Santa Catarina conquista público com artesanato e produtos coloniais no 6º Salão do Turismo

Entre os atrativos do 6º Salão do Turismo – que terminou no domingo (17), em São Paulo –, os artesanatos e os produtos coloniais dos estados brasileiros chamaram a atenção do público pela beleza e diversidade. Santa Catarina esteve presente no espaço das lojas de artesanato e no mercado da agricultura familiar.

Mais de 30 associações catarinenses expuseram seu trabalho no espaço destinado à Santa Catarina, que teve uma média de vendas de oito mil reais por dia. “Esta foi a melhor edição, pois os artesanatos ficaram localizados de maneira estratégica. Antes não tínhamos visibilidade”, comentou Luiz Carlos Teixeira, técnico do artesanato da Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação, e responsável pelo estande, sobre a localização dos espaços destinados ao artesanato pelo Salão do Turismo. Para Teixeira, o volume de vendas neste ano foi maior do que no ano passado.

Para a artesã de Balneário Camboriú, Sueli Hinze, o estande do artesanato catarinense foi um dos que mais atraiu a atenção dos visitantes. “As pessoas comentaram que o nosso estande era o que tinha o melhor atendimento. O catarinense tem essa característica de bem acolher, independente se o cliente irá comprar, ou não”, conclui.

No mercado da agricultura familiar – espaço destinado à apresentação e comercialização de alimentos e bebidas produzidos e processados por agricultores familiares das cinco macrorregiões brasileiras, reunidos em redes, cooperativas e associações – três estandes de Santa Catarina estiveram presentes no local: Ecoserra, de Lages; Agreco, das encostas da Serra Geral; e Muza Brasil, de Luís Alves.

A Cooperativa Ecoserra participou pela primeira vez do evento, com a venda de pinhão. Anderson André da Silveira, engenheiro agrônomo da cooperativa, afirmou que a surpresa maior de muitos visitantes foi conferir de perto a pinha, pois muitos não a conheciam, e não relacionavam o pinhão à Santa Catarina, mas sim com os Estados do PR e RS. A Cooperativa de Comercialização de Frutas e Artesanato de Luís Alves, Muza Brasil, esteve pela segunda vez no Salão do Turismo. Para a diretora administrativa Maria Aparecida Machado a cooperativa foi ao Salão com 30% a mais de produtos neste ano, e as vendas superaram as expectativas. A Muza Brasil oferecia ao público banana passa, geléia de banana, geléia de abacaxi com pimenta, licores, bombons de banana e aguardente da mesma fruta.

De acordo com o Ministério do Turismo (Mtur), o Salão do Turismo, que aconteceu de 13 a 17 de julho em São Paulo, recebeu 87 mil visitantes somente nos quatro primeiros dias de evento. O número representa um crescimento de 9% em relação ao mesmo período do ano passado. Os resultados parciais, apurados até sábado (16/7), foram divulgados pelo Mtur, no Anhembi, neste domingo (17), último dia do evento.

Ministério do Turismo

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.