Supersalários do Judiciário – Mais de 8 mil juízes ganharam mais de R$ 100 mil mensais

Sim. Exatamente isso que você leu no título da matéria. A mais clara demonstração da imensidão da desigualdade social no Brasil. O Judiciário brasileiro, ainda uma caixa preta que precisa ser aberta e esmiuçada, consome milhões em recursos públicos sem a devida transparência. Mais que transparência, os dados divulgados nesta reportagem da Folha de São Paulo revela que o poder administra para si mesmo, enquanto a maioria da população não consegue renda mínima, empregos, renda, e sequer tem garantida a renda que o Executivo tem oferecido – R$ 600 – a quem perdeu seu trabalho e renda na pandemia. Em resumo, uma vergonha!

O Palavra Livre já teve acesso a planilhas dos salários de juízes e desembargadores em SC, e isso se confirma. Outra confirmação é de que o Poder Judiciário cria seus penduricalhos para disfarçar pagamentos milionários que não entram no “salário-base” dos magistrados e outros. Portanto, o que deveria acontecer era que o espírito de corporativismo no judiciário desse uma trégua aos constantes ganhos de seus membros, e passasse a gerir seu quinhão do orçamento público de forma mais sóbria, real, porque convenhamos, não há no mundo casos como no Brasil, de juízes ganhando acima de R$ 100 mil mensais, fora os penduricalhos. Quando isso vai mudar? Vamos ao que diz a matéria da Folha:

O sistema judiciário brasileiro pagou mais de R$ 100 mil a pelo menos 8.226 juízes entre setembro de 2017 a abril de 2020. O montante extrapola o teto constitucional estabelecido de R$ 39,3 mil por mês. As informações são do jornal Folha de São Paulo. Segundo o jornal, foram feitos no total 13.595 pagamentos acima de R$ 100 mil. Muitos magistrados receberam este valor mais de uma vez. 507 magistrados receberam vencimentos acima de R$ 200 mil 565 vezes.

O jornal analisou dados dos 27 Tribunais de Justiça dos estados, 5 Tribunais Federais, 24 cortes trabalhistas, 3 tribunais militares estaduais e dos tribunais superiores. A Justiça Eleitoral não foi inclusa no levantamento. A partir de 2017 os tribunais, com exceção do Supremo Tribunal Federal (STF), passaram a encaminhar folhas para o CNJ (conselho Nacional de Justiça).

A Folha a ponta ainda que foram analisados os pagamentos de juízes em exercício e aposentados. Mostrando que mais da metade dos salários de 26.177 juízes e aposentados nos anos analisados superaram o teto constitucional. Segundo os dados levantados, 95,79% dos magistrados receberam pelo menos uma vez salários superiores ao teto.

Os salários acima do teto são mais recorrentes em tribunais estaduais. Apesar da Constituição determinar um valor máximo para os salários dos magistrados, são somados aos montantes recebidos os auxílios, verbas indenizatórias e vantagens eventuais, com 13° e acúmulo de funções que explicam os supersalários dos juízes.

Os salários pagos pelo poder Judiciário seguem uma escala que toma como base os salários dos ministros do STF. Seguindo este escalonamento, os ministros dos tribunais superiores como STJ, TST e STM devem receber até 95% do que ganham magistrados do Supremo, enquanto que os desembargadores dos TJs recebem o equivalente a 90,25%. Juízes Federais recebem até 80%, magistrados titulares de uma vara federal recebe 85% do teto. Os desembargadores federais recebem o teto de 90%.

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.