Florianópolis – Transporte Coletivo volta dia 17/6 na capital com check-in

A Prefeitura de Florianópolis, por meio da Secretaria de Saúde e de Mobilidade e Planejamento Urbano informa que mais de 6 mil pessoas já fizeram o cadastro na plataforma de check-in para registro via QRCODE da utilização do transporte coletivo. Os ônibus voltam a circular na Capital dia 17 de junho.

A ação torna possível fazer o monitoramento de quem está utilizando os serviços e se preciso, fazer a testagem dos passageiros caso haja casos confirmados e segundo a orientação da Vigilância Epidemiológica.
Os cadastros, são voluntários e devem ser feitos antecipadamente pelo link: covidometrofloripa.com.br/qrcode, com e-mail, telefone, e outros dados pessoais para identificação dos passageiros.

O registro é anônimo e essa identificação será feira por meio de códigos. 
A plataforma WEB é uma solução tecnológica desenvolvida por uma startup de Florianópolis, a Smart Tour.  A solução foi vice-campeã das Américas em um Challenge Global e selecionada pela ONU, OMS e OMT, como TOP 10 mundial no combate ao COVID-19 entre 1183 soluções de 120 países.

Para a volta a circulação do transporte coletivo na capital várias medidas estão sendo preparadas. Apenas 40% da lotação será permitida, haverão horários diferenciados e fiscalização online por câmeras existentes nos ônibus. Higienização com alcool gel será permanente, uso de máscaras obrigatório também.

Parado há quase três meses devido à pandemia do novo coronavírus, o transporte coletivo será retomado em Florianópolis em uma semana, no próximo dia 17. Em princípio, o serviço funcionará em fase de teste durante o período de atá 14 dias, de acordo com a Prefeitura da Capital, que determinou novas regras para a utilização dos veículos, definidas pelas equipes da Secretaria Municipal de Saúde.

Nesta primeira etapa do retorno, os ônibus vão circular pela cidade apenas de segunda a sexta-feira e não poderão exceder a ocupação de 40% por veículo, segundo informações do município. O cartão estudante estudante não será aceito, informa a Secretaria Municipal de Mobilidade, já que as aulas permanecem suspensas na cidade. Com as medidas, a prefeitura espera reduzir significativamente a demanda pelo transporte coletivo e focar no serviço somente para quem realmente precisa para o trabalho ou emergências.

Cuidados
Todos os ônibus da Capital que estarão em circulação a partir do dia 17 de junho terão um dispenser de álcool gel e não aceitarão pagamento em dinheiro dentro do veículo.

A Prefeitura de Florianópolis explica que o consórcio responsável pelo transporte na cidade venderá cartões pré-pagos nos terminais e por telefone, com envio por delivery.

Mais de 6.000 pessoas já fizeram o cadastro na plataforma de check-in para registro via QR Code da utilização do transporte coletivo na cidade – PMF

Os veículos também passarão por sistema especial de higienização ao longo do dia, de acordo com a Prefeitura de Florianópolis. O uso de máscara será obrigatório dentro do ônibus, nos terminais e nos pontos de parada. Por isso, lanchonetes e alimentação nessas dependências não serão permitidas. Como todos os veículos têm câmeras, a fiscalização da Prefeitura de Florianópolis será rigorosa na exigência da máscara e da ocupação adequada dos ônibus.

Além da redução de procura pelo serviço, a Prefeitura, em conjunto com entidades do setor produtivo, dividiu a abertura e fechamento das empresas e entidades em oito grupos para evitar que se tenha horários de pico. O prefeito Gean Loureiro (DEM) afirma que as medidas poderão ser revogadas caso a população não siga as orientações.

Arte é arma no enfrentamento à Covid-19 em Florianópolis (SC)

A semana começou mais colorida em Santo Antônio de Lisboa, em Florianópolis. Um grupo de artistas plásticos se uniu para conscientizar os moradores e visitantes sobre a importância do uso da máscara em tempos de pandemia. Com material reciclável, restos de madeira e tintas de todas as cores, os artesãos fizeram placas com mensagens sobre o uso dos EPI’s – Equipamentos de Proteção Individual e dizeres lembrando que o amanhã será melhor.

A presidente da Aartesal – Associação dos Artistas e Artesãos de Santo Antônio de Lisboa, Liliane Motta da Silveira, é a coordenadora deste movimento que está sendo chamado de “Superação Santo Antônio de Lisboa”, que também envolve a Amsal – Associação dos Moradores da praia, onde atua como diretora de Cultura. “Sentimos a necessidade de fazer alguma coisa, exercer a cidadania. Muitas pessoas estavam sem máscaras pelas ruas e pensamos em trabalhar com a consciência coletiva. Isto é empatia, se colocar no lugar do outro”, destacou. O grupo também montou pontos de distribuição de máscara. 

O movimento também tem a preocupação de manter a cultura do bairro pulsando. “Mudamos um pouco e começamos ações imediatas de atenção aos artesãos e artistas, ligados ao distrito e redondezas. Estamos fazendo ‘lives’ mostrando os produtos de cada um. Agora vamos começar uma vitrine ‘on line’. Neste momento, tão importante quanto o sustento é manter o artista vivo na sua essência. Não deixar que a chama criativa se extinga”, concluiu Liliane. 

Neste momento tão crucial para a humanidade, a arte e união dos artistas na conscientização só reafirma que nada somos sem solidariedade, arte e iniciativa. Interessados em conhecer, apoiar e divulgar esta iniciativa dos artistas deste lindo bairro histórico de Florianópolis pode fazer contato com Liliane – Liliane Motta da Silveira – 48 98852-3668. Juntos vamos vencer mais este desafio. Parabéns a este povo que deixa a vida mais leve em qualquer momento!

Selo de Qualidade para restaurantes em Floripa

A gastronomia é um dos pontos fortes de qualquer cidade turística no mundo, e um indicador importante para a qualificação que o turista dá à cidade, região, estado ou país quando o visita, ou a visita. Florianópolis busca qualificar o setor da gastronomia agora instituindo um selo de qualidade para a procedência e preparo dos pescados.

A Secretaria de Turismo, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico iniciou uma campanha para incentivar o registro de restaurantes no Serviço de Inspeção Municipal (SIM). Equipes da prefeitura, em parceria com a Vigilância Sanitária vão visitar estabelecimentos e conscientizar sobre a importância do registro.

O selo do serviço atesta a qualidade e procedência dos pescados e garante que o beneficiamento (higiene, acondicionamento, embalagem e rotulagem) dos alimentos seguiu uma série de boas práticas. Pescadores que fornecem pescados para restaurantes e que realizam esse processo antes da venda, são obrigados por lei, a apresentarem o registro no SIM.

Os restaurantes que optam por serem os responsáveis por esse beneficiamento também são obrigados por lei, a apresentar o selo.

Com a campanha “Diga SIM ao SIM”, a Prefeitura de Florianópolis quer educar os restaurantes sobre a importância da garantia da procedência dos pescados.

“Essas ações visam garantir que os alimentos não apresentem riscos à saúde da população e que tenham sua procedência e qualidade garantida. ”, explica o superintendente de Pesca, Maricultura e Agricultura, Adriano Weickert.

De acordo com a lei 555/2016 e decreto 18.185/2017 que regulamenta a legislação em Florianópolis, os restaurantes devem comprovar procedência da matéria-prima dos alimentos comercializados no local. Se encontrado em situação irregular, o estabelecimento pode receber intimação ou auto de infração da vigilância sanitária e passa a responder processo administrativo.

Sem dúvidas é uma medida acertada, mas que precisa da adesão tanto de quem pesca e vende, quanto de quem compra e prepara os pescados para o consumidor final. Outra atitude que a Prefeitura da Capital precisa tomar e com grande urgência é a qualificação dos trabalhadores no setor de turismo como um todo. Na média, o atendimento deixa a desejar por diversos fatores.