Um desapego doloroso…

Olá leitores do Palavra Livre, estamos começando 2022 por aqui, e já escolhi um tema para o primeiro post, o desapego. Quem nunca teve que “deixar” algo que gosta para trás porque não teria como seguir com o objeto, a pessoa, a roupa, etc, para o novo lugar? Muita gente não é? Comigo vai acontecer o mesmo. Um desapego muito doloroso porque mexe com memórias, aprendizados, investimento de uma vida.

Eu e parte dos meus tesouros, uma biblioteca que carrega uma vida de aprendizado e investimento

Falo dos meus livros. Tenho uma biblioteca pessoal que reúne cerca de 600 a 650 títulos dos mais diversos temas. A maioria deles ligada a literatura, poesia, biografias, outros muitos de jornalismo, assessoria de imprensa, consultoria, direito, justiça, alguns de autoajuda, até uma enciclopédia Barsa tenho. Existem livros que nortearam o início de minha trajetória profissional, treinamento e desenvolvimento de pessoas, consultoria, e muitos presentes com autógrafo e tudo o mais.

Eles são verdadeiros tesouros da minha vida. E tem mais: dentro deles guardo recordações dos meus filhos quando eram menores e desenhavam, faziam cartinhas de amor para mim. Há fotos nossas, e outros tantos bilhetes que só mexendo em cada um deles saberia o que contém. Pura magia, emoções de tempos outros, lágrimas e sorrisos, vitórias e derrotas, desencantos, sonhos, tantas coisas! Mas eu preciso desapegar.

Para onde vou não será possível levá-los. Não caberão em uma mala, e o custo de transporte inviabiliza, bem como não saber o tamanho do espaço que vou residir. Assim, o coração dói, chora, sangra. Só quem tem uma relação afetiva com os livros, a leitura, a literatura, vai entender. Desde pequeno cresci entre livros, leituras, todas incentivadas por meus pais. Assim aprendi a escrever bem, me destacar na escola pelas redações, e depois atuar no jornalismo. Conheci culturas que jamais visitei. Tive mestres do marketing, gestão, jornalismo que jamais vi pessoalmente. Um valor inestimável.

Agora estou na fase inicial do desapego. Busco através dos amigos e amigas ideias para o que fazer com esta biblioteca. Pensei inicialmente em propor um projeto social que incluiria implementar uma biblioteca comunitária onde existiriam ações de incentivo a leitura, produção de textos, encontros literários, varais literários, declamação de poesias e textos, empréstimos de livros com organização, enfim, um propósito de educação e formação da cidadania. Assim, creio, todo o meu esforço financeiro, intelectual, teria um resultado efetivo que é formar novos cidadãos leitores, pensadores, prontos para a vida real.

Não sei ainda o que fazer realmente. Estou lendo as sugestões de amigos e amigas queridos, queridas, e vou decidir. Um pedaço da minha vida, importantíssimo, vai ficar em algum lugar, e gostaria que fosse um belo lugar cuidado, protegido e perene. Será que consigo?

Prêmio Elisabete Anderle – FCC abre inscrições

A Fundação Catarinense de Cultura (FCC) abriu as inscrições para o Prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura 2020. Nesta edição, o valor total é de R$ 5,6 milhões e serão contemplados 215 projetos culturais para proponentes de todas as regiões de Santa Catarina. Mais uma vez a premiação está dividida em três editais: Patrimônio e Paisagem Cultural, Artes Populares e Artes.

As inscrições são gratuitas e totalmente digitais, sem necessidade de impressão em papel ou custos com correios. A plataforma para inscrições é intuitiva e de fácil navegação. Os projetos poderão ser enviados até 23h59 do dia 16 de agosto de 2020.

:: Clique aqui para acessar a plataforma de inscrições

Os prêmios serão divididos entre as seis mesorregiões de Santa Catarina, assim, projetos de todas as regiões terão as mesmas oportunidades de ser contemplados.

Conheça as categorias

Patrimônio e Paisagem Cultural, com 61 prêmios nas seguintes categorias:

– Patrimônio Material

– Patrimônio Imaterial

– Museus

– Bibliotecas Públicas

Artes Populares, com 64 prêmios, nas seguintes categorias:

– Artes Circenses

– Culturas Populares e Diversidades

– Culturas Negras e Afro-Brasileiras

– Culturas dos Povos Indígenas

Artes, com 90 prêmios, nas seguintes categorias:

– Artes Visuais

– Dança

– Música

– Teatro

– Letras: Livro, Leitura e Literatura

Para tirar dúvidas

As dúvidas sobre o Prêmio Elisabete Anderle 2020 serão respondidas somente pelo Portal de Compras do Governo do Estado de Santa Catarina ou durante as apresentações virtuais do edital que serão realizadas ao longo do mês de julho. Serão disponibilizados ainda tutoriais com detalhamento do processo de inscrição e sobre o envio de dúvidas.

É importante ressaltar que para participar do Prêmio Elisabete Anderle 2020 é necessário fazer inscrição no Mapa Cultural de Santa Catarina, disponível no link http://mapacultural.sc.gov.br.

Palavra Poesia – “Qual o valor do tempo”

Os tempos andam amargos, duros, secos. O que nos tira dessas agruras é a arte, e a arte da literatura chega novamente aqui no Palavra Livre com o Palavra Poesia. Nosso escritor e poeta, o jovem Edmundo Alberto Steffen, colaborador do blog, nos oferece mais uma produção poética para aliviar a vida diária, e nos dar o devido valor da vida, pois tempo é vida. Vamos lá conhecer mais um pouco do valor do tempo?

“Qual o valor do tempo?

Estamos trancados em casa
Mas deixa isso de lado
Vamos pensar no futuro
Pensando sempre no passado

Não cometendo os mesmos erros
Hoje sabemos o valor de um abraço
Que tenhamos mais fogo da vida
E menos fogo nos maços

A vida não é só alegria
Caso você, não teria graça
Qual o valor da felicidade
Se um dia ela não passa?

Eu te desejo tudo de bom
Que viva bem todos os teus dias
Em meio a esse turbilhão
Possa ter fuga nessa poesia

Agora você vai sorrir
Pois às vezes é só questão de opinião
Não deixe nada pra depois
Corre lá pedir perdão

A pandemia nos mostrou uma coisa
Temos pouco tempo e o tempo não espera
Deixamos de lado o rancor
Que então o amor impera

Qual o valor do tempo?
Não sei nem se é mensurável
Tem vezes que dura muito
Tipo um filme da Marvel

Tem vezes que dura pouco
E nos deixa vulnerável
“Não deixe pra amanhã”
Não é uma frase de coach barato

Podemos ver que o tempo é valioso
E isso cada vez mais é um fato
O que levamos da vida?
O que deixamos aqui?

Apenas sorrisos e lembranças
E quem fizemos sorrir”.

* Edmundo Alberto Steffen nasceu em Joinville-SC, no dia 13 de outubro de 1997, cursou Ensino Fundamental na rede municipal de ensino da mesma cidade, Ensino Médio no Instituto Federal Catarinense – Campus Araquari e atualmente é estudante de Filosofia da PUCPR em Curitiba. Autor do livro “Poesias aos Ventos”, escreve poesias, textos e análises sobre cinema e literatura em seu Instagram @edmundo.steffen

Palavra Poesia – Vidas Negras Importam

O Palavra Livre é também arte e cultura em todas as suas formas, especialmente a literatura a qual o editor é um aficcionado e produtor de textos. Tempos terríveis e uma imensa tristeza e tragédia com a morte de negros unicamente por serem negros… trouxe a tona a veia poética de um jovem autor que já tem uma poesia publicada aqui neste espaço. Edmundo Steffen nos brinda com outra construção simbólica da dor que sentimos como humanos de fato, carne, osso, pele, sangue…

Sensibilizar a si mesmo é uma tarefa que exige um mergulho profundo no sentimento que nos faz o que somos, gente. Aproveitem a viagem com o autor:

“Vidas Negras Importam”- Autor: Edmundo Alberto Steffen

Vidas Negras Importam
Mas não só essa semana
É um grito que corre nas ruas
Mas das periferias emana

Eles estão cansados de morrer
Porque a pele transforma em alvo
E como diria Leandro Karnal
Eu branco, já nasci salvo!

Não morro pela minha cor
Não levo 80 tiros de aviso
Um Estado que se preocupa em matar
Porque periferia viva, dá mais prejuízo

Toda vida importa? Concordo
Mas nunca vi branco morrer pela cor
A luta antirracista é de todos nós
Por isso vou parar para compor

A cada 23 minutos morre um jovem negro
O que você pensaria se fosse da sua família?
O Estado age sem piedade
E mais corpos empilha

Jenifer, Kauã, Ágatha e João Pedro
Esses foram os que ganharam visibilidade
Mais quantos ainda vão morrer?
Sem nem ao menos oportunidade

Quantos cientistas, artistas e pensadores
Dos quais não poderão existir
Quantas famílias cheia de dores
Que orgulho não poderão sentir

Vidas são cerceadas
Na Necropolítica do Estado
Que decide quem vive e quem morre
Mas é sempre do mesmo lado

Nas favelas, entram nas casas sem mandado
Nos condomínios, pedem licença
Até quando são mandados

Mais uma vida que foi tirada
Em prol da segurança do Brasil
Mortes banalizadas
Confundiram guarda-chuva com fuzil

Você que acha vitimismo todo esse discurso
Procure se informar e sair da bolha
Pois nascer sem informação, tudo bem
Mas continuar sem, é uma escolha!

  • Edmundo Alberto Steffen nasceu em Joinville-SC, no dia 13 de outubro de 1997, cursou Ensino Fundamental na rede municipal de ensino da mesma cidade, Ensino Médio no Instituto Federal Catarinense – Campus Araquari e atualmente é estudante de Filosofia da PUCPR em Curitiba. Autor do livro “Poesias aos Ventos”, escreve poesias, textos e análises sobre cinema e literatura em seu Instagram “ @edmundo.steffen “ .

Arte é arma no enfrentamento à Covid-19 em Florianópolis (SC)

A semana começou mais colorida em Santo Antônio de Lisboa, em Florianópolis. Um grupo de artistas plásticos se uniu para conscientizar os moradores e visitantes sobre a importância do uso da máscara em tempos de pandemia. Com material reciclável, restos de madeira e tintas de todas as cores, os artesãos fizeram placas com mensagens sobre o uso dos EPI’s – Equipamentos de Proteção Individual e dizeres lembrando que o amanhã será melhor.

A presidente da Aartesal – Associação dos Artistas e Artesãos de Santo Antônio de Lisboa, Liliane Motta da Silveira, é a coordenadora deste movimento que está sendo chamado de “Superação Santo Antônio de Lisboa”, que também envolve a Amsal – Associação dos Moradores da praia, onde atua como diretora de Cultura. “Sentimos a necessidade de fazer alguma coisa, exercer a cidadania. Muitas pessoas estavam sem máscaras pelas ruas e pensamos em trabalhar com a consciência coletiva. Isto é empatia, se colocar no lugar do outro”, destacou. O grupo também montou pontos de distribuição de máscara. 

O movimento também tem a preocupação de manter a cultura do bairro pulsando. “Mudamos um pouco e começamos ações imediatas de atenção aos artesãos e artistas, ligados ao distrito e redondezas. Estamos fazendo ‘lives’ mostrando os produtos de cada um. Agora vamos começar uma vitrine ‘on line’. Neste momento, tão importante quanto o sustento é manter o artista vivo na sua essência. Não deixar que a chama criativa se extinga”, concluiu Liliane. 

Neste momento tão crucial para a humanidade, a arte e união dos artistas na conscientização só reafirma que nada somos sem solidariedade, arte e iniciativa. Interessados em conhecer, apoiar e divulgar esta iniciativa dos artistas deste lindo bairro histórico de Florianópolis pode fazer contato com Liliane – Liliane Motta da Silveira – 48 98852-3668. Juntos vamos vencer mais este desafio. Parabéns a este povo que deixa a vida mais leve em qualquer momento!

Palavra Poesia – “Despidos ou Corrompidos”

Prá não dizer que não falei de arte, cultura e literatura, aqui no Palavra Livre é lugar sim para a divulgação da produção literária de veteranos, aprendizes, jovens autores, quem desejar ver seu texto publicado para compartilhar nas inúmeras redes sociais existentes. Como já expliquei várias vezes, este espaço recebeu o nome Palavra Livre para que não se tenham amarras, e sim, que possamos noticiar, debater, informar, divulgar todos e quaisquer temas.

Esta semana voltamos então a publicar a produção literária fruto da convivência na Confraria do Escritor, projeto nascido e muito vivo na cidade de Joinville (SC) que gerou uma nova leva de autores e inclusive uma Associação, a Associação das Letras da qual este editor foi fundador e depois diretor de comunicação. De lá vem a poesia título deste post de autoria de Edmundo Alberto Steffen. Ele aproveita o momento atual que vivemos de intenso debate político insanidades e alia este seu sentimento e se inspira em letras de grandes músicas brasileiras (descubra quais!) para produzir a provocativa poesia que segue abaixo:

Despidos ou Corrompidos – Autor: Edmundo Alberto Steffen (*)

Não quero lhe falar meu grande amor
Das barbáries que vejo na rua
Quero me despir da impureza do mundo
Conversa contigo completamente nua

Vestidos apenas da arte
Conversando sobre literatura
Pois a realidade não existe mais
Tornou-se muito dura

Cores de roupas simbolizam guerra
Uma polarização não mensurada
Quero me despir das cores do ódio
Estar vestido apenas da minha palavra

Mas a palavra, do que vale?
Não acreditamos mais em fatos
Não são mais belas as verdades
Essas, se tornaram trapos

Bebados vestidos de vermelhos
Equilibristas levando a cor da pátria
Ambos olhando para um espelho
Sem vidro, sem psiquiatra

Paixões pulsantes por um lado
Deixando os sãos encurralados
O bêbado me chama de fascista
Não entendendo o peso do que fala
O equilibrista me chama de comunista
Carregando sangue vermelho em sua mala

O equilibrista luta para apoiar
Tentando de todas as formas mascarar
Chega a dizer “não foi bem isso que ele disse”
Enquanto seu líder aplaudia aquele
Que fez chorar Maria e Clarice

Escolhem lados de uma mesma laranja podre
Que apenas tem seus gomos de cores diferentes
Continuamos nos degladiando em redes sociais
Assistindo a morte de tanta gente

  • Edmundo Alberto Steffen nasceu em Joinville-SC, no dia 13 de outubro de 1997, cursou Ensino Fundamental na rede municipal de ensino da mesma cidade, Ensino Médio no Instituto Federal Catarinense – Campus Araquari e atualmente é estudante de Filosofia da PUCPR em Curitiba. Autor do livro “Poesias aos Ventos”, escreve poesias, textos e análises sobre cinema e literatura em seu Instagram “ @edmundo.steffen “ .

Que a produção literária e crítica de Edmundo inspire muitos outras pessoas a ler mais e produzir poemas, crônicas, contos, romances, letras de músicas, muita arte para que nosso país evolua. Tá precisando muito. Parabéns Edmundo, siga criando! E você que lê este post, fique à vontade para enviar o seu texto, porque aqui, a Palavra é Livre.

1o. Encontro Catarinense de Casas de Cultura será em Joinville (SC)

A Casa da Cultura Fausto Rocha Júnior, de Joinville, irá sediar, nos dias 11 e 12 de setembro, o 1° Encontro Catarinense de Casas de Cultura.

O objetivo do evento é compartilhar, através de mesas redondas, as experiências artístico-culturais vivenciadas nas casas de cultura de Santa Catarina, discutindo também os desafios e as possibilidades do setor.

O evento ocorre a partir das 9 horas desta sexta-feira (11). Em ambos os dias, haverá palestras, mesas de discussões, plenárias e apresentações culturais.

O Encontro contará com mediadores como Roselaine Vinhas, Secretaria de Cultura de Chapecó e Presidente do Conselho Estadual de Cultura da Fundação Catarinense de Cultura e Conselho de Gestores Municipais de Cultura de SC e Caio Mota, Coordenador Geral de Cooperação, Articulação e Informação do Ministério da Cultura (Minc).

O encontro é dirigido a gestores e servidores de casas de cultura do estado. Representantes de 13 municípios irão participar: Garuva, Araquari, Itapoá, Bombinhas, Barra do Sul, Blumenau, São Bento do Sul, São Francisco do Sul, Campo Alegre, Rio Negrinho, Piçarras, Navegantes e Itajaí.

Nas duas plenárias que serão realizadas, cada município terá direito a 10 minutos para apresentar suas vivências. A coordenadora da Casa da Cultura Fausto Rocha Júnior, Carla Clauber, destaca o ineditismo do evento em Santa Catarina.

“O objetivo é consolidar, em rede, o trabalho das casas de cultura e socializar as ações culturais desenvolvidas dentro destes espaços em cada município”, observou Carla.

O 1° Encontro Catarinense de Casas de Cultura é promovido pela Casa da Cultura, Fundação Cultural e Prefeitura Municipal de Joinville. Maiores informações sobre o evento podem ser obtidas pelo telefone (47) 3433-2557 ou pelo e-mail casadaculturajoinville@gmail.com.

Programação do 1º Encontro Catarinense de Casas da Cultura

11/09 (sexta-feira)
9h – Credenciamento
Atividades Culturais – Ballet/Orquestra

9h30- Abertura
9h45 – Apresentações Artísticas
Grupo de Dança – Araquari

10h – Palestra de abertura: “ Os desafios das Casas de Cultura como agente na formação artística de nosso estado” Roselaine Vinhas – Secretaria de Cultura de Chapecó e Presidente do Conselho Estadual de Cultura da Fundação Catarinense de Cultura e do Conselho de Gestores Municipais de Cultura de SC. (CONGESC) – Auditório da Casa da Cultura

11h45- Intervenção Giro Literário

12 h – Almoço

13h30- Apresentação Ballet da Escola Municipal de Ballet – Joinville

14h – Plenária

15h00 – Intervalo e Apresentações artísticas – • Grupo de Metais – Rio Negrinho • Ballet

16 às 17h – Plenária

12/09 (sábado)
9h – Fechamento das discussões das Plenárias

10h – Caio Mota – Coordenador Geral de Cooperação, Articulação e Informação do Ministério da Cultura (Minc)

11h30 – Macarronada com Arte e Apresentações Artísticas – Ballet

11h45- Intervenção Giro Literário

12 h – Almoço – Apresentações Ballet/Musica

14h – Avaliação e Planejamento

Fechamento: Apreciação do evento por Caio Mota, do Ministério da Cultura.

Com informações da Ascom/PMJ

Jaraguá do Sul (SC) recebe Festival de Formas Animadas no final de setembro

De 29 de setembro a 3 de outubro Jaraguá do Sul volta a ser palco do Festival de Formas Animadas, que traz ao Centro Cultural e a espaços alternativos atrações para todas as faixas de idade.

Em sua décima quinta edição, o evento já é agenda obrigatória para o público de Jaraguá e região. As apresentações serão todas com entrada gratuita, com ingressos que poderão ser retirados na Secretaria da SCAR.

Escolas poderão participar com turmas de alunos, mediante agendamento prévio. Informações pelo telefone (47) 3275-2477.

O evento é uma realização da SCAR com apoio da Udesc e apoio financeiro da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte do Governo de Santa Catarina através do FunCultural.

Seminário destaca conteúdo científico
Junto com a programação de espetáculos ocorre o 12º Seminário de Estudos Sobre Teatro de Formas Animadas e o lançamento de mais uma edição da Revista “Móin-Móin”, publicação que divulga trabalhos de pesquisadores, técnicos e artistas deste gênero artístico.

No seminário participarão convidados do Brasil e do exterior que debaterão o tema “Filosofias da Formação no Teatro de Formas Animadas”.

Com informações da Ascom/SCAR – Ronaldo Corrêa

Udesc abre inscrições para curso de dramaturgia

A Escola Livre de Artes (ELA) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), em parceria com o Circolo Italiano di Joinville, promoverá um curso de dramaturgia, com o professor italiano Salvatore Coppola.

Com o intuito de enriquecer conhecimentos sobre as teorias e história do teatro, desde as origens e técnicas de interpretação aos autores italianos consagrados, a ELA -Escola Livre de Artes da UDESC- Universidade do Estado de Santa Catarina, promove um curso de Dramaturgia gratuito entre os dias 27 de julho a 1º de agosto de 2015.

Serão 50 vagas disponíveis para a comunidade em geral e as inscrições, que são gratuitas, devem ser feitas até sexta-feira, 24 de julho no Circolo Italiano, que fica na Rua Professora Senhorinha Soares, 62, Bairro Anita Garibaldi em Joinville (SC). O curso será dividido em duas turmas: uma nos períodos matutino e noturno, e outra nos períodos vespertino e noturno.

Mais informações pelo telefone 3026-6151 ou no site www.cct.udesc.br.

Com informações da Udesc

Ministério da Cultura lança Política Nacional das Artes

O Ministério da Cultura (MinC) realiza, dia 9 de junho, o seminário de lançamento do processo de construção da Política Nacional das Artes (PNA). O evento ocorrerá das 9h às 18h, na sede da Funarte (Fundação Nacional das Artes) – Palácio Gustavo Capanema, Rio de Janeiro.

A primeira atração será às 9h, com os alunos da Escola Nacional de Circo. Às 9h30, o ministro da Cultura, Juca Ferreira, o presidente da Funarte, Francisco Bosco, e demais autoridades participam da abertura institucional do evento.

As conferências começam às 10h30, com as presenças de Chico César, Ailton Krenak e Tania Rivera. Ao meio-dia, no pátio externo do edifício, será apresentado o espetáculo de dança “Na Batalha”, com dançarinos do passinho.

Na parte da tarde, às 14h, serão realizados os debates sobre os Planos Setoriais de Artes Visuais, Livro e Leitura e Música. Participam representantes dos colegiados setoriais e articuladores de cada linguagem, com mediação dos coordenadores e dos diretores dos Centros de Artes Visuais (CEAV) e Música (Cemus) da Funarte. A programação artística prossegue às 16h, com a performance “Abrigo Mar”, de Franklin Cassaro, e o Vídeo: Ações Visuais.

Às 16h30, será a vez dos Planos Setoriais de Circo, Dança e Teatro, com representantes dos colegiados setoriais e articuladores de cada linguagem, com mediação dos coordenadores e do diretor do Centro de Artes Cênicas (Ceacen) da Funarte. As atividades no Palácio Gustavo Capanema terminam com a performance teatral “Onde? Ação no 2” da tribo de atuadores Ói nóis aqui traveiz, que estarão no local a partir das 18h30.

Às 21h30, o cantor Emicida encerra a programação do dia com o show musical “O glorioso retorno de quem nunca esteve aqui”. A apresentação será no Circo Voador e será transmitida ao vivo pelos sites do MinC e da TV NBR.

A Política Nacional das Artes é um conjunto de políticas públicas consistentes e duradouras para as artes brasileiras. As discussões têm como ponto de partida o conteúdo produzido pelos Planos Setoriais dos Colegiados Setoriais, debates, conferências e estudos realizados pelo Sistema MinC.

O projeto contribuirá para a renovação da Funarte (Fundação Nacional das Artes), entidade vinculada ao ministério, responsável pelas políticas de fomento para artes visuais, circo, dança, música e teatro. A programação do evento e a transmissão ao vivo, de toda a programação, poderão ser conferidas no site www.cultura.gov.br.

Serviço:

Data: 9/6/2015

Seminários e apresentações artísticas

Local: Sede Funarte – Rio de Janeiro

Horário: 9h às 18h

Às 9h30, ministro Juca Ferreira participa da abertura institucional

Transmissão ao vivo, durante todo o dia, pelo site do MinC

Show Emicida
Local: Circo Voador
Horário: 21h30, mas o local estará aberto a partir das 20h

Ingresso: 1 kg de alimento não perecível
Show terá transmissão ao vivo pelos sites do MinC e da TV NBR