Procon de Florianópolis interdita posto de combustível por abuso de preço

Uma operação realizada em postos de combustível da Capital foi iniciada nesta segunda-feira, 13 de abril, pelo Procon da Prefeitura de Florianópolis, e resultou na interdição parcial de um posto de gasolina que realizava cobrança de preço considerado abusivo dos combustíveis.

A ação foi realizada no início da tarde, o posto fica localizado na região Central da Capital. A operação continuará até que os abusos de preço não sejam mais praticados em toda a cidade, o que pode ocasionar em mais postos interditados. A interdição parcial busca dar efetividade a medida cautelar do Peocon e ao código de defesa do consumidor.

Houve uma redução de valor dos combustíveis nas refinarias, mas muitos postos continuaram cobrando o valor sem essa diminuição, o que gerou um lucro de até 35%. Normalmente, estes estabelecimentos trabalham com uma média de lucro de 20% em cima do preço de compra, o que o Procon considera razoável.

O gerente de Fiscalização do Procon da Prefeitura de Florianópolis, Rodrigo César Cássio, explica que alguns estabelecimentos até reduziram o valor de venda do combustível, mas não de forma proporcional com o valor de compra, o que resultou em um aumento drástico do lucro e onerosidade ao consumidor.

Na semana passada, o Procon realizou fiscalização e notificação em 70 postos, pois os  combustíveis da Capital estão sendo vendidos com os maiores valores de todo o Estado.  Algumas das possibilidades previstas por lei, caso os estabelecimentos não cumprissem a solicitação do Procon, poderiam ser multa ou até interdição. Optou-se pela interdição para que a decisão tivesse eficácia na prática.

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.