Crônica de um jovem talento: “Saudade”

Seu nome é Otavio Henrique Komar Hlenka. O conheci muito rapidamente em uma palestra que ministrei na Escola Estadual Arnaldo Moreira Douat, no bairro Costa e Silva, na cidade de Joinville (SC). Quando falava em sala de aula, antes de palestrar com mais duas turmas, e para todas em conjunto no auditório, percebi seu olhar atento lá no fundão.

O tema o agradou. Falei sobre jornalismo, comunicação de massas, a importância da leitura, da escrita, e nesta toada falei da nossa Associação das Letras, sediada em Joinville, mas com ação e abertura para o país e o mundo, fundada há pouco mais de três anos.

Mostrei que há caminhos sim para novos autores, sonhadores das palavras, maestros da rima, do encanto das histórias. Esparramei na sala a nossa força: sete mini antologias Letras da Confraria, duas antologias, a primeira edição de uma nova mini antologia Letras Associadas, e dois grandes encontros de escritores, já caminhando para o terceiro em novembro deste ano.

Creio que fisguei o Otavio, e ele veio ao diálogo. Via rede social Facebook, atamos amizade, e ele vai se associar à nossa luta pela literatura, participando e também escrevendo, quem sabe publicando um de seus textos em nossas antologias, iniciando a caminhada que tanto sonham os escritores: ver seu texto publicado em uma obra!

Mas ele fez ainda mais. Enviou-me sua crônica, “Saudades”, para que eu lesse e desse um parecer. Quem sou para tanto, sou apenas um escriba, um jornalista que cumpre seu destino que é provocar, informar, opinar, noticiar, denunciar, orientar. O estudante já sabe o caminho, e tem seu blog próprio – http: www.incrivelmundodeotavio.com.br, muito bacana, onde expõe seu talento, seus escritos… parabéns a ele! Me comprometi com ele a publicar seu texto aqui no Palavra Livre. Eis o texto para o crivo dos leitores deste Blog.

Façam com prazer e atenção esta leitura, e se possível comentem, curtam, compartilhem, pois Otavio, que rebatizei apenas de Otavio H. para o nome artístico, é uma daquelas pedras preciosas que encontramos onde já não temos tanta esperança de encontrar. E cada pessoa que conseguimos trazer à luz do conhecimento, da literatura, das artes, da batalha por paz, é uma vitória retumbante!

Com vocês, Otavio H. e sua crônica “Saudades”:

“Os entardeceres dos fins de primavera fazem falta. Minha família tomando o chimarrão na beira da calçada enquanto conversava. Falavam da vizinhança, do bairro, da cidade, ao observar os carros passando vagarosamente pelo logradouro, coberto por paralelepípedos.

O sol, suave, se escondia atrás do alto muro de cor bege e deixava com que a sombra refrescasse nossos corpos demasiadamente, trazendo arrepios de frio que acompanhavam o balançar das folhas de altas palmeiras, que mesmo distantes sofriam dos mesmos ventos que meus braços.

À medida que o sol se punha, a térmica ia se esvaziando, a erva-mate perdendo o sabor amargo, e logo todos resolviam entrar. Na cozinha já havia sido posto o desjejum que vovó fizera, com direito a pão, bolo, biscoito, doces… Tudo caseiro. No meu prato, morangos colhidos especialmente para mim, e acompanhados de um pequeno pires com açúcar, do jeito que sempre me agradou.       

E assim eram todos os anos. Viajávamos de carro centenas de quilômetros para encontrar toda a família na casa de vovó, e lá passar alguns dias, ou até uma semana. E estes eram os melhores dias das férias. Eu me apaixonava pela simplicidade daquilo tudo, ficava encantado, e tinha vontade de viver isso para sempre, a ponto de não me importar com as grandes viagens de férias que faria nas semanas seguintes, ao deixar a cidadezinha.

Há um tempo então, minha vontade fora realizada: Aqui estamos morando, na cidadezinha de meus avós. Eu os visito sempre, mas ainda fico vagando na espera de cessar minha saudade pelos antigos momentos. A térmica está aqui, em todos os entardeceres esvaziando na cuia a sua água, que tira o amargo da erva-mate, que amarga o paladar de toda a família reunida na calçada.

O sol se esconde, deixando a sombra nos atingir com seu vento gelado. E o desjejum caseiro de vovó nos espera na mesa de jantar, junto com meus morangos. Mas falta algo. Faltam os meus olhos de turista, que viam o comum como extraordinário.

Por Otavio Henrique Komar Hlenka, 2015 ( Saiba mais sobre ele em http://www.incrivelmundodeotavio.com.br)

Associação das Letras promove “Vivência Literária Poética” com Rubens da Cunha no próximo sábado (15) em Joinville (SC)

A Associação das Letras promove no próximo sábado – 15 de agosto – mais um evento de formação para escritores.

A Vivência Literária Poética será ministrada pelo professor doutor em literatura, Rubens da Cunha no Hotel Slaviero Slim que apoia culturalmente o evento, das 8:30 às 17:30 horas. As inscrições são limitadas.

Essa é a segunda edição da Vivência Literária. A primeira foi realizada em maio, também com Rubens da Cunha, mas teve como tema o conto e a crônica.

As inscrições estão abertas a todos que se interessem por literatura e tem investimento diferenciado para associados que estiverem em dia com suas mensalidade, que pagarão apenas R$ 15,00.

Demais interessados pagam R$ 30,00. Para se inscrever basta fazer o depósito na conta da Associação das Letras e preencher uma pequena ficha de inscrição, como segue:

Banco: Caixa Econômica Federal
Agência: 1897
Código: 003
Conta Corrente: 3812-7
Titular da Conta: Associação Confraria das Letras
CNPJ: 16.783.372/0001-71

NOME:
CIDADE:                                                                 ESTADO:
Profissão:
Associado:   (    )Sim             (      )Não
E-MAIL:
TELEFONES:

Observação: É preciso enviar o comprovante de pagamento, juntamente com a ficha de inscrição para o email: associacaodasletras@hotmail.com.br. Os telefones de contato para mais informações são (47) 9613-7451(TIM) e (47) 92717063 (Vivo).

Serviço:
O quê: Vivência Literária Poética com Rubens da Cunha
Quando: sábado, 15 de agosto, das 8:30 às 17:30 horas
Onde: Hotel Slaviero Slim – Rua Sete de Setembro, 40 – Centro de Joinville (SC)
Promoção: Associação das Letras – www.facebook.com/associacaodasletras
Inscrições: abertas até sexta-feira (14/8)
Valor: R$ 15 para associados em dia, e R$ 30 para demais interessados, depósito em conta e enviando dados pessoais e cópia depósito  pelo email associacaodasletras@hotmail.com.

Letras Associadas é o novo lançamento da Associação das Letras

Nova mini antologia terá formato de bolso e 160 páginas
Nova mini antologia terá formato de bolso e 160 páginas

Com nova denominação social e nova logomarca, a Associação das Letras lança no próximo sábado, 25 de julho às 17 horas no Museus de Arte de Joinville (MAJ) sua mais nova obra: a série mini antologia – Letras Associadas 1. Um sarau também marcará o momento de troca entre escritores e o público que irá prestigiar.

Fruto de um trabalho coletivo realizado há três anos, a obra é uma coletânea de contos, crônicas e poesias que tem a participação de 25 escritores membros da Associação das Letras. Até o mês de maio a entidade literária era conhecida como Associação Confraria das Letras.

Por decisão da maioria dos associados a mudança foi aprovada e uma nova logo também foi criada, buscando assim marcar fortemente a ação da Associação como promotora da literatura e leitura.

A mini antologia Letras Associadas tem outro diferencial em relação às obras anteriores produzidas e lançadas pela Associação das Letras. Agora vem em formato de bolso, para facilitar ao leitor o seu manuseio e leitura. Nesta obra o leitor poderá apreciar os escritos de: Alexandra Flávia, Ana Janete Pedri, Aron Gottfried Slutzky, Bernadéte Schatz Costa, Donald Malschitzky, Elizabeth A. C. M. Fontes, Hilton Görresen, João Bosco Strozzi, José Fernandes, José Klemann, Maria de Fátima Joaquim, Mariane Eggert de Figueiredo, Marinei Luiza V. Valcanaia, Marlete Cardoso, Milton Maciel, Onévio Zabot, Reinoldo João Corrêa, Rita de Cássia Alves, Romualdo Vicente de Ramos, Salustiano Souza, Silvio Vieira, Sônia Pillon, Stella Bousfield, Urda Alice Klueger, Valério Mattos.

Nova logomarca moderniza a imagem da Associação
Nova logomarca moderniza a imagem da Associação

A publicação cumpre o propósito da missão da Associação das Letras – “Fomentar o desenvolvimento literário, por meio da criação, produção e divulgação da literatura; o intercâmbio entre escritores e o incentivo à leitura”, segundo sua presidente Bernadéte Costa.

Ela destaca também o financiamento compartilhado entre a Associação e os escritores. “Todas as nossas obras tem essa marca, a divisão entre a entidade e seus escritores, que bancam 50% do valor. Assim já lançamos as sete mini antologias anteriores denominadas Letras da Confraria e duas antologias Saganossa”.

Serviço:
O quê: Lançamento Letras Associadas 1 – Nova série de mini antologias

Quando: 25 de julho (sábado)

Onde: Museu de Arte de Joinville

Hora: 17h

Poeta joinvilense volta a publicar após 16 anos

Capim estava há 16 anos sem publicar. Foto: ClicRBS
Capim estava há 16 anos sem publicar. Foto: ClicRBS

Já está pronto o novo livro do escritor joinvilense Valmir Capim Neitsch, que será lançado neste sábado – 4 de julho – às 20 horas no Nalo’s Pizzaria, localizada na rua Monsenhor Gercino, 2110 no Itaum, bairro da zona sul de Joinville (SC). A editora que assina o livro é a Areia, também joinvilense.

O quarto livro de Capim traz poesias inéditas escritas entre 2009 e 2015, com viés humanista, como define o próprio autor. O último livro do autor, Lavratura, foi lançado em 1999. De lá pra cá, Capim viveu uma espécie de ostracismo, dedicando-se entre outras coisas ao trabalho de diretor teatral da Oficina de Teatro da ADEJ – Associação dos Deficientes Físicos de Joinville.

Porém, desde 2009, voltou a escrever. “Ando numa fase obsessiva, não paro de escrever. Estou muito feliz com esse momento”, confessa, para concluir logo depois com largo sorriso: “Acho que me reencontrei, que encontrei o fio da meada”.

A referência é ao título do livro, chamado Carretel, cuja poesia homônima faz referência a uma antiga fábrica de linhas de Joinville. “Os personagens do poema, todos eles existiram, se aposentaram na empresa Linhas Correntes, que nós chamávamos de Carretel. Ela ficava onde hoje é esse supermercado grande aqui na Inácio Bastos. E apesar de toda dificuldade, explorações, havia muita poesia. Foi uma época muito marcante para mim e, tenho certeza que para cada um deles também”.

Capim considera a poesia, assim como a arte, uma tábua de salvação. “A função da poesia vai além da expressão, como a arte em geral, é a salvação da humanidade, é a expressão da alma. Se você pedir para eu definir o que é alma, eu diria que são as manifestações, as expressões que preconizam a ternura. Para mim, a arte é uma tábua de salvação”.

Serviço:
LANÇAMENTO DO LIVRO “CARRETEL”
https://www.facebook.com/events/844918615544312/
Sábado, 04 de julho, às 20h
Nalo’s Pizzaria (Rua Monsenhor Gercino, 2110, Itaum

Com “Vivência Literária”, Associação Confraria das Letras comemora três anos de atividades

Vivência LiteráriaDuas antologias. Sete mini antologias. Duas grandes edições do Encontro Catarinense de Escritores. Projetos como À Espera das Letras e Giro Literário em andamento. Mais de cinquenta associados.

Tudo isso em apenas três anos de atividades que serão completados no próximo dia 18 de maio. Esse é o breve resumo do que já realizou a Associação Confraria das Letras sediada em Joinville (SC), mas que conta entre seus membros com escritores e escritoras de todo o país.

Para marcar essa data, a nova diretoria comandada por Bernadéte Schatz Costa, preparou uma “Vivência Literária”, onde escritores, escritoras iniciantes ou não, professores e demais interessados poderão aprender as técnicas para escrever contos e crônicas.

Quem ministrará esse momento literário é o escritor Rubens da Cunha, professor de literatura e língua portuguesa, doutor em literatura pela UFSC (veja mais sobre ele logo abaixo).

A Vivência Literária – Conto e Crônica está marcada para o dia 23 de maio (sábado) das 8:30h às 17:30 horas no Hotel Slaviero Slim, centro de Joinville (SC), apoiador do projeto. Logo após haverá um coquetel de confraternização pelos três anos da Associação Confraria das Letras. As inscrições são limitadas e custam apenas R$ 15,00 para associados, e R$ 30,00 para não associados.

“Estamos todos felizes pelo que realizamos em apenas três anos, mas queremos mais. Por isso já realizaremos esta vivência literária que renderá frutos para a nossa próxima mini antologia, a oitava, que será lançada em julho”, destaca a presidente Bernadéte Schatz Costa.

A Associação tem ainda em seu calendário a realização de mais uma vivencia literária em agosto, lançamento da nona mini antologia em outubro, e a realização do III Encontro Catarinense de Escritores em novembro. Uma agenda cheia!

Rubens da Cunha será o comandante da Vivência Literária no próximo dia 23 de maio em Joinville (SC).
Rubens da Cunha será o comandante da Vivência Literária no próximo dia 23 de maio em Joinville (SC).

Quem é Rubens da Cunha?
Professor de Literatura e Língua Portuguesa. Doutor em Literatura na Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Graduado em Letras pela Universidade da Região de Joinville – Univille. Ministra oficinas de criação literária desde 2000. É coeditor da Revista Osiris – Revista de Literatura e Arte (www.revistaosiris.com.br) e da Revista Landa (www.revistalanda.ufsc.br).

Mantém o blog literário www.casadeparagens.blogspot.com. Atua como crítico de teatro e de literatura. Autor dos livros de poemas Campo Avesso – Editora Letra D´Água (2001), Casa de Paragens – Edufsc (2006) Vertebrais, Ed. Sintonia Comunicação (2008), Curral (no prelo 2015 – Vencedor do concurso Cruz e Souza de poesia 2014). Cronista semanal do Jornal “A Notícia” desde 2004.

Lançou em 2007 uma seleção de crônicas que resultou no volume Aço e Nada, Design Editora, considerado o melhor livro de Crônicas de 2008 pela Academia Catarinense de Letras. Em 2010, lançou o livro infanto juvenil Crônica de Gatos, também pela Design Editora.

Participa de diversas antologias de contos e poemas, além de ter ensaios teóricos e críticos publicados em periódicos e revistas especializadas. Em 2015 reuniu 50 crônicas no volume Breves exercícios para fugitivos a ser lançado em breve.

Como se inscrever na Vivência Literária – Contos e Crônicas?
O evento  Vivência Literária – Contos e Crônicas acontecerá no dia 23 de maio 2015 – sábado – das 8h30 às 12h – 13h30 às 17h30 (logo após coquetel). Local: Hotel Slaviero Slim Joinville (Rua: Sete de setembro, 40)

Inscrições: R$15,00 para Associados e R$30,00 demais interessados. Para garantir a inscrição basta realizar depósito na conta da Associação e enviar o comprovante conforme segue:

Caixa Econômica Federal
Agência: 1897
Código: 003
Conta Corrente: 3812-7
Favorecido: Associação Confraria das Letras
CNPJ 16.783.372/0001-71

* o comprovante de depósito das mensalidades deve ser enviado para: associacaoconfrariadasletras@outlook.com

Sobre o programa da Vivência Literária

Matutino:

8h30 – Credenciamento

8h40 – Abertura – Presidente: Bernadéte Costa

Apresentação Palestrante – Rita de Cássia Alves

8h45 – Inicio da Vivência Literária Contos e Crônicas

12 horas – Encerramento Primeira parte (almoço)

 

Vespertino:

13h30 – Retorno atividade – Vivência Literária Contos e Crônicas

17h30 – Finalização

Rita agradece palestrante

Vice-Presidente Silvio Vieira agradece participantes e convida para coquetel 3 anos Associação das Letras

* Café na sala durante os períodos

17h40 às 18h40 Coquetel de confraternização 3 anos Associação Letras.

Feira do Livro de Joinville (SC) encerra com mais de 80 mil visitantes e 100 mil livros vendidos

Com 80 mil visitantes e mais de 100 mil livros vendidos, Feira do Livro de Joinville quer dar um passo à frente em 2016.

A 13ª Feira do Livro de Joinville já tem data para acontecer: em 2016, o evento será entre os dias 1º e 10 de abril, novamente no Expocentro Edmundo Doubrawa. E, para repetir o sucesso desta edição, que, segundo a organização, reuniu um público de cerca de 80 mil pessoas, a equipe do Instituto Cultura e Educação deu início aos planejamentos da próxima Feira.

Para a idealizadora Sueli Brandão, é hora de dar um passo em frente. “Queremos trazer grandes nomes da literatura nacional e também da internacional, buscar outros convidados tão encantadores e populares quanto os que vieram esse ano”, comemora.

A intenção é reunir autores consagrados tanto no meio acadêmico quanto comercial – entre alguns nomes desejados pela organização estão os de Paula Pimenta e Thalita Rebouças, que participaram em edições anteriores da Feira com grande aceitação de público. Novamente, Maria Antonieta Antunes Cunha será a responsável pela curadoria.

O caráter educacional é outra preocupação do evento. “Nossa ideia é atrair autores infantis que tenham os livros adotados nas escolas, promover essa interação”, completa Sueli. O planejamento prevê ainda a inserção de outras manifestações artísticas na programação. “Sonhamos com um grande espetáculo musical”, adianta a idealizadora.

O evento também superou as expectativas dos expositores. O público levou mais de cem mil livros para casa, além ter experimentado uma programação recheada de contação de histórias, palestras e lançamentos de autores locais.

Somente no estande da Livraria Cosmos, de São Paulo, o expositor Daniel Alonso estima a venda de 50% do acervo, aproximadamente 20 mil títulos. O balanço é superior ao do ano passado.

Na World Livros, de São Paulo, o expositor estima um aumento de 10% nas vendas, em relação ao ano passado. “Participar da Feira do Livro de Joinville é bacana, uma honra. É uma feira que tem crescido, mostrado um potencial muito grande. As pessoas realmente gostam de ler, percebemos que os visitantes vêm atrás da leitura”, afirma o coordenador do estande, Márcio Russi. Dos 38 expositores no evento, cerca de 80% pretende voltar na próxima edição, em 2016.

Da Assessoria de Imprensa – Ronaldo Corrêa

Feira do Livro de Joinville (SC) chegando ao final, confira a programação até domingo (19/4)

A 12ª Feira do Livro de Joinville entra na reta final com fôlego e programação recheada para os últimos três dias do evento. Leo Cunha, Jaílson de Almeida, Thomaz Muylaert e Lauro Cesar Muniz são alguns dos nomes que ainda passam pelo Expocentro Edmundo Doubrawa, que terá ainda o lançamento de livros de autores locais e atividades culturais.

Nesta sexta-feira, Leo Cunha faz uma homenagem à escritora brasileira Sylvia Orthof, grande nome da literatura infantil brasileira e uma das referências na carreira do escritor. O encontro “Memórias Literárias” começa às 9h30, no auditório.

Na sequência, no palco principal, a atriz joinvilense Carol Spieker faz contação de histórias do projeto “Rios de Alegria”, às 10h30 – haverá uma segunda sessão no mesmo local, às 15h.

As sessões de autógrafos terão as participações de Salvador Neto (Joinville), às 14h, Jailson de Almeira (São Paulo), às 14h30, e Sônia Pillon (Jaraguá do Sul), às 18h.

A Feira ainda traz a Joinville o estudante de direito Thomaz Muylaert, que tirou a nota máxima na redação do ENEM em 2003 e lançou pela Editora Giostri o livro “Dias Para uma Boa Redação”. A palestra será às 16h. Na parte musical, Ananias de Almeida participa do sarau “Espaço Autoral” com um show de violão erudito às 17h.

Convidados especiais no fim de semana
Lembrado principalmente pelo trabalho em novelas como “Roda de Fogo”, “O Salvador da Patría” e “Zazá”, Lauro Cesar Muniz é destaque da programação de sábado. Com suas obras completas para teatro recentemente reunidas e lançadas pela Editora Giostri, Lauro faz duas palestras no palco da Feira de Joinville: às 16h debate “A Escrita da Novela”, e às 19h “A Escrita do Teatro”.

A agenda de sábado inicia com o projeto “Rios da Alegria”, de Carol Spieker, às 9h. Ainda no período da manhã, Keylla Alvez distribui autógrafos no seu livro “Diário de um Fã” às 10h, e Renata Schiavon e Denise Ávila fazem um bate-papo sobre literatura infantil às 11h.

As autoras joinvilenses Beth Fontes e Maria Lúcia Rodrigues participam do “Encontro com o Escritor” às 15h, enquanto Ayton Brandão lança “À Sombra do Cinamomo” às 18h, seguido por “Aquele que Morreu de Amor”, de Inês Pozzagnolo.

No domingo, para encerrar a 12ª Feira do Livro de Joinville, destaque para a leitura de poemas de três apenados do Presídio Regional de Joinville, às 14h, projeto idealizado pelo juiz João Marcos Buch, titular da Vara de Execuções Penais da cidade. Haverá ainda sessão de autógrafo de “Tempo de Fuga”, da escritora Edilene Borinelle, às 15h e a palestra “A Literatura Fantástica no Brasil”, de Marcelo Hipólito, às 16h.

Programação

SEXTA (17/4)

9h – Abertura

9h30 – Memórias Literárias “Eu e Sylvia Orthof” – Leo Cunha – Auditório

10h30 – Contação de histórias – “Projeto Rios da Alegria” – Carol Spieker – Palco Principal

14h – Sessão de autógrafos – Salvador Neto (Joinville)

14h30 – Encontro com o Escritor – Jailson de Almeida (SP) – Palco Principal

15h – Contação de histórias – “Projeto Rios da Alegria” – Carol Spieker – Auditório

16h – Palestra “Redação para o ENEM” – Thomaz Muylaert (SP)- Auditório

17h – Sarau “Espaço Autoral” AMUJ – “Ananias Almeida” – Palco Principal

18h – Lançamento “Encontro com a paz e outros contos budistas” – Sônia Pillon (Jaraguá do Sul) – Auditório

21h – Encerramento

SÁBADO (18/4)

9h – Abertura

9h – Contação de histórias “Projeto Rios da Alegria” – Carol Spieker – Auditório

10h – Sessão de autógrafos – “Diário de um fã” – Keylla Alvez (PR) Auditório

11h – Bate-papo sobre literatura infantil – Renata Schiavon e Denise Ávila,  mediação de Jailson de Almeida  – Palco Principal

11h  – Sessão de autógrafo – “Lar, doce barata” – Ana Peres Batista

15h – Encontro com o Escritor –  Beth Fontes (Joinville) e Maria Lúcia Rodrigues (Joinville), autoras do livro “Sobre os Jardins” – Auditório

16h – Palestra “A escrita da novela” – Lauro Cesar Muniz (SP) – Palco Principal

18h – Lançamento“À sombra do Cinamomo”- Ayrton Brandão-Guaramirim – Palco Principal

18h30 – Lançamento-“Aquele que morreu de amor”- Inês Pozzagnolo (Joinville) -Auditório

19h – Palestra “A escrita do Teatro”- Lauro Cesar Muniz (SP) – Palco Principal

20h – Sessão de Autógrafo -“Estradas Paralelas-Vidas Desencontradas” Vera Oliveira (Joinville)

21h – Encerramento

DOMINGO (19/4)

10h – Abertura

11h – Contação de histórias – “Projeto Rios da Alegria” – Carol Spieker – Auditório

14h – Leitura de Poemas – Apenados do Presídio Regional de Joinville – Palco Principal

15h – Sessão de autógrafos – “Tempo de fuga” – Edilene Borinelle (Joinville) – Auditório

16h – Palestra – “A Literatura Fantástica no Brasil” – Marcelo Hipólito (SP) – Auditório

17h – Sarau “Espaço Autoral” AMUJ – “Miopia” – Palco Principal

20h – Encerramento

Livro Saganossa – Outras Histórias será lançado hoje (15) na Feira do Livro de Joinville (SC)

Capa-Saganossa-Outras-Historias-mar2015Agora é fato consumado. Chega hoje às mãos dos leitores e leitoras a a segunda antologia produzida pela Associação Confraria das Letras com sede em Joinville (SC) mas com participação e ação em todo o país.

Com o título Saganossa – Outras Histórias, esta edição é totalmente custeada pelos associados de forma cooperativa, assim como já o foram a primeira (Saganossa, 2014) e as sete mini antologias Letras da Confraria. De forma transparente e com regulamento de participação definido por sua diretoria, a Associação escolheu 24 autores que enviaram poesias, contos e crônicas inéditas.

O Saganossa – Outras Histórias será lançado hoje, quarta-feira (15/4) na 12ª. Feira do Livro de Joinville  às 18h, no palco da feira. “Nós estamos focados em fazer a literatura forte, e não paramos um momento sequer. Já estamos preparando o III Encontro Catarinense de Escritores, novos lançamentos e muitas novidades”, avisa o presidente David Gonçalves, que deixa o posto agora em abril, quando a Associação Confraria das Letras realizará eleições para a nova diretoria. A entidade vai completar três anos de atividades.

Feira do Livro de Joinville (SC) é contemplada em edital nacional

A importância da Feira do Livro para a agenda cultural de Joinville já era reconhecida, mas a 12ª edição, simbolicamente, marca um importante capítulo do evento no calendário nacional.

Entre as dezenas de propostas apresentadas no Edital de Apoio ao Circuito Nacional de Feiras de Livros e Eventos Literários, lançado pela Fundação Biblioteca Nacional em 2014, a Feira do Livro de Joinville ficou em oitavo lugar e garantiu um repasse direto de aproximadamente R$ 150 mil.

Para a curadora Maria Antonieta Cunha, é um resultado que deve ser muito comemorado. Segundo ela, o edital, reformulado nessa última edição, é rigoroso em sua proposta: colaborar com eventos que tenham o incentivo à leitura como eixo fundamental.

“Ele é muito concorrido, mas estamos muito seguros em nossa proposta e por isso ficamos à frente de outras feiras e evento que até tem mais poder de fogo”, avalia.

O Edital de Apoio ao Circuito Nacional de Feiras de Livros e Eventos Literários integra o Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL), do Ministério da Cultura. Entre os eixos apontados como primordiais para a participação no edital está o fomento da circulação, a distribuição e o consumo de livros e outros materiais de leitura nos municípios brasileiros, a contribuição com a sustentabilidade de pequenas e médias editoras e livrarias e o estímulo à formação do leitor e novas práticas de leitura.

A Feira do Livro de Joinville foi a única proposta catarinense aprovada pela Fundação Biblioteca Nacional. Segundo Maria Antonieta, mais de 400 projetos foram inscritos, com 60 habilitados para a segunda fase – destes, o evento joinvilense teve uma das dez melhores pontuações, nota suficiente para garantir o repasse. “Isso mostra que Joinville tem uma feira que verdadeiramente propõe a literatura e suas variadas formas.”

Para a curadora, os convidados são peças importantes no diferencial da Feira de Joinville. “Nossos palestrantes têm trabalhos reflexivos sobre o prazer da leitura, mas sabem falar com o público de maneira abrangente, não apenas com seus pares”, diz.

O resultado, conclui, é uma programação interessante a todos os tipos de público. “Nós temos uma característica difícil de achar: qualquer pessoa que venha a Feira de Joinville vai encontrar algo que goste.”

Sobre a Feira do Livro
A 12ª Feira do Livro de Joinville ocorre de 10 a 19 de abril no Centreventos Cau Hansen (Teatro Juarez Machado e Expocentro Edmundo Doubrawa).

A visitação à feira e participação em todas as atividades é gratuita, de segunda a sábado das 9 às 21 horas e nos domingos das 10 às 20h. Para os espetáculos e palestras há necessidade de retirada de ingressos na secretaria do evento.

Confira a programação completa em www.feiradolivrojoinville.com.br. Informações pelo telefone (47) 3422-1133 ou pelo e-mail agendamento@institutofeiradolivro.com.br.

A  Feira do Livro de Joinville é uma realização do Instituto da Cultura e Educação e Ministério da Cultura (Lei de Incentivo à Cultura), correalização Serviço Social do Comércio (SESC), patrocínio do Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultural (Simdec), Fundação Cultural de Joinville, Prefeitura de Joinville, e apoio Döhler, Tigre Tubos e Conexões, Instituto Carlos Roberto Hansen, B&L (Buschele & Lepper) Ciser Parafusos, Selbetti, Sicred, Honda Gabivel, Grupo RBS e Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho.

A literatura e o mundo perdem Eduardo Galeano

O escritor e jornalista uruguaio Eduardo Galeano morreu hoje (13) aos 74 anos, informaram os diários uruguaios El País e Subrayado. Galeano é considerado um dos maiores autores da literatura latino-americana.

Ele estava internado em um hospital em Montevidéu e morreu devido a complicações de um câncer de pulmão, que já havia sido tratado em 2007. Entre suas obras mais famosas estão As Veias Abertas da América LatinaMemórias do FogoOs Dias SeguintesCrônicas Latino-Americanas.

Em suas obras, ele misturou os gêneros de ficção, jornalismo, análise política e histórica. Galeano nasceu em 3 de setembro de 1940 em Montevidéu e começou a escrever aos 14 anos no jornal El Sol. Em 1958, passou também a escrever crônicas de arte. Nos anos 1960, trabalhou como editor do jornal semanal Marcha e no diário Época.

Após o golpe de estado em 1973, Galeano teve de deixar o Uruguai e foi viver na Argentina. Quando voltou ao seu país em 1985, ele fundou o semanário Brecha.

*Com informações da Telesur