Carlito e a tarifa de ônibus

Não conceder o aumento da tarifa de tranporte coletivo para as empresas concessionárias foi uma tacada política de primeira. O prefeito Carlito Merss tenta mostar à população da maior cidade catarinense que ainda comanda a Prefeitura, e que pode sim fazer cumprir algumas de suas promessas. Demorou um pouco, mas a medida, corajosa, deve ter grande êxito junto à população.

É certo que a iniciativa tem todo o recheio, a confeitaria de um ano eleitoral. De olho nos votos de outubro, Merss vislumbra um futuro promissor a seus candidatos a deputado estadual Marquinhos Fernandes e Adilson Mariano (esse bem menos…) e a federal que é sua esposa Marinete Merss. O que surpreende são as entrelinhas da nota oficial do Executivo que deixa margens especulativas. Por exemplo: obras para dar mais rapidez e fluidez ao tráfego dos ônibus. Isso já foi feito e nem por isso a tarifa caiu. Por sinal aumentou, e também com Carlito no comando.

E a licitação em 2011. Será que estamos negociando o futuro? O que será que as atuais concessionárias farão para evitar prejuízos? Só o tempo dirá que decisão foi essa do Prefeito petista em ano eleitoral. Se foi prá valer, ou para postergar uma decisão difícil para outro ano bem difícil que será 2011.

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.