Luta Antimanicomial – Joinville (SC) realiza a Semana de Conscientização e Orientação sobre Saúde Mental

Rede de Atenção Psicossocial confere integração e cidadania à saúde mental de Joinville
Rede de Atenção Psicossocial confere integração e cidadania à saúde mental de Joinville

Uma luta que iniciou há quase 30 anos terá uma semana especial a partir da segunda-feira (16/5) em Joinville: a luta antimanicomial. A cidade sediará entre os dias 16 a 20 de maio a Semana Municipal de Conscientização e Orientação sobre Saúde Mental conforme determina a Lei Municipal 6.246/2008.

A programação prevê palestras, exibição de filmes, exposições, palestras, e isso em vários locais da maior cidade catarinense. A luta pelo fim dos velhos manicômios, lugares onde se tratavam pessoas com transtornos mentais com muita crueldade, torturas iniciou em 1987 na cidade de Bauru em SP. Saiba um pouco mais sobre esta história:

Em 1987 realizou-se em Bauru/SP um encontro reunindo profissionais e usuários dos serviços de saúde mental existentes. A cidade de Joinville tinha um representante, quando iniciou o movimento de luta contra o então modelo de tratamento aos transtornos mentais,  hospitalocêntrico, marginalizante e desumano, abrindo os olhos sociais às histórias que marcaram esse período.

Torturas, discriminação, maus tratos, mortes e até homicídios dentro dos manicômios. A característica é que todos tinham porta de entrada e não havia portas de saída. Pessoas permaneciam por décadas internados às vezes sem motivo justificável, abandonados pelas famílias, pela sociedade e até pelos donos desses locais.

A base desse movimento sempre foi a melhoria do atendimentos a esses marginalizados, com acesso a tratamentos justos, humanizados e que não os segregassem do convívio com seus familiares e com a sociedade.

Um projeto de lei tramitou por mais de 10 anos no Congresso Nacional, um projeto que quando de sua aprovação foi conhecido como a Lei 10.216 de 2000, ou Lei Paulo Delgado, marco oficial da Reforma Psiquiátrica Brasileira.

Muitas foram as brigas pela aprovação dessa Lei e que continua sendo palco de embates entre os empresários da saúde, que sempre obtiveram lucro prestando um serviço sem nenhum compromisso técnico ou ético, e a organização dos profissionais, usuários e familiares dos serviços.

A Reforma Psiquiátrica sofreu um grande avanço até a atualidade, mas necessita ainda de avanços e garantias de continuidade.

Em Joinville, a atenção aos transtornos mentais era realizada até a década  de 1970 pelo Hospital Nossa Senhora da Glória, conhecido como Hospital Schroeder, que prestava um atendimento possível aos acometidos pelas doenças mentais, que veio a falir pois os poucos recursos de repasse não conseguiram ajudar da manutenção dessa referência.

Com a criação da Secretaria Municipal de Saúde em 1987 e a regulamentação gradativa do SUS, foi possível a construção de uma política de saúde municipal onde muitos técnicos participaram e a saúde mental fazendo parte desse início, contribuindo com a melhoria da atenção ofertada aos cidadãos.

A Saúde Mental contribuiria com as várias ações em saúde como: desenvolvimento dos recém nascidos, orientação a gestantes, hipertensos, diabéticos, além do atendimento à sua demanda específica com a implantação de tratamento especializado individual, grupal e em oficinas terapêuticas.

O serviço em Joinville já foi modelo de assistência em saúde mental para SC, e as ações ainda hoje possuem destaque junto às articulações no Ministério da Saúde.

A participação em conjunto com as políticas públicas, controle social, usuários e familiares propiciou um período de funcionamento de vários CAPS e outros equipamentos integrados às ações de equipes de saúde mental junto a nove regionais de saúde, chegando mesmo a não realizar nenhuma internação hospitalar fora do município durante um ano.

A base teórica e de política de saúde que a saúde mental traz é a participação efetiva na construção do atendimento intersetorial, entendendo que a promoção da saúde passa também pela construção da cidadania através da educação, assistência, habitação, segurança e principalmente inclusão social e combate às diversas discriminações.

Para os profissionais da área no município, no entanto, essa luta é uma batalha constante e infindável, visto que o principal objetivo é a garantia dos direitos básicos constitucionais.

As crises política e financeiras, a má gestão e as distorções oriundas de outros interesses econômicos tem, certamente ajudado no sucateamento das diversas áreas da atenção, mas o fôlego das pessoas que ajudaram a construir essa história é renovado todos os dias.

Participe da programação especial organizada, veja abaixo:

Semana Municipal de Conscientização e Orientação sobre Saúde Mental
De 16 a 20 de maio de 2016

“Por uma sociedade sem manicômios

PROGRAMAÇÃO

16/05/2016

CONFRATERNIZAÇÃO ESPORTIVA DA RAPS
Local: Ginásio Abel Schultz
Horário: 8:00 as 12:00hs

ABERTURA NA SEMANA  MUNICIPAL DE CONSCIENTIZAÇÃO E ORIENTAÇÃO SOBRE SAÚDE MENTAL
Horário 19:30hs
Local: Câmara de Vereadores

17/05/2016

TERRITÓRIO EM AÇÃO

CAPS infanto juvenil – Cuca Legal

– 9:00 – Sessão de Cinema
10:30Roda de Conversa
14:00 – Sessão de Cinema
15:30Roda de Conversa

CAPS II-  Nossa Casa –

aberto para familiares, UBS e comunidade

-9:00 – Café

-9:30 – Vídeo Apresentação do serviço e roda de conversa

– 9:30 às 11:00 – Saúde e Beleza

– Exposição de fotos

– Oficina – atividade manual

– Ação entre amigos – brechó aberto

– Exposição de trabalhos manuais produzidos no Caps

– Encerramento com uma atividade cultural ou recreativa

– 14:00 – Vídeo Apresentação do serviço e roda de conversa

– 14:00 às 15:30:

– Saúde e Beleza

– Exposição de fotos

CAPS III- Dê Lírios

9h às 12h -CAPS III aberto à visitação da comunidade.

9h às 11h -Ateliê aberto I: práticas do cotidiano.

10h –Dê-Lírios em Cena com a peça “Corrente do Bem”.

14h às 17h -CAPS III aberto à visitação da comunidade.

14 às 16h – Ateliê aberto II: práticas do cotidiano.

19h às 21h – CAPS III aberto à visitação da comunidade.

CAPS AD/ UA

9:00 às 12:00 – Serviço aberto para visitação do público externo e exposição quadros Tarsila do Amaral.

 

9:00 – Exibição Filme sobre Reforma Psiquiátrica aberto para usuários do CAPS ad.

14:00 às 17:00 – Serviço aberto para visitação do público externo e exposição quadros Tarsila do Amaral..
15:00– Atividade alusiva à Luta Antimanicomial com Técnico Aroldo aberto a todos os interessados (comunidade, outros serviços de Saúde Mental e familiares)

 

SOIS – Serviços Organizados de Inclusão Social

– Cinema – Shopping Muller

18/05/2016

III CURTA LOUCURA

Local: Praça Nereu Ramos – Centro

Horário: Das 10:00 ás 16:00hs

Atividades:

Show de talentos

Apresentação do Coral – ” Vozes do Bem”

Apresentação do Grupo ” Clave de SOIS”

Apresentações de Teatro

Dança Sênior

Exposição de Artesanato – “Lokos Por Bazar”

Distribuição de material informativo

19/05/2016

TERRITÓRIO EM AÇÃO

10:00 – Abertura da Sede da APSM – Associação Pró- Saúde Mental – Rua Engenheiro Niermayer, anexo ao PAPS.

CAPs infanto juvenil – Cuca Legal

-14:00 com a Comunidade e Palestra sobre Bullying com a convidada Vanessa Bencz.
CAPS II – Nossa Casa

9:00 Café

9:30 – 11:00 – Baile no Caps

Ação entre amigos – brechó aberto

Exposição de trabalhos manuais produzidos no Caps

Tarde

14:00 – 16:00 – Baile no Caps

16:00 – Café –

Ação entre amigos – brechó aberto

Exposição de trabalhos manuais produzidos no Caps

CAPS III – Dê Lírios

9h às 12h -CAPS III aberto à visitação da comunidade.

9h às 11h –ConVIVEndo I: práticas do cotidiano.

9h -Conversando sobre transtorno afetivo do humor: Marcelo Cavalcanti (psiquiatra).

12h -“CAPS III ?”: conversando com os trabalhadores do CREAS/Norte com Ana Lúcia Urbanski (terapeuta ocupacional, coordenadora do CAPS III). Local: CREAS Norte.

14h –Emergências Psiquiátricas: conversando com os trabalhadores dos PAs (Pronto Atendimento) com Marco Aurélio Engel (psiquiatra). Local: sala de grupos CAPS III.

14h às 17h -CAPS III aberto à visitação da comunidade.

14h às 16h – ConVIVEndo II: práticas do cotidiano.

CAPSAD/UA

9:00 – Roda de conversa – Reforma Psiquiátrica

Aberto a todos os interessados (comunidade, outros serviços de Saúde Mental e familiares)

14:00 – Exibição Filme “Dá pra fazer” e discussão com Técnica Geny aberto a todos os interessados (comunidade, outros serviços de Saúde Mental e familiares)

SOIS – Serviços Organizados de Inclusão Social

8:00 – 11:00 – Orientação e Conscientização sobre saúde mental– Semáforo da esquina com as ruas Pedro Lobo com Felipe Schmidt

20/05/2016

QUALIDADE DE VIDA DO SERVIDOR EM SAÚDE MENTAL

Local: Censupeg – Rua Ministro Calógeras, 192

Horários: turma 1 – 8:00 ás 10:00
turma 2 – 14:00 ás 16:00

Mais informações podem ser obtidas com Nasser Barbosa Aidar – (47) 3481-5121.

Esporte inclusivo: Jogos escolares paradesportivos começam na próxima quinta-feira (8/5) em Joinville (SC)

paradespOs Jogos Escolares Municipais Paradesportivos de Joinville serão realizados na próxima quarta-feira, dia 8 de maio. A 5ª edição do evento contará com número recorde de participantes: 38 escolas e 2 instituições. Ao todo, 312 alunos/atletas irão competir a partir das 9h, na pista de atletismo da Univille, no bairro Costa e Silva.

Os Jogos Paradesportivos são voltados para alunos com deficiência, com idade entre 6 e 18 anos, divididos por faixas etárias. A competição contemplará as provas de corrida de 50m, 100m, salto em distância e lançamento de pelota em suas respectivas categorias.

Independente da classificação de cada atleta, todos receberão medalha de participação. Além disso, a primeira escola/entidade inscrita e a com maior número de alunos competindo serão premiadas com troféu.

Joinville é pioneira em Santa Catarina na realização dos Jogos Escolares de Paradesporto. “A inclusão através do esporte é muito importante para o desenvolvimento destas crianças e adolescentes”, ressaltou a professora do setor de Paradeporto da Felej, Rosicler Ravache.

O evento é organizado pela Felej em parceria com a Secretaria da Educação. As inscrições, que eram gratuitas, foram encerradas no dia 25 de abril.

Os jogos estão previstos para acontecer das 9h às 12h. Os alunos participarão de provas divididas nas seguinte categorias:

Categoria A – 6 a 11 anos
Categoria B – 12 a 14 anos
Categoria C – 15 a 18 anos

Udesc Joinville retoma atividades do projeto Voo Livre após recesso

Após o recesso de julho, os integrantes do Projeto Voo Livre, da Udesc Joinville, foram recebidos com um café da manhã especial nesta terça-feira (31). A coordenadora, Angela Tereza Zorzo Dalpiva, deu as boas vindas e falou sobre as atividades que serão realizadas neste segundo semestre.

“Além das palestras com profissionais de diversas áreas, atividades físicas, do coral e das aulas de informática e poesia, teremos a participação do Museu do Sambaqui, contando um pouco sobre o acervo.”, contou Angela. Atualmente, cerca de 40 pessoas com mais de 60 anos de idade participam do Projeto Voo Livre. O grupo se encontra todas as terças e quinta-feiras pela manhã. O sucesso é tão grande, que a coordenação do projeto já estuda a possibilidade de abrir mais uma turma no próximo ano, visto que existe uma fila de espera para ingressar no projeto.

No reencontro dos colegas, na manhã desta terça-feira, o clima era de muita alegria. Uma das mais empolgadas era a aposentada Marli Iracema do Nascimento, que faz parte do projeto há quatro anos. “O Voo Livre faz parte da minha vida. Não me vejo fora daqui. É como uma família pra mim”. Marli conta que a atividade que mais gosta é a informática. Graças ao projeto aprendeu a usar o computador, que ganhou da filha. “Faço cartões para os amigos, passo e-mails e até estou nas redes sociais”, comemora.

Sisu: administração é o curso com mais vagas

O curso com maior número de vagas no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) é administração: 1.019. No total, são 30.548 vagas em 56 instituições públicas de ensino superior disponíveis para o segundo semestre de 2012. As inscrições seguem abertas até sexta-feira (22), exclusivamente pela internet.

O Sisu foi criado pelo Ministério da Educação para unificar a oferta de vagas em universidades públicas, que são disputadas a partir do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).  Podem participar desta edição estudantes que tenham feito o Enem 2011. Além dos cursos mais tradicionais como economia, engenharia e pedagogia, há oportunidades de formação em áreas como teatro, terapia ocupacional, história da arte e gastronomia. Em medicina e direito, cursos mais disputados nos vestibulares tradicionais, há 429 e 748 vagas, respectivamente.

Ao acessar o sistema, o candidato pode escolher duas opções de curso, indicando a sua prioridade. Ao longo do período de inscrições, ele pode visualizar a nota de corte preliminar de cada curso e sua classificação parcial. As opções de curso escolhidas previamente podem ser alteradas se o candidato achar que tem mais chances de ser aprovado em outra graduação ou instituição.

Até a manhã de ontem (19), 320 mil estudantes já tinham feito a inscrição. A lista dos aprovados será divulgada no dia 25 deste mês, e os alunos selecionados deverão fazer a matrícula nas instituições de ensino no período de 29 de junho a 2 de julho. Está prevista ainda uma segunda chamada para 6 de julho. Quem não for convocado em nenhuma das duas chamadas poderá participar de uma lista de espera que será usada pelas universidades para selecionar os alunos em caso de sobra de vagas.

Da Ag. Brasil

Natação Paraolímpica joinvilense vence circuito catarinense de maratona aquática

Após cinco etapas realizadas e mais de 8 mil metros nadados, a equipe Cepe/ Felej/ Krona conquistou neste final de semana o Circuito de Maratona Aquática de Santa Catarina, na modalidade paralímpica. A última competição aconteceu em Itá e determinou os resultados finais da competição que coroou o pódio, masculino e feminino, somente com nadadores da equipe joinvilense.

O Circuito de Maratona Aquática teve início no final de 2011 e passou por cinco cidades de Santa Catarina: Florianópolis, Imbituba, Balneário Camboriú, Porto Belo e Itá. Em todas elas, desde a primeira competição, o Cepe/Felej manteve a ponta do ranking nos dois naipes. “Foi uma grande surpresa, pois somos acostumados em provas de piscina”, revelou o técnico da equipe Vanderlei Quintino.

Com o final das provas, os atletas do CEPE foram os únicos que subiram ao pódio da premiação geral. Gustavo Gartz garantiu a primeira colocação no masculino, seguido por Ubirajara Tomazelli e Vanderlei Quintino, respectivamente. Já no feminino, Lediane Joaseiro foi à grande campeã, deixando Ana Paula Fernandes e Emanuella Pereira nas segundas e terceiras colocações. “O nosso elenco é formado por diversos atletas jovens, com média de idade em 17 anos. Temos muito a crescer e estamos extremamente felizes com o resultado”, completou Vanderlei.

Após o título, o pensamento do grupo vencedor retorna aos treinamentos, tendo como foco as Paralímpiadas Escolares, em abril, e os ParaJasc, em maio.

Ass. Imprensa Felej

Prioridade é incluir mulheres no mercado de trabalho, diz ministra

A ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Iriny Lopes, afirmou nesta quarta-feira (16) que a prioridade da pasta no momento precisa ser a inclusão de mulheres no mercado de trabalho.

Iriny lembrou que as mulheres representam a maioria da população brasileira, além de serem bem qualificadas profissionalmente. No entanto, segundo ela, as mulheres são maioria no mercado informal, ainda recebem um salário inferior ao dos homens para exercer uma mesma função e só representam 19% dos postos de comando e de direção em empresas.

– Precisamos muito mesmo do Congresso Nacional. Temos uma legislação já pronta para ser votada, que cria as condições de igualdade no mundo do trabalho. Ter um conjunto de leis próprias, que respalde as iniciativas, é fundamental agora.

A ministra destacou ainda a necessidade de um melhor cumprimento, por parte do Judiciário, da Lei Maria da Penha, que pune com maior rigor a violência doméstica contra a mulher.

Ela afirmou que o governo estuda a instalação de delegacias especializadas, núcleos de atendimento e casas abrigo também na zona rural do país. Mas as ações, segundo Iriny, dependem da “boa vontade” de prefeituras e governos estaduais.

– Se a situação das mulheres é difícil nos centros urbanos, nos rincões torna-se mais grave. Nem pedir socorro ao vizinho é possível.

Outro tema de relevância apontado pela ministra é a reforma política. De acordo com ela, é preciso ousar para que as mulheres possam disputar eleições em igualdade de condições. A ideia, segundo Iriny, é ampliar não apenas o número de candidatas, mas assegurar um percentual reservado de vagas no Congresso Nacional.

– Também precisamos de mais prefeitas, mais governadoras, não só de deputadas e senadoras.

Da Agência Brasil