Minha Opinião: Classe Política não muda, ignora o povo e vira um grupo corporativista

A classe política não mudou absolutamente nada. Jamais acreditei naquele papo de que o gigante havia acordado, nas manifestações de junho passado.

Tanto não deram a menor bola para o povão que absolveram um deles, que está inclusive preso, condenado em última instância pela Justiça. Isso já aconteceu várias vezes, basta forçar um pouco a memória.

E mais: não querem a reforma política, detestaram e enterraram o plebiscito, este sim um remédio bom com a decisão do povo sobre como deveria ficar a política.

Apresentam mais um placebo de reforma para enganar mais uma vez o povão. E lá se preparam para pedir, e ganhar, o voto dos incautos que não leem, não discutem, não acompanham a política. Não gostam de política.

Finalizo meu pensamento reiterando que eles não mudam. Eles não gostam da imprensa, a não ser aquela que os bajula, rola a bola para que eles façam o gol na grande mídia.

Isso é fato, tanto que este jornalista foi denunciado por um deles à esta rede social pura e simplesmente porque disse que ele não veio à entrevista marcada e confirmada.

Vocês realmente acreditam que eles vão mudar? Serão mais democráticos? Não senhores e senhoras, a democracia que serve é a deles, que defende os interesses milionários de cada gabinete neste país.

Infelizmente para a democracia que deveria ser a real e ideal, a classe política brasileira passou a ser meramente uma corporação como as são a dos médicos, advogados, engenheiros, servidores públicos, etc.

Perderam a vergonha e esqueceram que o povo os colocou lá para defender o interesse público, da vida dos cidadãos e suas famílias. E não para defender privilégios mesquinhos.

Em 2014 haverá eleições. Será a grande oportunidade de dar uma boa limpada nesta corporação. Renovar geral, não reeleger nenhum é um bom caminho. E escolher pessoas realmente diferentes, também.

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.