Casa da Mulher Brasileira pode ser realidade em SC

Mulheres catarinenses que sofrem com qualquer tipo de violência podem ter futuramente um espaço integrado e humanizado de atendimento a suas necessidades.

As tratativas para a construção da Casa da Mulher Brasileira em Florianópolis avançaram. Nesta quarta-feira, 25, a secretária de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST), Angela Albino, encontrou-se com o prefeito da Capital, Cesar Souza Júnior, para solicitar a alteração do zoneamento do terreno onde está prevista a obra.

Para viabilizar o projeto é preciso que a área no Bairro Agronômica, nas proximidades da Casa do Governador, passe de Área Verde de Lazer (AVL) para Área Comunitária Institucional (ACI).

“Estamos juntando esforços do Governo do Estado e do município para implementar essa ação do governo federal que ajudará no enfrentamento da violência contra as mulheres e contribuirá para o empoderamento feminino”, ressalta Angela.

O prefeito afirmou que irá agilizar o processo e pretende encaminhar a alteração de zoneamento para a Câmara o mais breve possível. Participaram também da reunião o vereador Tiago Silva e representantes dos Conselhos Estadual e Municipal de Direitos da Mulher.

Como será a Casa da Mulher Brasileira
Ela deve ser construída pelo governo federal no endereço onde hoje funciona a 6ª DP – Delegacia de Proteção à Mulher, ao Menor e ao Adolescente e o Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, na Rua Delminda da Silveira, no Bairro Agronômica.

No terreno de 4.940 metros quadrados, a Casa da Mulher Brasileira seria um espaço integrado e humanizado de atendimento às mulheres em situação de violência.

Lá, haveria a integração de todos os serviços, como acolhimento e triagem; apoio psicossocial; delegacia; Juizado; Ministério Público, Defensoria Pública; promoção de autonomia econômica; cuidado das crianças – brinquedoteca; alojamento de passagem e central de transportes.

Meta do governo é criar uma casa por Capital
De acordo com a coordenadora da Mulher de Florianópolis, Dalva Maria Kaiser, a meta do governo federal é criar uma Casa da Mulher por Capital. Até o momento, somente três já inauguraram o espaço: Campo Grande, Brasília e Curitiba.

Em Campo Grande fica a casa referência para o país. Lá, foram investidos R$ 17 milhões. “Nós já estamos bem avançados, temos o terreno e o projeto aprovado. Só precisamos dessa alteração no zoneamento para o governo federal licitar a obra. Depois disso, em 6 meses a casa pode ser inaugurada”, explicou.

Com informações da Ass. Imprensa SDSF/SC, Governo de SC

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.