Conferência da Cidade elegeu delegados e propostas em sua quinta edição

prefeitura de joinvilleHabitação, saneamento básico, transporte coletivo, transporte por hidrovia, ferrovia e ar, educação no trânsito, regularização fundiária e áreas rurais foram os temas que dominaram as discussões na 5ª Conferência Municipal da Cidade de Joinville, realizada no sábado.

Os cerca de 60 inscritos entre membros do Conselho da Cidade, delegados por segmentos e observadores trabalharam desde o início da manhã até o meio da tarde para debater os temas e eleger os nove delegados que representarão a cidade e defenderão as propostas na 5ª Conferência Estadual das Cidades, em agosto, em Florianópolis.

Esta 5ª Conferência da Cidade de Joinville integra o calendário do Ministério das Cidades com vistas à realização da 5ª Conferência Nacional das Cidades, que acontecerá no Distrito Federal em novembro.

Delegados eleitos

Titulares                                             Suplentes

PODER PÚBLICO

José Luiz Teodoro                             Lusineth Carolina Gross Kindermann

Joel Gehlen                                        Geraldo Machado Bittencourt

Gilberto Lessa dos Santos                Agnes Schwartz Teixeira

Edson Roberto Holler (CVJ)

MOVIMENTOS SOCIAIS E POPULARES

Josafá Souza Távora             Volnei Batista de Carvalho

Arno Ernesto Kumlehn                      Osvaldo Bittelbrunn Filho

ONGs

Lenin Hugo German E. Peña Gert Roland Fischer

ENTIDADES REPRESENTATIVAS DO EMPRESARIADO

Christiane Schramm Guisso Tiago de Souza Cachuba

ENTIDADES PROFISSIONAIS, ACADÊMICAS E DE PESQUISA

Antônio Sene Cecyn              Therezinha Maria Novais de Oliveira

Propostas temáticas (veja íntegra no site da PMJ em www.joinville.sc.gov.br)

1- Que o Programa Minha Casa Minha Vida priorize empreendimentos de menor agrupamento populacional, incentivando também a ocupação de espaços vazios nas áreas mais centrais das cidades.

2 – Incluir em todas as legislações pertinentes à habitação os conceitos de sustentabilidade.

3 – O Ministério das Cidades deverá desenvolver as suas ações no sentido de nortear as políticas habitacionais, respeitando e conservando as peculiaridades de cada município do país.

4 – Implantação de infraestrutura de drenagem e efluente sanitários previamente à pavimentação e/ou calçamento.

5 – Que seja dado pela política econômica o mesmo ou maior incentivo para o transporte coletivo e mobilidade sustentável que os dados à indústria automobilística.

6 – Inserir no tema da mobilidade urbana além das vias terrestres, as hidrovias, vias férreas e espaço aéreo.

7 – Investir no planejamento e na execução de ações de Educação para o transito.

8 – Que não se regularize qualquer situação irregular, mas que se estabeleçam muito bem os critérios, considerando as invasões que são por motivo de baixa renda.

9 – Que haja integração de políticas em todas as áreas do Poder Público, para que as ações sejam tomadas de forma integrada para que cada uma considere a outra.

10 – Promover a qualidade de vida através de políticas públicas de manutenção das áreas rurais para garantir a produção de alimentos locais e sustentáveis com valor agregado.

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.