Dilma é vaiada em exposição e defende a Petrobras

dilmaA presidenta Dilma Rousseff foi vaiada neste sábado (3) na abertura oficial da Expozebu, exposição que reúne empresários da agropecuária no Triângulo Mineiro. No evento, primeiro compromisso oficial da presidenta após o PT reafirmar sua pré-candidatura à reeleição, ela prometeu que o plano agrícola pecuário 2014-2015 vai ter mais recursos e mais facilidades na obtenção de crédito.

As vaias começaram quando Dilma recebeu a medalha alusiva aos 80 anos da Expozebu. E foram repetidas no início e no fim do discurso da presidenta. Ela não fez nenhum comentário sobre as manifestações.

A presidenta afirmou que o governo está aberto a sugestões para elaboração do plano agrícola que deverá ser anunciado ainda este mês. Também anunciou que um decreto do Ministério do Meio Ambiente formalizando a entrada em vigor do cadastro ambiental rural vai ser publicado no “Diarío Oficial da União”, na próxima segunda (5).

Em Minas Gerais, terra do adversário Aécio Neves (PSDB) — presidenciável do PSDB, Dilma declarou ainda que a Petrobras, alvo de denúncias de irregularidades, cresceu durante a gestão do PT. Disse que “é inadmissível ficar querendo vender a Petrobras ou ficar trocando o nome da Petrobras”. Durante inauguração de uma fábrica de amônia, também no Triângulo Mineiro, ela disse que é inadmissível privatizar a estatal, como já foi cogitado no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Do Congresso em Foco.

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.