Drag Queens invadiram o centro de Joinville no sábado (8/12)

Drag Queens em performance no centro de Joinville (SC) - Foto de Rogério Souza Jr.

Projeto de capacitação e intervenções urbanas patrocinado pelo Simdec ocorreu no sábado. As Drag Queens visitaram o CDH (Centro de direitos Humanos), shopping, o Centro da cidade, e até o festival de balonismo.

Maquiagem colorida, cílios enormes, perucas volumosas, muita purpurina, alegria e descontração. Foi desta maneira que as participantes da segunda edição do projeto DiverCidade invadiram o Centro de Joinville, neste sábado para promover a cultura LGBT, na mais populosa cidade de Santa Catarina.

Montadas as Drag Queens foram às compras no shopping Mueller, conheceram a decoração de Natal do Centro da cidade e ainda tiveram um tempinho para participarem do festival de Balonismo, na Arena Joinville, e o CDH (Centro de Direitos Humanos) sempre interagindo com a comunidade.

“A atividade faz parte do Projeto do Simdec (Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura), e já está em sua segunda edição. A ideia é fomentar a diversidade cultural e de gênero por meio de intervenções urbanas”, explica o coordenador do DiverCidade, o jornalista e produtor cultural, Windson Prado.

Antes de realizar as intervenções o grupo passou por uma capacitação com as Drag Queens Lilica Ripilica, de Curitiba, e Céia Maravilha, de Itajaí. “As duas artistas estão há mais de 15 anos no mercado, e usaram toda esta bagagem para ministrar o Segundo Workshop para Drag Queens. Nesta edição, os temas abordados foram performances caricatas, produção de palco/show e stand-up Comedy”, conta o produtor cultural.

Para a Drag, Lilica Ripilica, a atividade contribui para a valorização do artista. “Nós somos atores performáticos, que com nosso trabalho transmitimos cultura e alegria ao público. Ir aos espaços públicos, interagir com a comunidade é uma forma de divulgar nossa arte e mais do que isso, promover a cultura, diminuindo o preconceito”, acredita.

Polly Lews, Drag Queen há mais de oito anos, nunca havia participado de uma capacitação como esta. Para ela, o projeto abre portas para a profissionalização. “A gente tem que aprender tudo sozinhas, maquiagem, interação com o público, como se portar no palco. Não há curso ou oficinas que nos ensine a ser uma Drag Queen, ou melhor, não havia”, brinca.

“Com o DiverCidade a gente pode se reciclar, para cada vez fazer um produto final melhor”, diz.Ainda durante as atividades, os participantes ganharam kits com perucas e adereços. Todo o evento foi filmado e fotografado e deve dar origem a uma exposição em 2013.

Comunicação, cultura popular, teatro e circo se reúnem em Joinville (SC)

O calendário dos Fóruns Setoriais de Cultura, promovidos pelos conselheiros civis do Conselho Municipal de Política Cultural (CMPC-Jlle), prossegue até o final deste ano. No dia 21 de novembro, os conselheiros da sociedade civil, Iraci Seefeldt e Gleber Pieniz promovem o Fórum de Comunicação em Cultura. O encontro pretende reunir jornalistas, publicitários, relações públicas, designers, blogueiros, profissionais de marketing, estudantes, professores, pesquisadores, profissionais de fotografia e audiovisual, no Restaurante Ambrosia, das 19h às 21 horas.

Quem participar do encontro vai descobrir que trabalhar com cultura, além de interessante, pode ser um bom negócio. Em pauta também, o Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura (Simdec) e as possibilidades de atuação na área de comunicação, o Plano Municipal de Cultura, as prioridades e possibilidades das propostas para 2013/2014.

O Fórum de Cultura Popular, Diversidade e Identidade será realizado dentro da programação da 4ª Semana da Consciência Negra, no dia 24/11. O encontro ocorre na Casa da Vó Joaquina, no bairro Adhemar Garcia, às 16 horas.

No domingo (25/11), os agentes culturais, grupos e artistas da cidade estão convidados a participar do Fórum de Teatro e Circo. O encontro será realizado no Centro de Convenções Alfredo Salfer, na sala 4, às 16 horas. Além da apresentação do Plano Municipal de Cultura, do regimento e composição do Conselho Municipal de Política Cultural; a pauta vai dar andamento às recomendações do plano e finalização das metas, sugestão para encaminhamento das demandas: Edital Cultura pela Educação, novos equipamentos (Teatro Municipal), a participação de profissionais da área e Escola Circo. Encontro promovido pelos conselheiros civis Macelo de Mello e Kimberly Neves.

Serviço

O quê: Fórum de Comunicação em Cultura
Quando: quarta-feira (21/11), das 19h às 21h
Onde: Restaurante Ambrosia (Rua Tijucas, 386 – Saguaçu)
Quanto: Gratuito
Informações: (47) 9119.2442 com Iraci | 9949.4305 com Gleber

O quê: Fórum de Cultura Popular, Diversidade e Identidade
Quando: sábado (24/11), às 16h
Onde: Casa da Vó Joaquina (Rua Erivelton Martins, 669 – Adhemar Garcia)
Quanto: Gratuito
Informações: (47) 3426-6601

O quê: Fórum de Teatro e Circo
Quando: domingo (25/11), às 16h
Onde: Sala 4 – Centro de Convenções Alfredo Salfer (Av. José Vieira, 315 – Centreventos Cau Hansen)
Quanto: Gratuito
Informações: (47) 9173.9704 com Marcelo | 9655.0408 com Kimberly

CNTE lança campanha “Educação sem homofobia”

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) lançou a campanha “Educação sem homofobia” e disponibilizou um jornal mural sobre as atividades e discussões em torno da III Marcha de Combate à Homofobia, que acontecerá no dia 16 de maio, em Brasília (DF). A publicação ainda traz informações sobre o Dia Internacional de Combate à Homofobia, o PLC 122 e os avanços nas políticas de combate ao preconceito.

No mês de abril, o presidente da subsede Campos de Júlio do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT), Maurocir Silva, participou da reunião do Coletivo de Diversidade Sexual da CNTE, em Brasília (DF). O objetivo foi definir estratégias que serão feitas durante o mês de maio, que será marcado pela III Marcha Nacional Contra a Homofobia.

“É importante que esse tema seja debatido dentro das escolas, porque muitas pessoas ainda sofrem preconceito por sua orientação sexual. Todos precisam ter respeitado o direito de ir e vir. O Sintep/MT apoia ações feitas nas escolas para combater atos homofóbicos”, afirmou Maurocir Silva, que faz parte do Coletivo de Diversidade Sexual do sindicato.

Além do jornal mural sobre o combate à homofobia, outro encaminhamento da reunião em Brasília foi que as entidades filiadas à CNTE devem participar de audiência pública no Senado Federal, no dia 15 de maio, véspera da III Marcha Nacional Contra a Homofobia, para debater a questão.

Do Observatório Social