Você conhece Annie Ernaux?

A escritora francesa Annie Ernaux é a vencedora do Prémio Nobel de Literatura 2022, “pela coragem e acuidade clínica com que desvenda as raízes, os estranhamentos e os constrangimentos coletivos da memória pessoal”, anunciou a Academia Sueca, em Estocolmo, no dia 6 de outubro deste ano.

Um dos seus livros mais conhecidos, “O Acontecimento”, relata um aborto clandestino que fez nos anos de 1960, que, segundo a Academia, tem a “narrativa clinicamente contida” sobre o aborto ilegal de uma narradora de 23 anos no livro que continua a ser uma obra-prima entre seus trabalhos.

“É um texto implacavelmente honesto, onde entre parêntesis ela acrescenta reflexões numa voz vitalmente lúcida, dirigindo-se a si mesma e ao leitor num único e mesmo fluxo”, sublinhou a Academia ao fazer o anúncio.

A primeira obra de Ernaux data de 1974, “Les Armoires Vides”, mas ela só viria a ganhar notoriedade internacional após a publicação de “Os Anos”, em 2008, com o qual ganhou o prémio Renaudot. “É o seu projeto mais ambicioso, que lhe deu uma reputação internacional e uma série de seguidores e discípulos”, reconheceu a Academia.

A primeira mulher francesa a ganhar um Nobel de Literatura publicou também “O Lugar”, “A Vergonha”, “Os anos” e “Uma paixão simples”.

Em declarações à emissora sueca SVT, Annie Ernaux disse ter recebido a notícia do prémio como “uma responsabilidade”.

“Fiquei surpresa. É uma grande responsabilidade testemunhar, não necessariamente em termos de escrita, mas testemunhar com precisão e justiça em relação ao mundo”, sublinhou a Nobel de Literatura 2022, de 82 anos de idade.

Nascida em 1940, na comuna francesa de Lillebonne, Ernaux estudou na Universidade de Rouen e foi professora do Centre National d’Enseignement par Correspondance por mais de 30 anos. Seus livros são considerados clássicos modernos na França. Todas as obras da escritora publicados no Brasil são da Editora Fósforo. 

Para saber sobre os livros de Ernaux, clique aqui.

Autor: Salvador Neto

Jornalista e escritor. Criador e Editor do Palavra Livre, co-fundador da Associação das Letras com sede no Brasil na cidade de Joinville (SC). Foi criador e apresentador de programas de TV e Rádio como Xeque Mate, Hora do Trabalhador entre outros trabalhos na área. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde foi diretor de comunicação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.