Somos o que lemos? Você concorda?

ler0Em meio à alta tecnologia, onde não se necessita exclusivamente de recorrer as tradicionais bibliotecas, haja visto ao acesso a meios eletrônicos, onde se pode obter informações apenas “clicando” um pequeno botão e lá está, todo o panorama, bem visível ,colorido e audível a todo o gosto.

Cresceu uma falta de interesse pelo bom hábito da leitura. Afinal somos o que lemos. Quando se lê com freqüência, se tem a mente esclarecida, informada acerca de diversos assuntos que permeiam a universalidade de uma vida. A leitura de bons livros é como conviver com boas companhias, trazem bons conhecimentos, boas referências e bons costumes.

Pessoas com a prática da leitura encontram-se em um contexto social, político e economicamente bem mais situadas. Isto é, horizontes se abrem. Infelizmente na cultura brasileira,com o passar dos tempos foi se perdendo o costume de ler. O comodismo pelo tecnológico jeito de ser e de agir ofuscou o brilho de mentes que viviam para pensar,e expunham seus pensamentos sem constrangimento,compartilhando de ideais e sonhos,muitos sonhos que se tornavam certamente o sonho de outrem.

É certo que, torna-se muito mais cômodo ouvir alguém falar ou vê-los expressando algo que nos leva a um sonho ou uma fuga,sem precisar de forçar o intelecto para pensar,deixando fluir a sua capacidade inteligível, para isso,a mente é forçada a visualizar e decodificar letras, números e mensagens escondidas,que ás vezes nem se pode entender pelo simples fato de ler _ exige-se uma maior concentração.Mas para tal é necessário gostar e interessar-se pelo prazer da leitura,partindo em busca de uma aventura.O que é real? O que é verdadeiramente apenas fruto do imaginário?

Assim sendo, mentes alienadas e calcificadas pela ignorância que lhe fora proposta, passa a abrir-se num belíssimo horizonte de informações e novas descobertas. Como já fora mencionado no parágrafo dois …somos o que lemos. Imagine o que somos se não lemos,apenas aceitamos o que nos é imposto. É muito sério.

Hojeemdia, Yahoo

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.