ABO Joinville (SC) dá posse a nova diretoria e promove capacitação

meeting-logisticsA Associação Brasileira de Odontologia, regional de Joinville, promove nesta sexta-feira o 1º Meeting Joinv ilense  de Odontologia. A atividade vai ocorrer no Hotel Bourbon, em dois momentos: das 14 às 21 horas, a programação vai oferecer dois cursos de capacitação aos profissionais da área, ministradas pelos professores-doutores Mário Groisman (RJ) e Luiz Narciso Baratieri (SC); às 21h30, a posse da diretoria da ABO Joinville, liderada pelo cirurgião-dentista Sérgio Fortuna na presidência.

O evento em Joinville vai contar com as presenças dos presidentes da ABO Nacional Luiz Fernando Varrone, da ABO/SC Murilo Ferreira Lima, e do Conselho Regional de Odontologia de Santa Catarina Élito Araújo. Inscrições pelo site www.abojlle.com.br e informações pelo telefone (47) 9964-1716.

Dilma anuncia ampliação do Brasil Sorridente

Entre as iniciativas, está a distribuição de mil consultórios móveis para levar atendimento odontológico a locais carentes, dentro do Brasil sem Miséria

A presidenta Dilma Rousseff e o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, divulgaram nesta sexta-feira (10), no município de Rio Pardo de Minas (MG), um conjunto de ações e novos investimentos para expandir o programa Brasil Sorridente, que oferece tratamento dental gratuito pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “Aqui é um momento muito especial, com essa iniciativa mostramos que quando se quer e se faz uma política pública correta, podemos dar uma saúde integral a todo cidadão brasileiro”, declarou a presidenta.

O ministro Alexandre Padilha lembrou que o Brasil é o único país que contempla a Saúde Bucal dos cidadãos de forma gratuita. “O Brasil Sorridente é o maior programa de saúde bucal do mundo. Nenhum país tem esse serviço público voltado para a saúde bucal, com 22 mil equipes especializadas para atender toda a população”, destacou.

Até 2014, serão entregues mil Unidades Odontológicas Móveis (UOMs) para municípios integrantes do Brasil sem Miséria. Cada unidade funciona como um consultório odontológico móvel, instalado numa van adaptada, que circula por regiões em que a população tem dificuldade de acesso a tratamentos de saúde bucal, com capacidade para realizar até 350 atendimentos por mês. As novas unidades móveis vão aumentar em mais de cinco vezes a capacidade atual de atendimento, que é de 181 veículos em situação atualmente.

O anúncio ocorreu durante visita da presidenta aos mutirões de próteses dentárias de Rio Pardo de Minas (MG). A ação, que está ocorrendo em diversos estados, contribuiu para elevar em 85% a distribuição de próteses dentárias em 2011 em comparação com 2010 – de 183 mil para 340 mil próteses. A previsão é chegar a 400 mil unidades até o final do ano em 1.304 municípios.

Padilha lembrou ainda que a entrega de próteses, assim como os serviços prestados pelo Brasil Sorridente, é mais que uma ação de saúde. “Hoje, a nossa meta é levar para as pessoas o direito de sorrir e cuidar da saúde bucal e com isso garantir a inclusão social e a autoestima”, destacou.

Além de Rio Pardo de Minas (MG), a cerimônia ocorreu de forma simultânea em outros quatro municípios: Ananindeua (PA), Santo Antônio da Platina (PR), Caxias do Sul (RS) e Água Branca (PI).

Na ocasião, o ministro Padilha assinou portaria que reajusta os procedimentos relacionados à Prótese Dentária, passando, a partir de agosto, dos atuais R$ 100 para R$ 150. O impacto financeiro anual dessa medida para o Ministério da Saúde será de R$ 16,4 milhões.

Outra medida de fortalecimento do Programa Brasil Sorridente, é a destinação de R$ 3,6 bilhões para ampliação do número de equipes de Saúde Bucal e de Centros de Especialidades Odontológicas (CEO).

BRASIL SORRIDENTE – Lançado em 2004, o Programa Brasil Sorridente – integrante da Política Nacional de Saúde Bucal — implantou, pela primeira vez, políticas e ações de promoção, prevenção e recuperação da saúde bucal dos brasileiros. O aumento da oferta de serviços públicos de saúde bucal e de ações preventivas poupou a extração de 400 mil dentes, por ano, no País. Hoje, o programa está presente em quase 90% das cidades das cinco regiões.

As equipes de saúde bucal – compostas por cirurgião-dentista, auxiliar de saúde bucal e técnico de saúde bucal – realizam, além do tratamento clínico, ações de promoção e prevenção à saúde junto às comunidades. Caso necessitem de tratamento odontológico mais complexo, os pacientes são encaminhados aos CEOs, onde têm acesso a cirurgias ou a tratamentos de canal, por exemplo, ou aos laboratórios regionais de prótese.

Em todo o País, há Laboratórios Regionais de Próteses Dentárias em 1.304 municípios, 21,7 mil equipes de saúde bucal integradas à rede de atenção básica e 901 Centros de Especialidades Odontológicas. Em 2011, foram realizados mais de 150 milhões de atendimentos odontológicos na rede pública.

Do Portal da Saúde

Dentistas são proibidos de usar “botox” para fins estéticos

A partir de hoje (5), dentistas estão proibidos de usar a toxina botulínica, mais conhecida como botox, e o ácido hialurônico, aplicado contra rugas, para fins estéticos. O veto é do Conselho Federal de Odontologia, publicado hoje no Diário Oficial da União.

De acordo com a resolução, os dentistas podem usar a toxina somente em casos terapêuticos. O ácido está proibido em qualquer tipo de tratamento. O conselho argumenta que o preenchimento facial ou labial para correção estética não é atividade de cirurgião-dentista. Outro argumento é a falta de estudos sobre a segurança do uso dessas substâncias em tratamentos odontológicos.

O presidente do conselho, Ailton Morilhas, disse que o objetivo da resolução é reforçar o que o cirurgião-dentista está autorizado ou não a fazer. Segundo ele, o conselho federal não tem conhecimento de casos de uso irregular das substâncias por dentistas. “Antes de ocorrerem problemas decidimos nos antecipar. É proteger a saúde do cidadão”.

“A literatura até o momento não oferece condições seguras de utilização destas substâncias e há falta de evidência científica na área odontológica”, diz a resolução. “Não há nenhuma norma ou legislação que ampare o cirurgião-dentista no emprego de técnicas ou medicações para preenchimento facial ou labial em sua área de atuação, com finalidade eminentemente estética, com emprego de substâncias como ácido hialurônico e toxina botulínica”.

Segundo o código de ética da categoria, constitui infração quando o dentista oferece tratamento ao qual não tem capacitação ou executa, mesmo que em um hospital, cirurgia fora do âmbito da odontologia.

Da Ag. Brasil

Número de dentistas no SUS cresce 49% em sete anos

saude-bucalBoa notícia que lí na Agência Brasil e compartilho com os leitores. A saúde bucal é fundamental para a saúde de todo o corpo. Ao ampliar o número de profissionais, aumenta o alcance da prevenção e promoção da recuperação da boca dos brasileiros… Leiam:

A quantidade de dentistas vinculados ao Sistema Único de Saúde (SUS) cresceu 49% entre 2002 e 2009. Nesse período, o número de profissionais passou de 40.205 para 59.958, mais de 19 mil contratações. Os dados foram divulgados esta semana pelo Ministério da Saúde e fazem parte de uma pesquisa realizada durante o ano de 2009.

Segundo o coordenador nacional de Saúde Bucal do Ministério da Saúde, Gilberto Pucca, a expansão dos serviços públicos na área de odontologia é consequência do investimento no Programa Brasil Sorridente.

O coordenador afirma que essa é a primeira vez que o país tem uma política pública de saúde bucal. “O Brasil tem uma história de quase total abandono [com a saúde bucal], só quem tinha dinheiro fazia tratamento odontológico.”

A dona de casa Marinalva Salviano, moradora do Riacho Fundo, uma das cidades satélites do Distrito Federal, diz estar muito feliz com o tratamento que está fazendo na Diretoria de Saúde do Trabalhador (Disat), um dos seis Centros de Especialidades Odontológicas (CEO) implantados pelo ministério na região.

“Não teria condições de pagar esse tratamento se ele fosse particular. Estou gostando muito do atendimento e já me sinto bem melhor, estou muito satisfeita”, diz Marinalva.

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil Sorridente recebeu, entre 2003 e 2006, investimentos de mais de R$ 1,2 bilhão. Entre 2007 e 2010, o montante investido alcançará cerca de R$ 2,7 bilhões.

Com o crescente investimento, o número de Equipes de Saúde Bucal passou de 4.261 para 18.982, atendendo a 84,8% das cidades brasileiras. As equipes são responsáveis pelo primeiro atendimento e procedimentos simples, como extração dentária, restauração, pequenas cirurgias e aplicação de flúor.

O número de Centros de Especialidades Odontológicas também cresceu, passando de 100 para 808 entre 2004 e 2009. Os CEOs atendem pacientes com necessidades especiais e fazem tratamento de canal e de gengiva, diagnóstico de câncer bucal e colocação de prótese dentária.

Mesmo com o aumento de profissionais, a espera para receber atendimento ainda é grande. Marinalva, por exemplo, demorou três anos para conseguir iniciar seu tratamento. “Só é difícil chegar aqui. Fiz a inscrição no posto de saúde há três anos e só agora consegui”, explica.

De acordo com o ministério, o programa Brasil Sorridente já atendeu mais de 90 milhões de brasileiros. “Temos um aumento significativo no atendimento, porém ainda temos que alcançar metade da população”, ressalta Gilberto Pucca.

O Brasil Sorridente é o principal programa da Política Nacional de Saúde Bucal do governo federal e tem o objetivo de garantir ações de promoção, prevenção e recuperação da saúde bucal dos brasileiros, com tratamento odontológico gratuito por meio do SUS.”