Os vencedores

Muita gente já vai dizer: foi LHS. Não dá para negar que o senador, ex-deputado estadual e federal, ex-ministro, ex-governador, ex-prefeito por três vezes da maior cidade catarinense é um grande vencedor. Articulador exímio, faz política como poucos neste país no que tange a vencer eleições. Enxerga muito mais longe que todos os da cena política conseguem enxergar. Faz movimentos e toma decisões que deixa muitos atônitos, para ali na frente vencer. É o mestre da política catarinense, inegável, e não precisa de muitos comentários aqui. Quem não acredita na sua força política, está perdendo tempo. Além de LHS, o PMDB, o PDT, Mauro Mariani, são os vencedores deste pleito em Joinville e região.

Mas o grande vencedor foi Udo Döhler. O empresário vencedor é agora o político vencedor, e isso em sua primeira eleição. No dia em que completou 70 anos, comemorou a passagem da idade e a vitória retumbante sobre um político experiente, apesar de jovem, comunicador exposto na mídia há anos, e com base forte nas igrejas evangélicas, com mandatos de vereador e deputado, e mais, com duas disputas à Prefeitura!

Udo sempre esteve na política, mas nos bastidores. A passagem pela Fundamas foi há tanto tempo que não se pode contar como atividade em gestão pública. Forte mesmo ele agiu em grandes temas institucionais para a cidade, em vários momentos que nem é preciso citar aqui.  Suas aparições sempre foram moderadas, tipo eu falo, vocês escutam. Jamais participou de enfrentamentos diretos, debatendo frente à frente em rádios, tvs, sendo sabatinado em reuniões de bairros, nas ruas. Era perceptível seu desconforto em frente às câmeras no início da campanha. Mas com o trabalho competente do jornalista Marco Aurélio Braga, o amigo Marcão, e uma equipe competente de marketing, Udo Döhler foi rapidamente melhorando, se adaptando ao meio, e ao final, estava encarando Kennedy Nunes sem rodeios.

Além disto tudo, o peemedebista enfrentou novamente o que já tinha enfrentado há alguns anos: as denúncias de preconceito, assédio moral, maus tratos em sua empresa. Nos bairros foi utilizada à exaustão a sua origem alemã, que era nazista, grosseiro, e que não gosta de negros, e até vídeo feito pelo PT mostrando uma suposta mulher que teria sofrido os maus tratos foi utilizada na última semana da propaganda eleitoral. Ao que se vê, o efeito foi contrário,  e Udo chegou ao segundo turno. Apresentado como gestor desde o o início, e não como político profissional, ele conseguiu mostrar as diferenças entre ele e Kennedy, colando a sua fama de bom gestor, comandante de uma empresa e de um hospital de sucesso.

Com a estratégia de expor o seu adversário em suas contradições, Udo foi aos bairros com a militância peemedebista, e pela internet os discursos de Kennedy foram mostrados em profusão com as idas e vindas da opinião do deputado pessedista. Os vereadores eleitos agarraram sua candidatura e foram à luta, um deles, João Carlos Gonçalves, chegou a virar um dos âncoras dos programas. Vencendo a timidez, as dificuldades com o sotaque carregado, a tensão dos debates, Döhler foi construindo uma virada histórica, que se consolidou no domingo.  E a Udo Döhler, o Blog Palavra Livre dá os parabéns ao Prefeito eleito, desejando uma ótima gestão, para o bem da nossa cidade.

Outro vencedor destas eleições é o deputado federal Mauro Mariani. Derrotado em 2008 quando foi desconstruído como candidato por sua origem política de Rio Negrinho, Mariani calçou as sandálias da humildade e foi à luta, se elegendo o federal mais votado da história de Santa Catarina em 2010 superando o ex-governador Esperidião Amin. Ainda com essas sandálias, abriu mão de ser o candidato do PMDB em Joinville este ano, abrindo caminho para a estratégia que LHS e o partido desenharam.

Assim, o deputado percorreu novamente o estado e ajudou o partido a conquistar 107 prefeituras. O seu futuro agora poderá ser o Senado Federal ou até mesmo o Governo do Estado em 2014. Isso se o partido em nível estadual permitir, já que hoje o presidente é Eduardo Moreira, atual vice-governador com Colombo. Mauro mostra assim que às vezes é melhor dar dois passos atrás, para poder dar um salto mais à frente. Política é isso.

Quanto ao PMDB e o PDT, são os partidos que representam a aliança de forma mais clara, e que agora tomam rumos com um novo fôlego. O PDT, que fez parte do governo Carlito até abril deste ano, decidiu ser participante da chapa com Udo Döhler em uma disputa dura no diretório. Lançou o jovem advogado Rodrigo Coelho à Prefeitura, mas depois mudou a rota e apostou como vice do empresário. Deu certo, e certamente agora vai crescer com a presença nos escalões de governo.

O PMDB mostrou mais uma vez que é a maior força política da cidade. Fez história novamente partindo do zero, construindo um nome mês a mês, utilizando de inteligência e estratégia, mobilizações, reuniões, e na hora H, partindo para as ruas e bairros. Assim como foi com Pedro Ivo, Luiz Henrique, Wittich Freitag, LHS mais duas vezes, agora volta ao comando da Prefeitura de Joinville com a fama de desenvolvimentistas, das grandes obras. Udo é um novato no partido, e tem fama de não dobrar à pedidos e apelos que não sejam com base técnica e em razões de gestão produtiva. Vamos ver logo à frente como será esse casamento novo, e a amostra virá pela disputa na mesa diretora da Câmara de Vereadores.

Que esses vencedores façam bom uso da confiança dos eleitores joinvilenses, que apostaram no retorno de um gestor comprovado, um empresário bem sucedido, para comandar a Prefeitura. A cidade espera por mais saúde – maior promessa de Udo – mais infraestrutura em todos os aspectos (pontes, elevados, pavimentação, etc), mais presença da administração nos bairros. Este Blog vai estar atento. Aos vencedores, nossos parabéns.

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

3 comentários em “Os vencedores”

  1. Renato Caetano da Silva, obrigado pelo comentário, agora cabe a nós fiscalizar e cobrar as promessas feitas pelo senhor Udo Döhler a partir de janeiro de 2013, desejando que ele tenha um bom governo. Obrigado pela participação!

  2. Apoiei, com meu voto e votos de minha familia o nosso novo prefeito SR UDO DELHER. Após o final do segundo turno, muitos amigos e até familiares se mostravam desanimados, pelas futuras coligações que o nosso adversário politico KN, estava fazendo. Eu me mantia sereno e dizia, não se preocupem nos temos um homem de Nome, um homem sério e um homem competente como candidato e temos sem dúvidas o maior articulador e politico do Brasil o Senador LUI HENRIQUE DA SILVEIRA, muitos dos adversários politicos do LHS, gostariam com certeza que ele estivesse a seu lado.
    Essa virada contra tudos e todos ( coligações ) foi infinitamente saborosa, ganhamos até das pesquisas, que deram exatamente ao contrario.
    Tenho orgulho do povo JOINVILLENSE, esse povo sabe o que quer. E VIVA A DEMOCRACIA.
    Renato Caetano da Silva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.