Leucemia Mieloide Crônica (LMC) – Finalmente foi normalizada a distribuição em SC

Após quase um mês em falta, foi normalizada nesta segunda-feira (06) a distribuição do Mesilato de Imatinibe, medicamento utilizado no tratamento de pacientes com Leucemia Mieloide Crônica (LMC) em Santa Catarina.

Aproximadamente 500 pessoas tiveram que interromper o tratamento em função do atraso no repasse do remédio que tem custo altíssimo, podendo chegar a até R$ 9 mil ou mais uma caixa com 30 cápsulas, dependendo da dosagem.

A denúncia
A situação grave foi denunciada, há duas semanas, ao senador Dário Berger, que fez contato com o Ministério da Saúde e cobrou uma solução imediata para o problema, já que a previsão inicial era de que o medicamento chegasse somente após a primeira quinzena de julho, o que colocaria em risco centenas de vidas.

“Logo que recebi essa informação, fiz contato com o governo federal para que a situação fosse regularizada com urgência, já que o medicamento essencial é de altíssimo custo e muitos não têm condições de comprá-lo. Felizmente o governo foi sensível ao nosso apelo e o problema está resolvido e a distribuição normalizada”, explicou o senador.

O Mesilato de Imatinibe é repassado pelo Ministério da Saúde por demanda, após a solicitação da Secretaria de Estado da Saúde (SES), que é responsável por encaminhar para as Unidades de Alta Complexidade em Oncologia – Unacons, fornecer aos pacientes cadastrados.

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.