Transporte Coletivo marítimo será retomado na Costa da Lagoa em Florianópolis

Após assinatura do contrato emergencial na última quinta-feira, 31 de agosto, o transporte lacustre da Costa da Lagoa volta a atender a população nesta terça-feira, 08/09. O serviço será operado pela Cooperbarco e atenderá a rota entre a Lagoa da Conceição e Costa da Lagoa, ligando o Terminal Lacustre Ruth de Barros de Oliveira, desde o trapiche 01 até ao trapiche 23 da Costa da Lagoa, bem como os trapiches intermediários existentes no trajeto que leva aproximadamente 55 minutos.


Conforme decreto municipal, o contrato terá vigência inicial de três meses podendo ser prorrogado por mais seis meses, limite máximo. A Prefeitura de Florianópolis, por meio da Secretaria de Mobilidade e Planejamento Urbano, informa que caso os procedimentos de licitação do transporte lacustre seja finalizado antes desse prazo máximo da contratação emergencial, essa contratação será encerrada antes do limite máximo de 180 dias. Ainda conforme o decreto regulatório, fica a cargo da Secretaria de Mobilidade e Planejamento Urbano, a avaliação contínua do serviço, além da definição dos itinerários, quadro de horários e oferta de viagens conforme demanda do serviço.

A passagem será paga por meio de bilhetes ou cartões, este último quando for disponibilizado. Os bilhetes que foram emitidos e adquiridos pelos usuários anteriormente a suspensão do serviço devido à situação de emergência declarada pelo Município de Florianópolis, no dia 18 de março de 2020 para o enfrentamento à pandemia serão considerados como válidos e poderão ser utilizados regularmente pelos usuários sem prejuízo.

Passageiros não cadastrados pagam a Tarifa Lacustre Comum, que será de R$ 4,25. Já os usuários cadastrados da Região da Costa da Lagoa, pagam a Tarifa Lacustre Regional, que varia conforme a categoria oficial de cadastro: I – Usuário morador cadastrado; II – Estudante cadastrado; III – Pessoa com Deficiência cadastrada; IV – Pessoa com Deficiência que necessite de acompanhante; V – Gestante cadastrada; VI – Mãe de aluno do Ensino Infantil (esta categoria estará bloqueada até o retorno das aulas); VII – Usuário não cadastrado; e VIII – Idoso cadastrado. Os moradores e estudantes cadastrados registrados nas categorias de gratuidades nos itens IV, V, VI e VIII deverão efetuar, obrigatoriamente, o cadastramento ou recadastramento junto à Cooperbarco mediante o preenchimento de formulário.

Protocolo sanitário de controle da pandemia
Assim como os ônibus do transporte coletivo, as embarcações do transporte lacustre também deverão seguir um protocolo sanitário de prevenção da Covid-19. No documento, aprovado pela Diretoria de Vigilância em Saúde, consta: uso da máscara; disponibilização de dispensers de álcool gel 70% nas embarcações; organização interna de assentos que possibilite o distanciamento físico entre os passageiros bem como a sinalização dos locais que podem ser ocupados; proibição da circulação de passageiros no interior no barco; manutenção das janelas abertas durante as viagens; proibição do consumo de alimentos durante a viagem; uso obrigatório de face shields ou óculos de proteção e luvas pelos proeiros; funcionamento apenas em dias de semana; higienização interna a cada viagem e desinfecção geral no término da operação diariamente; e limpeza frequente dos locais de uso comum: catracas, chão do terminal e cabine de cobrança. Locais como banheiros e bancos de espera no terminal lacustre serão interditados.

Opinião – Liberar tráfego de veículos na Ponte Hercílio Luz é erro e rasga discurso

Participei de várias reuniões sobre os futuros usos da velha, agora renovada, Ponte Hercílio Luz. Nelas, Governo do Estado e Prefeitura de Florianópolis, com seus representantes, se digladiavam sobre se passariam veículos leves (carros, motos) e todos os demais, ou somente ônibus, priorizando o coletivo em detrimento do individual. A Prefeitura brigou e muito pelo que, dizia, acreditava: a Ponte Hercílio Luz é um patrimônio cultural, e será utilizada para a mudança de cultura, do individual para o coletivo. Agora, acabo de assistir o próprio secretário de Mobilidade que defendia isso com unhas e dentes, defender a abertura para os carros.

Fazem isso com uma tranquilidade como se nunca tivesse existido um cabo de guerra entre Prefeitura e Governo de SC. Colocam à mesa que haverá controle de horários, etc, e sabemos que isso jamais funcionará. Ou vamos ajudar, funcionará nas primeiras semanas, até que liberem geral. E o que isso acarretará para o patrimônio Ponte Hercílio Luz? O desgaste insano de uma ponte quase centenária que consumiu mais de R$ 600 milhões em sua recuperação, e que estava fechada há mais de 30 anos. Felicidade dos catarinenses e turistas era espantosa ao rever a velha senhora aberta e livre para os seus passeios a pé, de bicicleta, e servindo ao transporte coletivo que leva muito mais pessoas aos seus destinos que carros e motos, vai ficar para trás após esta decisão, pasmem, conjunta de Governo do Estado e Prefeitura.

Qual mudança ocorreu para que se libere o tráfego de carros? Nenhuma. Inclusive, a pandemia reduziu durante longos meses a passagem inclusive de transporte coletivo para evitar o contágio do coronavírus. Todos os cálculos de números de passageiros, demonstrações de quantidade de carros x ônibus, etc, foram jogados fora? Enfim, quando se pensava que a capital dos catarinenses tinha finalmente acertado ao usar o cartão postal catarinense como modelo de mudança de cultura em relação à mobilidade, e que o uso da Hercílio Luz como poderosa ferramenta para o turismo e geração de renda estava priorizado, eis que o velho jeito da política pré-eleitoral aparece, e joga tudo ao mar nas baías da linda Floripa.

A temerária decisão, sem consultas públicas como foram feitas antes da Ponte reabrir, pode nos custar muito caro. Não resolverá o problema de mobilidade na Capital – eles mesmos tem os estudos e os apresentaram exaustivamente – e ampliará os problemas na Ilha, além de afetar fortemente a estrutura da Hercílio Luz. É um erro, e perdemos todos com esta decisão que em nada promove a Florianópolis do futuro, mais humana e com desenvolvimento sustentável.

Para se certificarem do que falo aqui, deem um Google sobre a Ponte Hercílio Luz e mobilidade, ponte viva, etc. É um verdadeiro descaso com a inteligência das pessoas.

Coronavírus em SC – Suspensão da circulação de ônibus é prorrogada em Joinville

A Prefeitura de Joinville emitiu nesta sexta-feira (14/08) o Decreto 39.103, que prorroga por mais sete dias, contados a partir de 16 de agosto, a suspensão da circulação de veículos de transporte coletivo urbano municipal e intermunicipal de passageiros.

A mesma portaria também autoriza, pelo mesmo período, a circulação de motocicletas e motonetas nas faixas exclusivas para ônibus no Município de Joinville.

A medida é embasada no cenário propagação do coronavírus na cidade. Conforme registro do dia 13 de agosto, a ocupação dos leitos de UTI voltados ao tratamento exclusivo de pacientes acometidos de COVID-19 estava em 91%. Por isso a necessidade da prorrogação da medida preventivas.

Volta do transporte coletivo em Floripa tem tecnologia como aliada contra o Covid-19

Em Florianópolis, o transporte coletivo acaba de retornar à operação em fase de testes com uma série de medidas contra a disseminação do Coronavírus. Entretanto, outras ferramentas tecnológicas são aliadas da administração municipal nesta retomada.

Cada veículo da frota municipal é monitorado por três câmeras internas e uma externa por onde as equipes que coordenam o transporte acompanham as viagens por videomonitoramento.

Os veículos também contam com GPS. Além do acompanhamento em tempo real, esse item permite que os usuários utilizem o aplicativo Floripa no Ponto, que mostra onde determinada linha está durante o deslocamento em seu itinerário. Dessa forma, a população pode planejar seus horários e não corre o risco de ficar fora de casa por mais tempo, se expondo de forma desnecessária ao risco do contágio pelo Coronavírus.

Equipes acompanhando o transporte coletivo pelo Centro de Controle e Operações (CCO). Créditos: Leonardo Sousa/PMF

Essas ferramentas são utilizadas pela Prefeitura de Florianópolis que, em caso de descumprimento do protocolo sanitário, pode se comunicar imediatamente com os colaboradores do transporte presentes em cada veículo e prestar a orientação necessária e acionar ônibus extras quando determinada linha atingir a lotação máxima permitida. O aparato também serve como apoio para acionar a Guarda Municipal ou Polícia Militar em caso de ocorrências.

Guarda Municipal também monitora em tempo real

O protocolo sanitário inclui medição de temperatura de todos os colaboradores do transporte coletivo, lotação máxima de 40% do espaço total dos veículos, uso obrigatório da máscara e dispenser de álcool gel nos terminais e ônibus. Janelas devem estar sempre abertas e o
pagamento do passe deve ser feito apenas com cartões pré-pagos. A administração municipal também orienta os passageiros a optarem pelos assentos próximos às janelas, deixando assim, os corredores livres e sem contatos desnecessários com outras pessoas.

Caso o descumprimento de alguma medida obrigatória seja constatada, a Guarda Municipal pode ser acionada pelo 153 ou Polícia Militar pelo 190.

Florianópolis retoma transporte coletivo nesta quarta-feira (17)

Após quase três meses de circulação interrompida como medida de segurança contra o avanço da pandemia do Coronavírus, o transporte coletivo de Florianópolis volta a operar nesta quarta-feira, 17. Uma série de normas de biossegurança foram exigidas para garantir a segurança dos usuários que necessitarem do serviço. A preparação para o retorno do transporte público contou com a testagem para a Covid-19 de todos os colaboradores que vão trabalhar na operação. 

O retorno da operação do serviço de transporte será em fase de teste para que o município vai avaliar o avanço do contágio e a capacidade de atendimento do sistema de saúde. Caso sejam constatados riscos à saúde pública, uma nova suspensão do serviço poderá ocorrer. “Nosso planejamento prevê uma frota extra de veículos que vai operar de acordo com a demanda e caso seja necessário, esses veículos serão alocados de forma estratégica para atender a população”, explica o Secretário de Mobilidade e Planejamento Urbano, Michel Mittmann.

O transporte coletivo não vai funcionar durante os finais de semana. O objetivo da medida é evitar deslocamentos desnecessários. O retorno da operação visa atender, principalmente, trabalhadores do comércio, da área da saúde, que até o momento vinham contando com linhas especiais, e a população que necessita de um meio de transporte para atividades essenciais como: consultas médicas, supermercado, farmácia e atendimento bancário.

Quem estiver com algum sintoma ou suspeita de Covid-19 não deve sair de casa e nem utilizar o transporte coletivo. A Prefeitura de Florianópolis orienta que o Alô Saúde seja acionado pelo 0800.333.3233 para mais informações e sobre como proceder.

“Estamos cientes de que qualquer flexibilização tem reflexo de duas a três semanas nos números do contágio. Com o retorno em uma quarta-feira,vamos avaliar esses três dias de retorno durante o final de semana, além de analisar os dados do contágio posteriormente em diversos períodos de tempo. Dessa forma, vamos entender se o nosso sistema de saúde está comportando o resultado da flexibilização”, explica o Prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro.

Check in do transporte

Uma importante ferramenta de controle da pandemia do Coronavírus durante o retorno do transporte coletivo é o check in online que servirá para identificar, contatar e monitorar a saúde de todos os usuários que possam ter tido contato com algum caso positivo para a Covid-19 no ônibus em determinada linha, horário e veículo. É necessário realizar um breve cadastro apenas uma vez. São duas formas: pelo site www.covidometrofloripa.com.br ou no próprio ônibus, por meio de um QR Code em um painel que estará próximo do validador de cartões. Basta apontar a câmera para o código, aguardar o reconhecimento, passar a catraca e concluir o cadastro. Feito isso, basta apontar a cãmera no QR code sempre que utilizar o transporte coletivo. É opcional e é garantido o sigilo e anonimato dos dados.

Normas de biossegurança

Quem vai utilizar o transporte coletivo deve se atentar às normas de biossegurança antes mesmo do embarque, durante a viagem, e também nos terminais. A máscara deve ser utilizada em cada uma dessas situações. A administração municipal orienta os usuários a evitarem aglomerações nos pontos de paradas e se possível, a organizarem filas nesses locais. O contato com outras pessoas deve ser evitado, bem como conversar estando próximo à outra pessoa, já que o vírus circula facilmente pelo ar.

O ideal é que o usuário higienize suas mãos antes e depois de entrar no ônibus e deve evitar qualquer tipo de contato com as estruturas dos veículos. Já no interior do ônibus, recomenda-se que o usuário dê preferência aos locais próximos das janelas, deixando livre os corredores para passagem dos próximos usuários. Todas as janelas devem ser mantidas abertas mesmo em dias frios ou de chuva. Não é permitido se alimentar nos ônibus e nos terminais.

A etiqueta da tosse deve ser seguida. Ao tossir, mesmo de máscara, o usuário deve cobrir a boca e nariz com o antebraço, evitando usar as mãos. Se usar, deve se lembrar de higienizar em seguida. Caso lenços sejam utilizados, devem ser descartados imediatamente após o uso.

Lotação máxima é de 40%

A lotação máxima permitida, que é de 40% do espaço total de cada veículo, não deve ser excedido. O usuário não deve forçar a entrada caso seja informado sobre a lotação máxima atingida. Em casos extremos, a Polícia Militar pode ser acionada pelo 190, ou a Guarda Municipal pode ser chamada pelo 153.

Como adquirir créditos ou cartão pré-pago


Já está disponível

Quem utiliza o Cartão Cidadão e Cartão do Vale Transporte convencional já pode realizar a compra de novos créditos de forma online pelo www.consorciofenix/passerapido. O pagamento é via boleto e os créditos são disponibilizados em dois dias úteis devido à compensação do boleto.

A partir de hoje, segunda-feira, 15

A partir de segunda-feira, 15, o serviço de delivery de novos cartões pode ser solicitado. Basta acessar o site www.consorciofenix.com.br, seguir o passo a passo, gerar o boleto e realizar o pagamento. A entrega é feita em 48h após a confirmação do pagamento.

Na próxima segunda-feira, todos os serviços de Passe Rápido como emissão de novos cartões, novos créditos, segunda via, por exemplo, estarão disponíveis nos terminais de ônibus das 9h às 17h.

O guichê de atendimento da Secretaria de Mobilidade e Planejamento Urbano também retorna aos atendimentos presenciais no TICEN, das 7h às 19h. O atendimento também pode ser por telefone pelo número 3324.1517. 

A partir de quarta-feira, 17

Na quarta-feira, 17, dia em que o transporte coletivo volta a operar na Capital, reabrem também, todas as bilheterias dos terminais de ônibus. Quem quiser adquirir o Cartão Cidadão já poderá realizar a solicitação nesses locais, das 11h às 17h. No Terminal de Integração do Centro (Ticen), esse tipo de serviço também estará disponível das 11h às 17h.

Estudantes que realizam estágio obrigatório e residentes de áreas da saúde

Conforme já informado anteriormente, os cartões estudantis estão bloqueados em virtude da proibição de funcionamento das unidades de ensino como medida de controle da pandemia do Coronavírus. Entretanto, os estudantes que realizam algum tipo de estágio obrigatório e residentes da área da saúde, por exemplo, deverão fazer a troca por um outro cartão pré-pago específico. Essa solicitação pode ser presencial ou online. Para mais informações, acesse https://bit.ly/cartaoestudantecovid19 e clique em Cartão Estudante Covid-19.

Novo quadro de horários

O novo quadro de horários do transporte coletivo pode ser acessado no site da Prefeitura de Florianópolis pelo link www.pmf.sc.gov.br/servicos/index.php?pagina=onibus ou pelo site do Consórcio Fênix www.consorciofenix.com.br.

Florianópolis – Transporte Coletivo volta dia 17/6 na capital com check-in

A Prefeitura de Florianópolis, por meio da Secretaria de Saúde e de Mobilidade e Planejamento Urbano informa que mais de 6 mil pessoas já fizeram o cadastro na plataforma de check-in para registro via QRCODE da utilização do transporte coletivo. Os ônibus voltam a circular na Capital dia 17 de junho.

A ação torna possível fazer o monitoramento de quem está utilizando os serviços e se preciso, fazer a testagem dos passageiros caso haja casos confirmados e segundo a orientação da Vigilância Epidemiológica.
Os cadastros, são voluntários e devem ser feitos antecipadamente pelo link: covidometrofloripa.com.br/qrcode, com e-mail, telefone, e outros dados pessoais para identificação dos passageiros.

O registro é anônimo e essa identificação será feira por meio de códigos. 
A plataforma WEB é uma solução tecnológica desenvolvida por uma startup de Florianópolis, a Smart Tour.  A solução foi vice-campeã das Américas em um Challenge Global e selecionada pela ONU, OMS e OMT, como TOP 10 mundial no combate ao COVID-19 entre 1183 soluções de 120 países.

Para a volta a circulação do transporte coletivo na capital várias medidas estão sendo preparadas. Apenas 40% da lotação será permitida, haverão horários diferenciados e fiscalização online por câmeras existentes nos ônibus. Higienização com alcool gel será permanente, uso de máscaras obrigatório também.

Parado há quase três meses devido à pandemia do novo coronavírus, o transporte coletivo será retomado em Florianópolis em uma semana, no próximo dia 17. Em princípio, o serviço funcionará em fase de teste durante o período de atá 14 dias, de acordo com a Prefeitura da Capital, que determinou novas regras para a utilização dos veículos, definidas pelas equipes da Secretaria Municipal de Saúde.

Nesta primeira etapa do retorno, os ônibus vão circular pela cidade apenas de segunda a sexta-feira e não poderão exceder a ocupação de 40% por veículo, segundo informações do município. O cartão estudante estudante não será aceito, informa a Secretaria Municipal de Mobilidade, já que as aulas permanecem suspensas na cidade. Com as medidas, a prefeitura espera reduzir significativamente a demanda pelo transporte coletivo e focar no serviço somente para quem realmente precisa para o trabalho ou emergências.

Cuidados
Todos os ônibus da Capital que estarão em circulação a partir do dia 17 de junho terão um dispenser de álcool gel e não aceitarão pagamento em dinheiro dentro do veículo.

A Prefeitura de Florianópolis explica que o consórcio responsável pelo transporte na cidade venderá cartões pré-pagos nos terminais e por telefone, com envio por delivery.

Mais de 6.000 pessoas já fizeram o cadastro na plataforma de check-in para registro via QR Code da utilização do transporte coletivo na cidade – PMF

Os veículos também passarão por sistema especial de higienização ao longo do dia, de acordo com a Prefeitura de Florianópolis. O uso de máscara será obrigatório dentro do ônibus, nos terminais e nos pontos de parada. Por isso, lanchonetes e alimentação nessas dependências não serão permitidas. Como todos os veículos têm câmeras, a fiscalização da Prefeitura de Florianópolis será rigorosa na exigência da máscara e da ocupação adequada dos ônibus.

Além da redução de procura pelo serviço, a Prefeitura, em conjunto com entidades do setor produtivo, dividiu a abertura e fechamento das empresas e entidades em oito grupos para evitar que se tenha horários de pico. O prefeito Gean Loureiro (DEM) afirma que as medidas poderão ser revogadas caso a população não siga as orientações.

Justiça nega pedido de indenização de empresas de ônibus em Florianópolis

A Justiça da Capital negou liminarmente pedido de indenização no valor de R$ 7,9 milhões, formulado pelo Sindicato das Empresas de Transporte Urbano da Grande Florianópolis (Setuf), por conta dos prejuízos que sofreu ao longo dos últimos dois meses pela suspensão dos serviços decretada pelo Estado em decorrência da pandemia do coronavírus.

A entidade patronal pleiteia esse valor do Governo do Estado como forma de manter as condições mínimas para a retomada dos serviços, que pode ser decretada a qualquer tempo pelas autoridades, de forma a quitar suas despesas com pessoal e garantir a continuidade da prestação do serviço público essencial.

Para a juíza Ana Luisa Schmidt Ramos, da 1ª Vara da Fazenda Pública da comarca da Capital, não há como admitir o pedido. A opção do Poder Executivo em evitar a locomoção de passageiros de transporte público durante a pandemia, assinala a magistrada, está em conformidade com o Estado Democrático de Direito, ao buscar a garantia dos direitos fundamentais à vida e à saúde. “Sendo assim, […] não há como falar em ato ilegal a ensejar indenização”, afirmou.

A magistrada destacou ainda, em sua decisão, que as empresas de transporte coletivo da região poderiam se precaver contra esse impacto mediante adesão à medida provisória do Governo Federal que admitiu a possibilidade de redução proporcional da jornada de trabalho e dos salários de seus empregados em até 70%, e a suspensão temporária dos contratos de trabalho por até 60 dias.  “No entanto, o que se observa – e bem ponderou o Estado de Santa Catarina – é que essas empresas pretendem transferir o ônus econômico do caso fortuito, na sua totalidade, aos cofres públicos”, finalizou a juíza. A ação seguirá seu trâmite até julgamento final do mérito (Autos n. 5034846-45.2020.8.24.0023).

MPL Joinville realiza atividade sobre transporte coletivo neste sábado (26)

palavralivre-tarifa-zero-transporte-coletivoNeste sábado, 26, o Movimento Passe Livre (MPL) realiza a atividade “Conheça o MPL – Reunião de Novos Membros”, com o objeto de apresentar o movimento, seu surgimento e suas pautas. O evento é aberto a toda comunidade.

Há 11 anos, O Movimento Passe Livre (MPL) vem discutindo transporte coletivo e mobilidade urbana no país. Trânsito caótico, tarifa cara, lotação de ônibus, prioridade para transporte individual, valorização do transporte coletivo, tarifa zero, passe livre, empresa pública de ônibus, conselho de usuário, etc.

Em Joinville não é diferente, desde 2005 o MPL vem realizando trabalhos em escolas, bairros, ocupações, espaços culturais e populares para discutir mobilidade urbana e transporte coletivo gratuito.

Desde janeiro de 2016, pagamos a maior tarifa do Brasil, no valor de R$4,50. Além disso, durante o ano as empresas contaram linhas, fecharam terminais e pouco se preocupam com a lotação dos veículos e o horário escasso das linhas.

Por isso, o MPL sente a necessidade de realizar a atividade para discutir e debater sobre transporte coletivo, conhecer e participar do MPL – Joinville. A atividade será realizada às 15h, no Centro dos Centro Dos Direitos Humanos De Joinville Maria Da Graça Bráz.

Com informações do Movimento Passe Livre Joinville

Pedágios: ANTT autoriza reajustes em 10 rodovias federais

Dez rodovias federais terão seus pedágios reajustados entre os dias 7 de dezembro de 2014  e 1º de agosto de 2015. Autorizado esta semana pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), o reajuste faz parte da revisão extraordinária das tarifas básicas de pedágio. Ele resultará em aumentos que variarão de 0,097% a 1,51%, dependendo da rodovia.

De acordo com a ANTT, as revisões abrangem trechos das rodovias BR-116/324/BA, BR-153/SP, BR-381/MG/SP, BR-116/PR/SC, BR-116/SP/PR, BR-101/RJ, BR-116/376/PR, BR-101/SC, BR-393/RJ e BR-116/RJ/SP. A justificativa é “recompor o equilíbrio econômico-financeiro dos contratos frente a alterações neles realizadas”.

Segundo técnicos da agência, o reajuste foi motivado pela necessidade de se incluir no preço do pedágio verbas para serviços de correios, meio por onde as multas são enviadas, além de custos relacionados aos sistemas de sensoriamento e controle de tráfego. Para conferir a lista de rodovias, a data de aplicação dos reajustes e os novos valores a serem cobrados no pedágio, clique aqui.

Da EBC

Transporte Coletivo: nova tarifa entra em vigor na segunda-feira (1/7) em Joinville (SC)

tarifaA redução da tarifa do transporte coletivo de Joinville, decretada pelo prefeito Udo Döhler no dia 13 de junho, entra em vigor nesta segunda-feira, dia 1º de julho. O valor atual da tarifa será reduzido em R$ 0,10, passando de R$ 2,90 para R$ 2,80 (antecipada) e de R$ 3,30 para R$ 3,20 (embarcada).

A redução foi possível com o novo cálculo da planilha de custos como consequência da Medida Provisória do Governo Federal que reduziu as alíquotas de contribuição das empresas de ônibus para o PIS/PASEP e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins).

Segundo cálculo do Ministério da Fazenda, as alíquotas do PIS e da (Cofins) incidentes sobre o transporte coletivo urbano somam 3,65%. Com a isenção, o governo quer aliviar os custos das classes média e baixa que utilizam ônibus.

É a segunda vez que o atual governo reduz a tarifa do ônibus. A primeira ocorreu logo após a posse, no dia 2 de janeiro, em que houve revogação de reajuste decretado em dezembro de 2012 e edição de novo decreto com redução de R$ 0,10 – de R$ 3,00 para R$ 2,90 (antecipada) e de R$ 3,35 para R$ 3,30 (embarcada).

No decreto de redução da atual tarifa (nº 20.790, de 13 de junho de 2013) ficou estabelecido que, em decorrência da redução da tarifa, não haverá compensação ou devolução da diferença de valores das passagens já adquiridas.

O decreto também estabelece que as passagens adquiridas antecipadamente, em data anterior à vigência da nova tarifa, manterão a sua validade até terem a capacidade do cartão ou bilhete exauridas com o carregamento anterior à data do decreto.