Jornalista sim!

Muitos jovens, crianças até, me perguntaram e perguntam o que é ser um jornalista nas inúmeras palestras que dei e dou em escolas, faculdades e universidades. Tentei sempre explicar que é um ofício que vira missão, ou seja, não é uma profissão qualquer. O que representa, para que serve, se vende jornal (rs), se ganha bem… hummm. Ela exige de quem a exerce um tantão de coragem, desprendimento, paciência, resiliência, e claro, inteligência emocional. Ser jornalista é ser vários, falar por muitos. Neste dia da minha nobre profissão, tento escrever o que seria isso, ser jornalista.

Vamos lá. Ser jornalista é ser curioso. Ser jornalista é ser questionador, investigador, pensador, estudioso, chato (para alguns), salvador (para outros). Ser jornalista é estar em permanente contato com a realidade, e tentar contar pequenos retratos do que vemos nas ruas, praças, plenários, todos os lugares. Ser jornalista é se indignar com as injustiças, é iluminar o que é escuro, é falar o que muitos querem dizer, mas não podem ou não tem força para dizer. Ser jornalista é ouvir cada personagem como se a vida fosse acabar ali, e com essa matéria prima, traduzir todo o sentimento do outro para milhares que terão acesso ao texto.

Ser jornalista é ter paixão pela produção da notícia, amor pelas letras, determinação para perguntar, coragem para enfrentar ameaças e perseguições. Ser jornalista é escrever em páginas de jornais impressos, websites,  blogs, noticiar em tvs, rádios, panfletos, todos os fatos possíveis sobre a nossa aldeia, nosso cotidiano, nosso mundo. Ser jornalista é ser responsável, correto, objetivo, é buscar sempre a imparcialidade. Ser jornalista é motivo de muito orgulho para todos nós, colegas de todos os meios de comunicação que fazem o dia a dia em todas as redações, agências, assessorias, tenho certeza disso.

Ser jornalista é viver a vida, dele e dos seus semelhantes, e compartilhar com a sociedade em linhas, imagens, sonoras, links, e tantos outros meios. Ser jornalista é ter… a melhor profissão do mundo, como já disse Gabriel Garcia Marquez! Nestes tempos sombrios renascemos para continuar a contar a verdade, informar com precisão, continuar a gritar por quem não pode gritar, ser os olhos, ouvidos e voz da sociedade. Somos servidores públicos com um único patrão: a sociedade e o interesse público.

Parabéns a todos os colegas por seguir firmes nesta missão, mais nobre que nunca!

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.