Creche em Itajaí é assaltada e nem mesmo a comida da merenda é poupada

itajaiRecados intimidadores e uma panela suja foram, além de estragos, o que bandidos deixaram para trás após arrombar uma creche municipal de Itajaí na madrugada desta segunda-feira. Os criminosos quebraram portas e danificaram o alarme e a linha telefônica, além de roubar um aparelho de DVD, DVDs, dinheiro e comida.

O arrombamento foi percebido durante a manhã, quando funcionários chegaram para trabalhar e encontraram o local revirado. O centro de educação infantil é o João Vieira Ramos, no bairro Salseiros.

De acordo com a direção da escola foram furtados um aparelho de DVD, alguns DVDs, dinheiro e comida. O dinheiro, R$ 130 que estavam em uma caixinha e R$ 150 que estavam em outra, era uma arrecadação feita para comprar ar-condicionado e fazer melhorias.

Os criminosos também levaram uma cesta de páscoa feita pelos professores e que seria rifada. O que chamou mais a atenção da direção é que eles teriam cozinhado carne de panela durante a ação e comido frutas que estavam na cozinha.

Antes de sair, os suspeitos ainda deixaram recados na lousa e em mesas informando que só não levaram mais coisas porque encontraram o dinheiro. Todas as salas de aula da escola têm alarmes, mas os fios foram cortados na ação, assim como os fios da linha telefônica.

Apesar dos danos em oito portas, as aulas ocorreram normalmente nesta segunda-feira. A unidade atende 84 crianças das 7h às 19h. A Secretaria de Educação informou que a empresa de segurança que faz o monitoramento da creche é terceirizada e os prejuízos serão cobrados da companhia.

A Polícia Militar informou que há rondas na região, mas apenas uma guarnição faz o policiamento lá durante a noite. Como se trata de uma área grande fica difícil flagrar esse tipo de ação. Além disso, os criminosos aproveitam o pouco movimento de pessoas no bairro, localizado no interior do município.

Mais policiamento

Outra escola que está sofrendo com invasões é a Francisco de Paula Seara no São Judas. A unidade de ensino estadual tem registrado invasões, sem qualquer motivo aparente, em plena luz do dia.

Durante a manhã desta segunda-feira houve uma reunião entra a direção da escola, Secretaria de Desenvolvimento Regional e PM para tentar solucionar o problema. A diretora Vânia Monteiro diz que o problema é recorrente desde que a escola substituiu o vigilante por câmeras de monitoramento.

— Nosso muro é muito baixo e quando nos damos conta tem gente aqui dentro — explica.

Após o encontro ficou estipulado que a SDR vai providenciar a instalação de um portão, que vai impedir que os invasores tenham acesso aos alunos e funcionários mesmo que pulem o muro. A PM, segundo a diretora, se comprometeu a intensificar as rondas nos horários de entrada e saída de aula.

Fonte: Diário Catarinense.

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.