o Edital de Apoio à Cultura e outros R$ 1.841.000,00 para o Mecenato Municipal.

Serviço:

O quê: Inscrições Simdec

Quando: online até às 23h59 do dia 28 de julho – entrega de documentação até as 17h do dia 29 de julho

Onde: site fundacaocultural.joinville.sc.gov.br

Quanto: gratuito

Da PMJ

Juarez Machado volta à expor em Joinville após 20 anos

Juarez-Machado-tela-Depois de mais de 20 anos sem expor na cidade, o artista Juarez Machado volta a mostrar seus trabalhos em Joinville. A exposição “Soixante Dix” relativa aos 70 anos do artista, que já passou por Paris e Florianópolis, será aberta no dia 15 de julho, às 20 horas, nos Anexos 1 e 2 do Museu de Arte de Joinville. Os painéis, telas e esculturas foram criados em 2011 e demonstram fases importantes na vida artística de Juarez Machado.

“As obras brincam com fatos, momentos e coisas que aconteceram na vida do Juarez Machado”, diz Melina Mosimann, do Instituto Juarez Machado. “Nada do que está exposto é para venda, é para mostrar mesmo a mistura do que ele gosta, que é de brincar com as situações”, complementa. Toda exposição foi criada em 2011, ano em que o artista completou 70 anos. “São obras atuais, mas que contam a história dele”, informa.

O público que for conferir a exposição poderá conhecer um pouco mais sobre como o artista trabalha. Um atelier cenográfico será montado dentro dos anexos do Museu de Arte. “O cenário vai exibir bem como são é casa atelier em que ele vive”, destaca Melina.
A exposição Soixante Dix vai começar no dia 15 de julho, às 20 horas, no Museu de Arte de Joinville. A mostra ficará aberta para visitação até o dia 8 de setembro, de terça a sexta, das 9 às 17 horas. Aos sábados, domingos e feriados, das 12 às 18 horas. A entrada é gratuita

Serviço:
O quê: Soixante Dix, de Juarez Machado
Quando: abertura 15 de julho, às 20 horas
Visitação: de 16 de julho a 8 de setembro – terça a sexta, das 9 às 17 horas. Aos sábados, domingos e feriados, das 12 às 18 horas.
Quanto: gratuito

A poesia no Blog com Vinícius de Moraes – “A felicidade”

Essa poesia de Vinícius virou música, sambinha do bom, cantada por muitos da MPB. No ano quem que faria 100 anos, o Blog Palavra Livre vai publicar muitas produções do nosso poeta, começando por “A felicidade”, confiram, curtam:

“Tristeza não tem fim
Felicidade sim

A felicidade é como a pluma
Que o vento vai levando pelo ar
Voa tão leve
Mas tem a vida breve
Precisa que haja vento sem parar

A felicidade do pobre parece
A grande ilusão do carnaval
A gente trabalha o ano inteiro
Por um momento de sonho
Pra fazer a fantasia
De rei ou de pirata ou jardineira
Pra tudo se acabar na quarta-feira

Tristeza não tem fim
Felicidade sim

A felicidade é como a gota
De orvalho numa pétala de flor
Brilha tranqüila
Depois de leve oscila
E cai como uma lágrima de amor

A felicidade é uma coisa boa
E tão delicada também
Tem flores e amores
De todas as cores
Tem ninhos de passarinhos
Tudo de bom ela tem
E é por ela ser assim tão delicada
Que eu trato dela sempre muito bem

Tristeza não tem fim
Felicidade sim

A minha felicidade está sonhando
Nos olhos da minha namorada
É como esta noite, passando, passando
Em busca da madrugada
Falem baixo, por favor
Pra que ela acorde alegre com o dia
Oferecendo beijos de amor”

Drag Queens invadiram o centro de Joinville no sábado (8/12)

Drag Queens em performance no centro de Joinville (SC) - Foto de Rogério Souza Jr.

Projeto de capacitação e intervenções urbanas patrocinado pelo Simdec ocorreu no sábado. As Drag Queens visitaram o CDH (Centro de direitos Humanos), shopping, o Centro da cidade, e até o festival de balonismo.

Maquiagem colorida, cílios enormes, perucas volumosas, muita purpurina, alegria e descontração. Foi desta maneira que as participantes da segunda edição do projeto DiverCidade invadiram o Centro de Joinville, neste sábado para promover a cultura LGBT, na mais populosa cidade de Santa Catarina.

Montadas as Drag Queens foram às compras no shopping Mueller, conheceram a decoração de Natal do Centro da cidade e ainda tiveram um tempinho para participarem do festival de Balonismo, na Arena Joinville, e o CDH (Centro de Direitos Humanos) sempre interagindo com a comunidade.

“A atividade faz parte do Projeto do Simdec (Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura), e já está em sua segunda edição. A ideia é fomentar a diversidade cultural e de gênero por meio de intervenções urbanas”, explica o coordenador do DiverCidade, o jornalista e produtor cultural, Windson Prado.

Antes de realizar as intervenções o grupo passou por uma capacitação com as Drag Queens Lilica Ripilica, de Curitiba, e Céia Maravilha, de Itajaí. “As duas artistas estão há mais de 15 anos no mercado, e usaram toda esta bagagem para ministrar o Segundo Workshop para Drag Queens. Nesta edição, os temas abordados foram performances caricatas, produção de palco/show e stand-up Comedy”, conta o produtor cultural.

Para a Drag, Lilica Ripilica, a atividade contribui para a valorização do artista. “Nós somos atores performáticos, que com nosso trabalho transmitimos cultura e alegria ao público. Ir aos espaços públicos, interagir com a comunidade é uma forma de divulgar nossa arte e mais do que isso, promover a cultura, diminuindo o preconceito”, acredita.

Polly Lews, Drag Queen há mais de oito anos, nunca havia participado de uma capacitação como esta. Para ela, o projeto abre portas para a profissionalização. “A gente tem que aprender tudo sozinhas, maquiagem, interação com o público, como se portar no palco. Não há curso ou oficinas que nos ensine a ser uma Drag Queen, ou melhor, não havia”, brinca.

“Com o DiverCidade a gente pode se reciclar, para cada vez fazer um produto final melhor”, diz.Ainda durante as atividades, os participantes ganharam kits com perucas e adereços. Todo o evento foi filmado e fotografado e deve dar origem a uma exposição em 2013.

Banda Marcial dos Fuzileiros Navais do RJ em Joinville (SC) nesta quarta (12/12)

Banda dos Fuzileiros Navais na França - Crédito de Thiago Dias

Considerada uma das melhores e maiores do mundo, a Banda Marcial do Corpo de Fuzileiros Navais do Rio de Janeiro estará nesta quarta-feira (dia 12) se apresentando em Joinville. O evento começa às 20 horas no Centreventos Cau Hansen. O ingresso para o espetáculo é um litro de leite Longa Vida (caixinha) que deverá ser trocado na bilheteria do Centreventos, de segunda (10) à quarta (12), das 13h às 19 horas, ou então momentos antes do espetáculo.

Este espetáculo faz parte da programação cultural do Natal dos Sonhos de Joinville, organizado pela Prefeitura, CDL Joinville e entidades e instituições parceiras.

Banda
A banda, muito versátil no repertório, tem como diferencial a presença de gaitas escocesas entre os instrumentos musicais, além de bombos, taróis, caixas de guerra, surdos, pratos, pífaros, cornetas de primeira voz, cornetas de segunda voz e cornetas-baixo.

Ao todo, são 120 componentes, que se esmeram nas apresentações, inclusive executando evoluções perfeitas e complexas, que encantam o público e, particularmente, as crianças. Uniformes vistosos, sincronia de movimentos e repertório que dosa com equilíbrio clássicos militares, música internacional e música brasileira são a marca desta banda aclamada em vários países do mundo.

A Banda Marcial do Corpo de Fuzileiros Navais do Rio de Janeiro já marcou presença em eventos como a coroação da rainha Elisabeth II da Inglaterra, as comemorações cabralinas em Portugal e a abertura do desfile de 14 de julho em Paris, no Ano do Brasil na França, em 2009. Além disso, a Banda Marcial do Corpo de Fuzileiros Navais tem seu aquartelamento estabelecido na histórica Fortaleza de São José, construída em 1736, na Ilha das Cobras, recanto privilegiado da Baía da Guanabara.

SERVIÇO

O QUE – Apresentação da Banda Marcial do Corpo de Fuzileiros Navais do Rio de Janeiro, em Joinville

QUANDO – Quarta-feira, dia 12 de dezembro

HORÁRIO = 20 horas

ONDE = Centreventos Cau Hansen (avenida Beira Rio)

INGRESSO – Um litro de leite Longa Vida (caixinha) que deverá ser trocado na bilheteria do Centreventos, de segunda (10) à quarta (12), das 13h às 19 horas, ou então ou momentos antes do espetáculo.

Camerata Dona Francisca e Banda Dona Chica juntos em concertos em dezembro

Música brasileira. Este é o tema dos próximos concertos da Camerata Dona Francisca que acontecerão ainda em dezembro. No ano em que Luiz Gonzaga, ícone da música popular brasileira, completaria 100 anos de vida, este projeto quer mostrar que uma formação orquestral também pode fazer música brasileira na sua grande diversidade, desde baião, mourão, bossa nova, chegando até as representações mais atuais.

E para reforçar esta batida brasileira a Camerata Dona Francisca recebe a Banda Dona Chica para fazer parte destes concertos. A Banda Dona Chica é um grupo joinvilense que desde 2008 investe no trabalho autoral dentro da música brasileira. A banda lançou recentemente seu primeiro álbum e algumas das músicas estarão presentes nos concertos, revelando o resultado final deste encontro das “Franciscas”.

Direção Musical: Voldis E. Sprogis
Produção Cultural: Tobias Schroeder
Participação especial: Banda Dona Chica

Serviço:

02/12/12 (domingo) – 20h
Anfiteatro Bom Jesus/IELUSC
Rua Princesa Isabel, 438
Centro

03/12/12 (segunda-feira) – 20h
Anfiteatro Bom Jesus/IELUSC
Rua Princesa Isabel, 438
Centro

Ingressos à venda na Graves e Agudos (Shopping Cidade das Flores):

R$10,00 (inteira)

R$5,00 (meia)

A poesia no Blog com Carlos Drummond de Andrade – “Poema das sete faces”

Como é de praxe no Palavra  Livre, espalhar poesia de qualidade aos leitores vez ou outra, é necessário. Principalmente nas sextas-feiras… dia de reduzir a marcha, a pressão, o estresse, olhar a vida com outros olhos. A escolha de hoje vai para Carlos Drummond de Andrade, um dos nossos maiores escritores, poetas e cronistas. Confiram, curtam, compartilhem:

Quando nasci, um anjo torto
desses que vivem na sombra
disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida.

As casas espiam os homens
que correm atrás das mulheres.
A tarde talvez fosse azul,
não houvesse tantos desejos.

O bonde passa cheio de pernas:
pernas brancas pretas amarelas.
Para que tanta perna, meu Deus, pergunta meu coração.
Porém meus olhos
não perguntam nada.

O homem atrás do bigode
é sério, simples e forte.
Quase não conversa.
Tem poucos, raros amigos
o homem atrás dos óculos e do bigode.

Meu Deus, por que me abandonaste
se sabias que eu não era Deus
se sabias que eu era fraco.

Mundo mundo vasto mundo,
se eu me chamasse Raimundo
seria uma rima, não seria uma solução.
Mundo mundo vasto mundo,
mais vasto é meu coração.

Eu não devia te dizer
mas essa lua
mas esse conhaque
botam a gente comovido como o diabo”