LER/DORT: Cerest Joinville destaca o dia da prevenção à essas doenças

Nesta quinta-feira, 28 de fevereiro, comemora-se o Dia Internacional de Conscientização sobre as Lesões por Esforço Repetitivo (LER) e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT), conhecido como LER/DORT. As lesões ou distúrbios ocupacionais ocorrem pelo uso repetido e forçado de grupos musculares e da manutenção de postura inadequada, acometendo trabalhadores de diversos setores.

O Centro de Referência em Saúde do Trabalhador – Cerest, órgão da Secretaria Municipal da Saúde, é responsável pela investigação dos casos de LER/DORT que abrangem os trabalhadores do município. A fisioterapeuta do Cerest, Rúbia Kruger Pereira, destaca que casos de doenças de tendinites, tenossinovites, bursites e epicondilites, são alguns dos exemplos de LER/DORT. “O serviço ininterrupto com jornadas excessivas expõe os trabalhadores a esse tipos de lesões ou distúrbios, cada vez mais frequentes”, explica.

Rúbia informa que se o trabalhador suspeitar de alguma doença que possa estar relacionada ao trabalho, deve procurar, primeiramente, o médico para fazer o tratamento adequado. “Caso o médico verifique que se trata de LER/DORT, ele deve encaminhar o trabalhador ao Cerest, que vai fazer o nexo causal, isto é, investigar se a lesão tem relação com o trabalho”, detalha.

A fisioterapeuta ainda completa que o Cerest realiza uma série de ações de educação em prevenção para evitar que outros trabalhadores ou que o próprio trabalhador seja afetado pela doença em função das atividades do trabalho. Relação de alguns diagnósticos de LERT/DORT conforme Ministério da Saúde:

Síndrome do desfiladeiro torácico

· Tenossinovite dos Flexores dos dedos e dos flexores do Carpo
· Síndrome do Supinador
· Tendinite Distal do Bíceps
· Síndrome do Pronador Redondo
· Tenossinovite do Braquiorradial
· Síndrome do Interósseo Anterior
· Cisto Sinovial
· Síndrome do Túnel Do Carpo
· Distrofia Simpático-Reflexa ou Síndrome Complexa De Dor Regional Do Tipo I
· Lesão do Nervo Mediano na Base da Mão
· Causalgia ou Síndrome Complexa de Dor Regional do Tipo II
· Síndrome do Canal Ulnar
· Síndrome Miofascial
· Síndrome do Canal de Guyon
· Tendinite do Biciptal
· Síndrome do Interósseo Posterior
· Bursite
· Doença ee Dequervain
· Contratura de Dupuytren
· Dedo em Gatilho

Da Prefeitura de Joinville

Plano nacional deve melhorar a saúde do trabalhador, diz Ministério da Saúde

Os Ministérios da Saúde, da Previdência Social e do Trabalho e Emprego lançaram hoje, a Política e o Plano Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho. A iniciativa faz parte da programação do Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidente de Trabalho. Os três ministérios irão atuar em conjunto para implementar, fiscalizar e avaliar as normas e processos na esfera pública e privada. O esforço conjunto representa um avanço nas garantias de melhores condições no ambiente e nas relações de trabalho.

A execução das diretrizes da política será feita por meio do plano nacional. Formado por oito objetivos, a estratégia é dividida em tarefas de curto, médio e longo prazo, além de um conjunto de regulamentações de caráter permanente.

Para a rotina do trabalhador serão adotados dispositivos legais e princípios comuns de Saúde e Segurança no Trabalho (SST), independentemente de sua inserção no mercado (do setor público e privado), com elaboração, aprovação e fiscalização conjunta do poder público, dialogando com as organizações dos empregadores e dos trabalhadores.

“O Brasil recebe muitos elogios sobre normas e leis. Agora é o momento oportuno para que temas como acidentes de trabalho, aspectos de capacitação e treinamento sejam levados a uma discussão mais aprofundada. Creio que a sociedade verá os resultados desse trabalho em curto prazo”, disse Guilherme Franco Netto, Diretor do Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador, do Ministério da Saúde.

O Ministério do Trabalho e Emprego avalia que o entendimento sobre as relações trabalhistas também será afetado. Além disso, deverá ocorrer a padronização de critérios quanto à caracterização de riscos e agravos e a construção de um banco de dados único com indicadores de gestão.

Isso significa que os três ministérios irão compartilhar informações para fomentar as práticas pertinentes a cada área.

A educação continuada é uma das normas a serem seguidas com a inclusão de conhecimentos básicos no currículo do ensino fundamental e médio da rede pública e privada, bem como a revisão de referências curriculares para a formação de profissionais em saúde e segurança no trabalho, de nível técnico, superior e pós-graduação.

ELABORAÇÃO– A política foi criada por uma Comissão Tripartite entre o governo, as principais organizações que representam empregadores e pela representação dos trabalhadores. A formalização aconteceu por meio de decreto (nº 7.602), assinado pela presidenta Dilma Rousseff, no dia 7 de novembro de 2011.

A implementação está de acordo com a Convenção n.º 155 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que dispõe sobre Segurança e Saúde dos Trabalhadores e o Meio Ambiente de Trabalho e estabelece o dever do Estado-Membro de elaborar uma política nacional sobre o tema. E também com o Plano de Ação Mundial sobre a Saúde dos Trabalhadores da Organização Mundial da Saúde (OMS), que reforça a necessidade de uma política com coordenação intersetorial das atividades.

COMISSÃO TRIPARTITE– A comissão que foi instituída em 2008 é composta – paritariamente – por representações de governo, trabalhadores e empregadores. O objetivo é assegurar a atuação coerente e sistemática do Estado na promoção do trabalho seguro e saudável e na prevenção dos acidentes e doenças relacionados ao trabalho. A coordenação é feita pelos representantes de governo, em sistema de rodízio anual.

Da Ag. Saúde

Ana Maria Machado na Feira do Livro de Joinville hoje (16/4)

A 9ª Feira do Livro de Joinville continua nesta segunda-feira (16) com diversas atrações aque ocupam os espaços do Centreventos Cau Hansen. A partir das 9 horas, as atividades estão concentradas no Expocentro Edmundo Doubrawa, Teatro Juarez Machado e Centro de Convenções Alfredo Salfer, e incluem lançamentos de livros, conversas entre autores na Confraria de Escritores, as palestras com grandes nomes da cultura nacional, apresentações artísticas e sessões de cinema, entre muitas outras opções para o público. Toda a programação é gratuita.

A atração principal é a presença da presidente da Academia Brasileira de Letras, Ana Maria Machado, que vai falar às 19 horas sobre “A escrita do romance”. A programação prossegue até o próximo domingo, dia 22 de abril, das 9 as 21 horas. Informações pelo telefone (47) 3422-1133 e no site www.feiradolivro.com.br/site.

“Cultura e Educação” é tema central da programação, de 12 a 22 de abril

Em sua nona edição, evento tem curadoria do dramaturgo e escritor Alcione Araújo como
uma das novidades em 2012. O objetivo da feira, esse ano, é difundir o conceito
de “ler é conquistar a liberdade”.

Após oito anos, a Feira do Livro de Joinville vai inovar. A experiência acumulada e
a evolução das demandas da cidade revelaram a necessidade de aprimorar os meios
de estímulo à leitura, e o escritor Alcione Araújo aceitou o desafio de ser o
curador da 9ª edição, de 12 a 22 de abril, no complexo formado pelo Centro de
Exposições Edmundo Doubrawa e Teatro Juarez Machado do Centreventos Cau Hansen.

Nesta terça-feira, dia 14, a Comissão Organizadora faz o lançamento oficial da 9ª
Feira do Livro, durante encontro às 9h na Livraria Midas (Rua Dr. João Colin,
475 – Centro). Conforme Sueli Brandão, do Instituto Feira do Livro, no
lançamento será apresentada a estrutura e objetivos do evento. Informações pelo
telefone (47) 3422-1133.

Além da presença de autores consagrados e de personalidades da cultura nacional, a
Feira do Livro terá novidades visando a possibilitar o acesso do leitor a
publicações de vários gêneros a preços acessíveis, como o Vale-Livro, exposição
em homenagem ao centenário de Luiz Gonzaga, exposições, entre outras
atividades. A expectativa é atrair um público superior ao da edição 2011 (45
mil pessoas) durante os 10 dias de realização. O tema central da edição 2012 é
“Cultura e Educação”.

Sobre a curadoria

Romancista,dramaturgo, cronista, roteirista de cinema e TV, e ex-professor universitário,
Alcione Araújo é ativista do que ele chama de reconciliação entre educação e
cultura, tema sobre o qual tem escrito e falado.

Tendo a educação como preparação para a vida, e a literatura como metáfora da vida,
para o escritor educação e cultura são indissociáveis e indispensáveis como
processos complementares de apreensão do mundo, da vida e do conhecimento. É
essa interdependência que constrói a consciência da espécie humana, do homem,
do cidadão e do seu estar no mundo.  É convencimento universal que a
leitura não só liberta como dá a consciência da liberdade – ao indivíduo, sua
percepção subjetiva e suas emoções; ao espírito, à imaginação e transcendência,
ao cidadão, sua visão crítica e os seus direitos.

A proposta da Curadoria partiu da constatação de que, além de pujante pólo
industrial, Joinville tem moderno sistema educacional nos níveis fundamental e
médio, e nível superior como centro irradiador regional, o que a torna campo
fecundo para as práticas de leitura. A 9ª Feira do Livro vai manter o
compromisso de incentivar a leitura, utilizando estratégias de aproximação
entre escritores e público para debater idéias e celebrar a arte de escrever e
o prazer de ler.

A produção editorial brasileira estará exposta, à disposição dos compradores. A
despeito das sofisticadas estratégias de marketing, o livro continua sendo um
produto cultural dependente da formação do leitor e do hábito da leitura, para
que possa cumprir a função a que se destina. E tanto a leitura quanto o leitor
dependem do processo educacional. A falta de um e outro reflete a distância que
se instalou entre a educação e a cultura, as irmãs-siamesas recém-apartadas.

Para restaurar a convivência fraterna e indispensável entre elas, as discussões se
voltarão para o que antecede o livro: surgimento da vontade de escrever,
domínio da linguagem, processos de criação, formas de expressão, a construção
da história, a elaboração da emoção etc., esse conjunto de artifícios para
criar a mentira capaz de revelar verdades profundas sobre o ser humano e a
sociedade.

A Feira do Livro de Joinville é uma promoção do Instituto da Cultura, Educação, Esporte e Turismo, com patrocínio da Britania via Lei Nacional de Incentivo à Cultura, apoio da Associação Nacional de Livrarias, AN Escola, e co-realização da Prefeitura de Joinville, Fundação Cultural, Secretaria da Educação do Município, SESC e Ministério da Cultura.

Dicas para incentivar o seu filho a gostar ler

“Foi assim: eu brincava de construtora, livro era tijolo; em pé, fazia parede, deitado, fazia degrau de escada; inclinado, encostava em um outro e fazia telhado. E quando a casinha ficava pronta eu me espremia lá dentro pra brincar de morar em livro.” O relato é de Lygia Bojunga. Quando criança, ela fazia do livro um brinquedo. Já adulta, transformou-se em uma das principais escritoras brasileiras de livros infantis. A história de Lygia ilustra e comprova a teoria de que o contato com os livros desde cedo é importante para incentivar o gosto pela literatura.

Os benefícios da leitura são amplamente conhecidos. Quem lê adquire cultura, passa a escrever melhor, tem mais senso crítico, amplia o vocabulário e tem melhor desempenho escolar, dentre muitas outras vantagens. Por isso, é importante ler e ter contato com obras literárias desde os primeiros meses de vida. Mas como fazer com que crianças em fase de alfabetização se interessem pelos livros? É verdade que, em meio a brinquedos cada vez mais lúdicos e cheios de recursos tecnológicos, essa não é uma tarefa fácil. Mas pequenas ações podem fazer a diferença.

“O comportamento da família influencia diretamente os hábitos da criança. Se os pais leem muito, a tendência natural é que a criança também adquira o gosto pelos livros”, afirma Rosane Lunardelli, doutora em Estudos da Linguagem e professora Universidade Estadual de Londrina (UEL). A família tem o papel, portanto de mostrar para a criança que a leitura é uma atividade prazerosa, e não apenas uma obrigação, algo que deve ser feito porque foi pedido na escola, por exemplo. “As crianças precisam ser encantadas pela leitura”, diz Lucinea Rezende, doutora em Educação e também professora da UEL.

Para seduzir pela leitura, há diversas atividades que os pais e outros familiares podem colocar em prática com a criança e, assim, fazer do ato de ler um momento divertido. No período da alfabetização – antes dela e um pouco depois também -, especialistas sugerem que se misture a leitura com brincadeira, fazendo, por exemplo, representações da história lida, incentivando a criança a criar os próprios livros e pedindo que a criança ilustre uma história. “Para encantar as crianças pequenas, é essencial brincar com o livro”, recomenda Maria Afonsina Matos, coordenadora do Centro de Estudos da Leitura da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb). Maria Afonsina também dá uma dica: nunca reclame dos preços dos livros diante do seu filho. “O livro precisa ser valorizado”, diz ela.

Leia a seguir dicas para transformar o seu filho em fase de alfabetização em um pequeno grande leitor:

1- Respeite o ritmo de seu filho
2-Siga o gosto do seu filho
3-Faça passeios que tragam leitura para o cotidiano
4-Incentive a leitura antes de dormir
5- Improvise represnetações do livro
6-“Publique”o livro do seu filho
7-Organize um clube do livro
8- Ajude-o a ler melhor
9-Não pare de ler para ele
10-Frequente livrarias e bibliotecas

Educar para Crescer