O caso da vaquinha na Águas de Joinville – Companhia retifica informação

O caso da vaquinha para um ex-diretor da Companhia Águas de Joinville (SC) pagar uma multa determinada pelo TCE/SC, denunciada pelo vereador Odir Nunes (PSDB) na tribuna da Câmara de Vereadores em 15 de junho passado e noticiada aqui no Palavra Livre (link aqui), tem uma reviravolta na informação repassada pela assessoria de imprensa da empresa naquele momento. Uma retificação foi enviada à redação do Palavra Livre pela assessoria na tarde desta quarta-feira (15).

No mês passado, da tribuna do legislativo, o vereador Odir criticava que “é muito fácil fazer festa com recursos públicos, essa despesa está sendo cobrada nas tarifas”, disse Odir Nunes durante a sua fala. Segundo ele, o ex-Presidente Roberto Luiz Carneiro responde a um processo no Tribunal de Contas do Estado (15/00543273) que lhe rendeu uma multa de aproximadamente R$ 32.000,00 que se refere à uma confraternização paga com recursos públicos, o que foi considerado irregular pelo TCE.

Em resposta ao Palavra Livre à época a Águas de Joinville – via assessoria de imprensa – afirmou que a ação da funcionária tinha sido “uma atitude individual, sem autorização da diretoria”. Dizia também que “que assim que soube da denúncia a diretoria teria orientado a funcionária a encerrar o envio das mensagens”, e que “a empresa não sabia por quanto tempo o pedido vinha sendo feito, já que reitera, a atitude foi individual da funcionária citada”.

Na verdade, literalmente lavaram as mãos. Agora, na retificação enviada à redação, a empresa diz que a diretoria sabia da vaquinha para ajudar o ex-presidente, e que orientou somente para que não se utilizassem dos canais oficiais de comunicação da Companhia. Uma atitude no mínimo estranha esta de afirmar que a atitude da funcionária era individual, que não sabiam por quanto tempo a vaquinha estava em andamento, e mais, que a diretoria atual não havia “autorizado” a ação de ajuda, e agora após a funcionária reagir ao fato e quase um mês após a notícia, retificar a informação assumindo que sabiam…

Porque omitir a informação e deixar uma ameaça velada no ar sobre possíveis processos administrativos contra a funcionária? Por que não assumir de início o conhecimento da vaquinha? O Palavra Livre questionou a assessoria sobre isso, a resposta foi: “é o que tá na nota ali”.

Segue abaixo a íntegra da nota da Águas de Joinville solicitando uma “retificação” sobre o que havia informado há um mês, confira e tire suas conclusões:

Retificação
Diferentemente do que foi informado ao blog Palavra Livre, por meio de nota, em 16 de junho de 2020, as mensagens em grupos de uma rede social, enviadas pela colaboradora Adriana Loth para funcionários da Companhia Águas de Joinville, eram de conhecimento da diretoria. A orientação da diretoria foi pela não utilização dos canais oficiais de comunicação da Companhia”
, finaliza.

Transparência Zero na Companhia Águas de Joinville, até quando?

Águas de Joinville não promove a transparência pública como manda a lei. Será preciso também um TAC?
Águas de Joinville não promove a transparência pública como manda a lei. Será preciso também um TAC?

Transparência Zero na Águas de Joinville! A Companhia Águas de Joinville não preza pela transparência dos seus atos, dos seus gastos, de nada! Não há como o cidadão comum saber, por exemplo, quanto ganham seus diretores, quanto recebem e como recebem os conselheiros, quanto está sendo gasto em publicidade, e onde..

O estímulo à transparência pública é um dos objetivos essenciais da moderna administração pública! A ampliação da divulgação das ações governamentais a milhões de brasileiros, além de contribuir para o fortalecimento da democracia, prestigia e desenvolve as noções de cidadania.

Quem diz isso é a CGU – Controladoria Geral da União, órgão que fiscaliza e acompanha tudo pelo nosso país. Porque o governo Udo, tão transparente como diz ser, não deixa os dados à mostra? O que dificulta tanto uma empresa altamente superavitária, com investimentos gigantes em saneamento em andamento não dispor de todos os dados, como manda a Lei?

Vamos lá governo Udo, menos miragens publicitárias e mais transparência, já! Quem sabe eles respondem algo, porque também na comunicação este governo do PMDB só entende a via de mão única, não gosta de dialogar.

Acidente Ambiental em São Francisco do Sul (4): Nelson Possamai deixa comando da Águas de Joinville

Nelson Possamai não é mais o presidente da Companhia Águas de Joinville! Envolvido com a empresa onde aconteceu o acidente químico ambiental em São Francisco do Sul (SC), ele entregou o cargo ao Conselho da jóia da coroa do governo municipal.

Segundo nota enviada pela Prefeitura, o desligamento foi motivado por questões particulares. Possamai é um dos sócios da empresa Global Logística e Transportes Limitada, envolvida em um incidente em São Francisco do Sul nesta semana.

Sua saída será oficializada em assembleia geral extraordinária no dia 7 de outubro, e o novo nome deverá ser também oficializado. O empresário comandou a Águas de Joinville por oito meses. O prefeito Udo Döhler ainda não definiu o substituto.

Como já havia comentado, esse incêndio químico vai render muitas novidades.

Águas de Joinville fará cobrança a consumidor em atraso via mensagem por celular

madruga_barriga_willrios_jul2011Para evitar transtornos com a suspensão do serviço de água, a Companhia Águas de Joinville passa a enviar, a partir deste mês, mensagens via telefone celular (SMS) aos consumidores que tiverem débitos com atraso superior a 30 dias. A partir do recebimento da mensagem, o cliente terá dois dias para pagar a conta e evitar o corte. O prazo é contado a partir da notificação de débito emitida na fatura.

Em todos os casos, a Companhia destaca a importância de manter o cadastro atualizado. Para atualizá-lo, o cliente pode entrar no site http://www.aguasdejoinville.com.br/atend_virtual_cadastro.php e preencher os dados, ou ir a um dos postos de atendimento presenciais munido de CPF e RG. (relação abaixo)

“O principal objetivo desta ação é evitar que o consumidor tenha a ligação de água interrompida por falta de pagamento”, explica Alessandro Holthausen, gerente do setor de relacionamento com o cliente da Companhia. Após o aviso, o cliente tem dois dias para acertar a dívida ou parcelar, conforme o caso. Esquecimento ou falta de atenção nas datas de pagamento podem gerar incômodos para todos.

Se ainda assim o consumidor esquecer-se de efetuar o pagamento, haverá o corte da ligação de água. Para solicitar a religação é preciso pagar o valor devido e, assim que a Companhia receber o aviso de recebimento do banco, é aberta uma ordem de serviço, a ser executada dentro de 24 horas (a partir do aviso do banco). Para agilizar o processo de religação a pessoa pode se dirigir a qualquer um dos postos de atendimento da Companhia e apresentar o comprovante de pagamento.

A Companhia já utiliza o SMS para outros fins, como agendar e avisar sobre as programações de serviços solicitados pelo cliente.

Postos de Atendimento

Centro – Rua 15 de Novembro, 780

Segunda a Sexta, 8h30 às 16h30.

Boehmerwald – Rua Universidade, 355

Segunda a Sexta, 7h30 às 12h e 13h às 14h00.

Comasa – Rua Albano Schmidt, 4932

Segunda a Sexta, 7h30 às 12h e 13h às 15h30.

Paranaguamirim – Rua Ana Maria Roncalio de Souza, s/n

Segunda a Sexta, 7h30 às 12h e 13h às 15h30.

Pirabeiraba – Rua Joinville, 13500

Segunda a Sexta, 7h30 às 12h e 13h às 15h30.

Vila Nova – Rua São Brás, 184

Mensalmente do dia 21 ao dia 5, das 8h às 12h e 13h às 15h30.

Saneamento: matéria em A Notícia ficou muito bacana

Matéria publicada hoje, segunda-feira, 26 de março pelo jornal A Notícia falando do andamento das obras de saneamento em Joinville (SC), maior cidade catarinense, ficou muito bacana. A ilustração então é mais que didática, e além de tudo presta um grande serviço à população que ainda não sabe como funciona, onde está acontecendo, o que ela tem de fazer para se adequar, enfim, detalhes fundamentais do tema, que ainda é tão distante do cotidiano do povão.

Parabéns aos colegas envolvidos com a matéria, vocês mostram que há qualidade superior sim em jornalismo na cidade. Quem quiser curtir, e ter acesso ao mapa e textos é só acessar o www.an.com.br.