Promotoria pede 9 anos de prisão para bailarino do Bolshoi por ataque com ácido

Promotores públicos russos pediram nesta sexta-feira que seja imposta a pena de nove anos de prisão para um bailarino acusado de planejar um ataque com ácido que quase deixou cego o diretor artístico do Balé Bolshoi.

O bailarino Pavel Dmitrichenko se declarou inocente da acusação de ordenar o ataque, em janeiro, o qual expôs rivalidades nos bastidores de uma das maiores instituições culturais da Rússia. A promotoria poderia ter pedido no máximo pena de 12 anos.

A promotora Yulia Shumovskaya solicitou ainda dez anos de prisão para Yuri Zarutsky, acusado de ter jogado o ácido no rosto de Sergei Filin, e seis anos para Andrei Lipatov, indiciado por ter conduzido Zarutsky até o local do ataque, e depois o levado embora.

“O motivo de Dmitrichenko era um conflito entre Filin e Dmitrichenko”, disse Yulia a um tribunal de Moscou, ao afirmar que a disputa foi causada pela decepção do bailarino por Filin não lhe ter dado bons papéis no Bolshoi.

A advogada de Filin, Natalia Zhivotkova, disse: “Todos os réus são culpados e, do meu ponto de vista, não merecem comiseração nenhuma.”

Dmitrichenko, confinado a uma jaula na corte com os outros dois réus, permaneceu impassível e não mostrou nenhuma emoção quando Yulia falava. Zarutsky e Lipatov olhavam para o chão.

O caso manchou a reputação do Bolshoi, que fez mudanças em sua administração para tentar fazer com que o palco volte a ser o centro das atenções.

Fonte: Reuters.

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.