Sem médicos no Zequinha, Prefeitura promete chamar concursados…

Surpreendida pelo pedido de exoneração de 13 médicos ortopedistas do Hospital Municipal São José na manhã de quarta-feira (4), a Secretaria de Saúde de Joinville anunciou no mesmo dia durante entrevista coletiva com a imprensa que fará a substituição com a chamada de alguns concursados e outros a serem contratados em caráter emergencial.

A decisão foi anunciada pelo prefeito Udo Döhler e pelo secretário da Saúde Armando Dias Pereira Júnior como resposta ao pedido de exoneração dos médicos. O prefeito disse que os demissionários não explicaram a razão da saída coletiva. “O que nos preocupa, neste momento, é tranquilizar a população e informar que estamos tomando todas as providências para normalizar a situação”, afirmou o prefeito.

Para suprir a baixa dos 13 ortopedistas, a primeira providência será a convocação de quatro concursados que aguardam chamada do Hospital São José. A medida seguinte será a abertura de processo seletivo emergencial.

Os demissionários estão na relação dos que não batiam ponto. O diretor do Hospital São José, Marcos Krelling, informou que, até julho, quando houve a recomendação do Ministério Público e do Tribunal de Constas na implantação do relógio-ponto, 85% dos médicos não batiam o ponto ou registravam apenas a entrada. Entre os que pediram demissão, o mais velho atuava no hospital desde 1992, portanto há 19 anos.

Apesar da baixa de 40% do corpo clínico de ortopedistas com a saída dos 13 médicos, a direção do Hospital São José não registrou ontem qualquer cancelamento de cirurgia, apesar de ser uma das áreas mais requisitadas. Por dia, em média, são realizados dez procedimentos ortopédicos.

Da PMJ

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.