Luta Antimanicomial – Joinville (SC) realiza a Semana de Conscientização e Orientação sobre Saúde Mental

Rede de Atenção Psicossocial confere integração e cidadania à saúde mental de Joinville
Rede de Atenção Psicossocial confere integração e cidadania à saúde mental de Joinville

Uma luta que iniciou há quase 30 anos terá uma semana especial a partir da segunda-feira (16/5) em Joinville: a luta antimanicomial. A cidade sediará entre os dias 16 a 20 de maio a Semana Municipal de Conscientização e Orientação sobre Saúde Mental conforme determina a Lei Municipal 6.246/2008.

A programação prevê palestras, exibição de filmes, exposições, palestras, e isso em vários locais da maior cidade catarinense. A luta pelo fim dos velhos manicômios, lugares onde se tratavam pessoas com transtornos mentais com muita crueldade, torturas iniciou em 1987 na cidade de Bauru em SP. Saiba um pouco mais sobre esta história:

Em 1987 realizou-se em Bauru/SP um encontro reunindo profissionais e usuários dos serviços de saúde mental existentes. A cidade de Joinville tinha um representante, quando iniciou o movimento de luta contra o então modelo de tratamento aos transtornos mentais,  hospitalocêntrico, marginalizante e desumano, abrindo os olhos sociais às histórias que marcaram esse período.

Torturas, discriminação, maus tratos, mortes e até homicídios dentro dos manicômios. A característica é que todos tinham porta de entrada e não havia portas de saída. Pessoas permaneciam por décadas internados às vezes sem motivo justificável, abandonados pelas famílias, pela sociedade e até pelos donos desses locais.

A base desse movimento sempre foi a melhoria do atendimentos a esses marginalizados, com acesso a tratamentos justos, humanizados e que não os segregassem do convívio com seus familiares e com a sociedade.

Um projeto de lei tramitou por mais de 10 anos no Congresso Nacional, um projeto que quando de sua aprovação foi conhecido como a Lei 10.216 de 2000, ou Lei Paulo Delgado, marco oficial da Reforma Psiquiátrica Brasileira.

Muitas foram as brigas pela aprovação dessa Lei e que continua sendo palco de embates entre os empresários da saúde, que sempre obtiveram lucro prestando um serviço sem nenhum compromisso técnico ou ético, e a organização dos profissionais, usuários e familiares dos serviços.

A Reforma Psiquiátrica sofreu um grande avanço até a atualidade, mas necessita ainda de avanços e garantias de continuidade.

Em Joinville, a atenção aos transtornos mentais era realizada até a década  de 1970 pelo Hospital Nossa Senhora da Glória, conhecido como Hospital Schroeder, que prestava um atendimento possível aos acometidos pelas doenças mentais, que veio a falir pois os poucos recursos de repasse não conseguiram ajudar da manutenção dessa referência.

Com a criação da Secretaria Municipal de Saúde em 1987 e a regulamentação gradativa do SUS, foi possível a construção de uma política de saúde municipal onde muitos técnicos participaram e a saúde mental fazendo parte desse início, contribuindo com a melhoria da atenção ofertada aos cidadãos.

A Saúde Mental contribuiria com as várias ações em saúde como: desenvolvimento dos recém nascidos, orientação a gestantes, hipertensos, diabéticos, além do atendimento à sua demanda específica com a implantação de tratamento especializado individual, grupal e em oficinas terapêuticas.

O serviço em Joinville já foi modelo de assistência em saúde mental para SC, e as ações ainda hoje possuem destaque junto às articulações no Ministério da Saúde.

A participação em conjunto com as políticas públicas, controle social, usuários e familiares propiciou um período de funcionamento de vários CAPS e outros equipamentos integrados às ações de equipes de saúde mental junto a nove regionais de saúde, chegando mesmo a não realizar nenhuma internação hospitalar fora do município durante um ano.

A base teórica e de política de saúde que a saúde mental traz é a participação efetiva na construção do atendimento intersetorial, entendendo que a promoção da saúde passa também pela construção da cidadania através da educação, assistência, habitação, segurança e principalmente inclusão social e combate às diversas discriminações.

Para os profissionais da área no município, no entanto, essa luta é uma batalha constante e infindável, visto que o principal objetivo é a garantia dos direitos básicos constitucionais.

As crises política e financeiras, a má gestão e as distorções oriundas de outros interesses econômicos tem, certamente ajudado no sucateamento das diversas áreas da atenção, mas o fôlego das pessoas que ajudaram a construir essa história é renovado todos os dias.

Participe da programação especial organizada, veja abaixo:

Semana Municipal de Conscientização e Orientação sobre Saúde Mental
De 16 a 20 de maio de 2016

“Por uma sociedade sem manicômios

PROGRAMAÇÃO

16/05/2016

CONFRATERNIZAÇÃO ESPORTIVA DA RAPS
Local: Ginásio Abel Schultz
Horário: 8:00 as 12:00hs

ABERTURA NA SEMANA  MUNICIPAL DE CONSCIENTIZAÇÃO E ORIENTAÇÃO SOBRE SAÚDE MENTAL
Horário 19:30hs
Local: Câmara de Vereadores

17/05/2016

TERRITÓRIO EM AÇÃO

CAPS infanto juvenil – Cuca Legal

– 9:00 – Sessão de Cinema
10:30Roda de Conversa
14:00 – Sessão de Cinema
15:30Roda de Conversa

CAPS II-  Nossa Casa –

aberto para familiares, UBS e comunidade

-9:00 – Café

-9:30 – Vídeo Apresentação do serviço e roda de conversa

– 9:30 às 11:00 – Saúde e Beleza

– Exposição de fotos

– Oficina – atividade manual

– Ação entre amigos – brechó aberto

– Exposição de trabalhos manuais produzidos no Caps

– Encerramento com uma atividade cultural ou recreativa

– 14:00 – Vídeo Apresentação do serviço e roda de conversa

– 14:00 às 15:30:

– Saúde e Beleza

– Exposição de fotos

CAPS III- Dê Lírios

9h às 12h -CAPS III aberto à visitação da comunidade.

9h às 11h -Ateliê aberto I: práticas do cotidiano.

10h –Dê-Lírios em Cena com a peça “Corrente do Bem”.

14h às 17h -CAPS III aberto à visitação da comunidade.

14 às 16h – Ateliê aberto II: práticas do cotidiano.

19h às 21h – CAPS III aberto à visitação da comunidade.

CAPS AD/ UA

9:00 às 12:00 – Serviço aberto para visitação do público externo e exposição quadros Tarsila do Amaral.

 

9:00 – Exibição Filme sobre Reforma Psiquiátrica aberto para usuários do CAPS ad.

14:00 às 17:00 – Serviço aberto para visitação do público externo e exposição quadros Tarsila do Amaral..
15:00– Atividade alusiva à Luta Antimanicomial com Técnico Aroldo aberto a todos os interessados (comunidade, outros serviços de Saúde Mental e familiares)

 

SOIS – Serviços Organizados de Inclusão Social

– Cinema – Shopping Muller

18/05/2016

III CURTA LOUCURA

Local: Praça Nereu Ramos – Centro

Horário: Das 10:00 ás 16:00hs

Atividades:

Show de talentos

Apresentação do Coral – ” Vozes do Bem”

Apresentação do Grupo ” Clave de SOIS”

Apresentações de Teatro

Dança Sênior

Exposição de Artesanato – “Lokos Por Bazar”

Distribuição de material informativo

19/05/2016

TERRITÓRIO EM AÇÃO

10:00 – Abertura da Sede da APSM – Associação Pró- Saúde Mental – Rua Engenheiro Niermayer, anexo ao PAPS.

CAPs infanto juvenil – Cuca Legal

-14:00 com a Comunidade e Palestra sobre Bullying com a convidada Vanessa Bencz.
CAPS II – Nossa Casa

9:00 Café

9:30 – 11:00 – Baile no Caps

Ação entre amigos – brechó aberto

Exposição de trabalhos manuais produzidos no Caps

Tarde

14:00 – 16:00 – Baile no Caps

16:00 – Café –

Ação entre amigos – brechó aberto

Exposição de trabalhos manuais produzidos no Caps

CAPS III – Dê Lírios

9h às 12h -CAPS III aberto à visitação da comunidade.

9h às 11h –ConVIVEndo I: práticas do cotidiano.

9h -Conversando sobre transtorno afetivo do humor: Marcelo Cavalcanti (psiquiatra).

12h -“CAPS III ?”: conversando com os trabalhadores do CREAS/Norte com Ana Lúcia Urbanski (terapeuta ocupacional, coordenadora do CAPS III). Local: CREAS Norte.

14h –Emergências Psiquiátricas: conversando com os trabalhadores dos PAs (Pronto Atendimento) com Marco Aurélio Engel (psiquiatra). Local: sala de grupos CAPS III.

14h às 17h -CAPS III aberto à visitação da comunidade.

14h às 16h – ConVIVEndo II: práticas do cotidiano.

CAPSAD/UA

9:00 – Roda de conversa – Reforma Psiquiátrica

Aberto a todos os interessados (comunidade, outros serviços de Saúde Mental e familiares)

14:00 – Exibição Filme “Dá pra fazer” e discussão com Técnica Geny aberto a todos os interessados (comunidade, outros serviços de Saúde Mental e familiares)

SOIS – Serviços Organizados de Inclusão Social

8:00 – 11:00 – Orientação e Conscientização sobre saúde mental– Semáforo da esquina com as ruas Pedro Lobo com Felipe Schmidt

20/05/2016

QUALIDADE DE VIDA DO SERVIDOR EM SAÚDE MENTAL

Local: Censupeg – Rua Ministro Calógeras, 192

Horários: turma 1 – 8:00 ás 10:00
turma 2 – 14:00 ás 16:00

Mais informações podem ser obtidas com Nasser Barbosa Aidar – (47) 3481-5121.

Brasil comemora avanços na atenção à saúde mental

O Dia Nacional de Luta Antimanicomial, comemorado nesta sexta-feira (18), demonstra que o Brasil obteve avanços na assistência aos brasileiros com transtornos mentais atendidos no Sistema Único de Saúde (SUS). Em sintonia com os princípios da Reforma Psiquiátrica, instituída no país há 11 anos pela Lei 10.216/01, o governo federal impulsionou, nos últimos anos, a construção de um modelo humanizado de atenção integral na rede pública de saúde, que mudou o foco da hospitalização como centro ou única possibilidade de tratamento aos pacientes.

“A data merece ser comemorada por todos. Tratar em liberdade é uma conquista inquestionável da Reforma Psiquiátrica. O surgimento dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), no fim dos anos oitenta, representou uma grande novidade no panorama do tratamento dos pacientes com sofrimento mental” afirma o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. “O atual modelo de assistência garante aos pacientes o exercício dos direitos civis e de uma vida mais plena”, completa.

Em Porto Alegre, onde participa de agendas em comemoração ao dia, o secretário nacional de Atenção à Saúde, Helvécio Magalhães, reafirmou a importância da data. “O 18 de Maio é o momento de reafirmarmos os princípios do SUS e da Reforma Psiquiátrica brasileira,  com a ampliação de serviços  feitos em parceria com  municípios e estados, e dando  ênfase à rede de cuidados dos usuários de crack, álcool e outras drogas.”

AÇÃO – O governo federal lançou, em 2011, o plano integrado de enfrentamento ao crack e outras drogas. Este plano prevê investimentos de R$ 4 bilhões até 2014. Deste montante, R$ 2 bilhões são destinados para a expansão da rede de atendimento em saúde. Até 2014, estão previstos a abertura de 308 Consultórios nas Ruas, 574 Unidades de Acolhimento (adulto e infantil), 175 novos CAPS Álcool e Drogas 24 horas, além dos investimentos nas Comunidades Terapêuticas, que devem receber mais de R$ 300 milhões nos próximos três anos.

REDE DE ASSISTÊNCIA – Atualmente, a atenção especializada em saúde mental é oferecida, no SUS, por meio de uma rede de equipamentos. Prontos para atender de maneira diferenciada pacientes que precisam deste tipo de cuidado. Para atender esta demanda a rede conta hoje com de 1.771 de CAPS, que estão implementados em todos os estados. Essa quantidade de CAPS é quase quatro vezes maior que em 2002, quando o país contava com 424 Centros. As equipes que atuam nos centros são formadas por médicos psiquiatras, enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais e outros profissionais de saúde.

Só nos CAPS, foram registrados, em2011, 21,77 milhões de atendimentos ambulatoriais em saúde mental – 50 vezes maior que a quantidade deste tipo de assistência prestada em 2002 (423 mil procedimentos). Especificamente para crianças e adolescentes, os atendimentos nos CAPS infantis saltaram de 12,2 mil, em 2002, para 1,2 milhão, ano passado.

Além dos CAPS, a rede de atenção integrada em saúde mental também conta com os atendimentos oferecidos por meio das Equipes de Saúde da Família (mais de 32 mil equipes em todo o país), das 44 Unidades de Acolhimento Adulto e Infantis, 92 Consultórios nas Ruas e das Comunidades Terapêuticas. Na rede hospitalar ainda estão disponíveis mais de 32 mil leitos. Todos eles recebem recursos financeiros do governo federal.

Da Ag. Saúde