Café Beneficente nesta quinta-feira (26/7) em favor do Lar Betânia

Nesta quinta-feira (dia 26), acontece a 4ª edição do Café Beneficente em prol do Lar de Idosos Betânia, promovido pela Câmara Setorial de Empreendedoras da CDL Joinville. O evento pretende arrecadar recursos para contribuir na manutenção desta importante instituição sem fins lucrativos. A confraternização será às 15h30min, no Restaurante Família Holz, localizado na rua Saguaçu, 212 – bairro Saguaçu (anexo a AJAO e próximo ao Zoobotânico), em Joinville.

Os ingressos estão à venda nas lojas associadas à Câmara Setorial de Empreendedoras da CDL Joinville: Atrevida Confecções (Centro), Auto Peças Juquinha (Iririú), Bazar Beija Flor (Centro), Cantinho da Dilce (Itaum), Cida Modas (América), Dide Modas – loja 1 e 2 (Boa Vista), Elegance Modas (Saguaçu), GM Modas (Santa Catarina), Isabel Modas (Floresta), Joyce Modas (Aventureiro), Magazine Brasília (Centro), Marulo Roupas e Acessórios (Centro), Moda Viva (Centro), Primavera Sport Center (Costa e Silva e Guanabara), Sedução Moda (Centro), Tiane Modas (Itaum), Vanessa Modas (Boa Vista) e Victhoria Magazine (Centro). Mais informações pelo telefone (47) 3461-2515.

Café Beneficente em favor do Lar de Idosos Betânia

A 4ª edição do Café Beneficente em prol do Lar de Idosos Betânia, promovido pela Câmara Setorial de Empreendedoras da CDL Joinville, está marcado para o dia 26 de julho. O evento pretende arrecadar recursos para contribuir na manutenção desta importante instituição sem fins lucrativos.

A confraternização será às 15h30min, no Restaurante Família Holz, localizado na rua Saguaçu, 212 – bairro Saguaçu (anexo a AJAO e próximo ao Zoobotânico), em Joinville.

Os ingressos já estão à venda nas lojas associadas à Câmara Setorial de Empreendedoras da CDL Joinville: Atrevida Confecções (Centro), Auto Peças Juquinha (Iririú), Bazar Beija Flor (Centro), Cantinho da Dilce (Itaum), Cida Modas (América), Dide Modas – loja 1 e 2 (Boa Vista), Elegance Modas (Saguaçu), GM Modas (Santa Catarina), Isabel Modas (Floresta), Joyce Modas (Aventureiro), Magazine Brasília (Centro), Marulo Roupas e Acessórios (Centro), Moda Viva (Centro), Primavera Sport Center (Costa e Silva e Guanabara), Sedução Moda (Centro), Tiane Modas (Itaum), Vanessa Modas (Boa Vista) e Victhoria Magazine (Centro). Mais informações nos telefones (47) 3461-2515 (com Marcos ou Jéssica).

Da Ass. CDL Joinville

Trabalhador rural receberá pausa para café como tempo à disposição do empregador

A pausa de 40 minutos para café durante a jornada do trabalhador rural é computada como tempo à disposição do empregador e, portanto, é remunerada. A tentativa da Cofercatu Cooperativa Agroindustrial de mudar decisão que a condenou ao pagamento de horas extras por esse intervalo não obteve sucesso no Tribunal Superior do Trabalho, pois a Quinta Turma do TST negou provimento ao agravo de instrumento interposto pela empresa.

Inicialmente, o pedido do trabalhador para que o tempo da pausa fosse reconhecido como hora extra foi rejeitado pela Vara do Trabalho de Porecatu (PR). O juízo fixou a jornada de trabalho do autor das 7h às 16h, com 60 minutos de intervalo para almoço e quarenta minutos de intervalo para o café. Ao estipular as diretrizes a serem adotadas para o pagamento de horas extras, excluiu o intervalo intrajomada. No entanto, após recurso ao Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região (PR), a pretensão foi deferida.

Segundo o TRT, o artigo 4° da CLT estabelece claramente que todo tempo em que o empregado estiver à disposição do empregador, aguardando ou executando ordens, deve ser computado em sua jornada de trabalho. No caso da Cofercatu, o Regional entendeu que o tempo de 40 minutos destinado ao café da tarde não deveria ser considerado como intervalo intrajornada. Para isso, baseou-se na Súmula 118 do TST, segundo a qual os intervalos concedidos pelo empregador não previstos em lei representam tempo à disposição da empresa e são remunerados como serviço extraordinário, se acrescidos ao final da jornada.

A empresa, então, interpôs recurso de revista, cujo seguimento foi negado pelo TRT9. Em seguida, apresentou agravo de instrumento ao TST para que o recurso fosse examinado pela Quinta Turma. A Cofercatu sustentou que não se aplicava ao caso o entendimento baseado na Súmula 118 do TST, argumentando que a pausa para o café tem previsão legal, no artigo 5º da Lei 5.889/1973, que regulamenta o trabalho rural.

O relator do agravo, ministro Emmanoel Pereira, porém, adotou os mesmos fundamentos do despacho do TRT9 que negou seguimento ao recurso, e considerou correta aplicação da Súmula 118. O ministro destacou que o artigo 5º da Lei 5.889/1973 define como obrigatória a concessão de intervalo para repouso ou alimentação, e concluiu que, não havendo previsão legal da pausa para o café – intervalo extra concedido pela empresa -, é perfeitamente aplicável ao caso a Súmula 118. Citou ainda precedente do ministro Lelio Bentes Corrêa no mesmo sentido. Em decisão unânime, a Quinta Turma negou provimento ao agravo de instrumento interposto pela empresa.

TST

Beber café reduz risco de câncer de próstata

Um estudo realizado por cientistas da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, revela que os homens que têm o hábito diário de beber café correm menos risco de desenvolver câncer na próstata.

Os cientistas acompanharam 47.911 homens que informavam quantas xícaras consumiam diariamente. A pesquisa revelou que aqueles que bebiam seis ou mais porções por dia têm possibilidade quase 20% menor de de-senvolver câncer na próstata nas próximas duas décadas do que aqueles que não bebem café.

Além disso, os que tomam a bebida com frequência têm 60% de chances de não desenvolver uma forma letal da doença. “Cada homem que beber de uma a três xícaras de café por dia pode ser beneficiado com 30% a menos de chance de desenvolver câncer letal na próstata, não importa se o café é descafeinado ou não”, diz o estudo.

A pesquisa foi divulgada no Jornal do Instituto Nacional do Câncer (EUA) e é uma das primeiras a ligar o consumo de café a um risco menor de desenvolver a doença.

O café é uma das mais importantes fontes de antioxidantes. Outro estudo revela que a bebida traz outros benefícios para a saúde, como um menor risco de desenvolver a diabetes tipo dois.

Destak Jornal

Aceita um cafezinho?

cafezinhoO café faz parte do nosso dia-a-dia. No café da manhã, em uma reunião de negócios, quando recebemos uma visita em nossas casas, nas empresas, depois das refeições, ou quando queremos dar “aquela paradinha” no nosso trabalho.

O café é uma das bebidas mais populares. Seu sabor e aroma são apreciados no mundo todo. Ele é servido tradicionalmente quente, mas também pode ser consumido gelado.

Ele é uma bebida muito importante para o Brasil. Somos o maior produtor mundial de café e o segundo maior consumidor, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

De onde veio esta bebida tão apreciada? Ela tem suas origens bem longe, na Abissínia (Etiópia). Antes do século XVII nenhuma muda de café havia sido plantada na África e Arábia. Somente há três séculos chegou ao mundo ocidental. Chegando primeiro a Veneza, o café foi conquistando as cidades da Europa e depois a América, mudando então o estilo de vida daquela época.

O café chegou ao Brasil por volta de 1727 e, já no final do século, o país adqüiriu supremacia na produção mundial de café, o que acontece até os nossos dias.

O café faz bem ou mal à saúde? A ação do café no organismo humano é discutida atualmente por muitas pesquisas científicas, mas as evidências são que o café tem uma influência positiva no corpo humano.

Enquanto as pesquisas continuam, vamos beber o nosso cafezinho em quantidades equilibradas. Tudo em excesso pode fazer mal. Em quantidades moderadas (até 04 xícaras por dia), a cafeína não é prejudicial à saúde humana.

Portal Terceira Idade