Táxis: Prefeitura fiscaliza em Joinville (SC)

A Unidade de Transportes e Vias Públicas da Secretaria de Infraestrutura Urbana (Seinfra) realizou na segunda-feira (25/2) mais uma vistoria nos táxis de Joinville. A partir de denúncias, um taxista foi autuado por conta de cobrança indevida e irregularidades quanto à adequação do veículo. A fiscalização de rotina aconteceu na Avenida Santos Dumont.

Durante as vistorias são verificadas a documentação do veículo e do condutor, além das condições do automóvel. Alguns itens observados são a utilização de caixa luminosa externa, taxímetro, as condições dos cintos de segurança e a presença de um extintor de incêndio no veículo.

Taxistas também podem ser notificados por práticas irregulares, durante a prestação do serviço. “Recebemos denúncias de cobranças irregulares, e até mesmo o mau atendimento pode ser denunciado e será averiguado. O passageiro deve solicitar ao taxista o recibo que é obrigatório e serve como uma garantia. Com o recibo, é possível identificar a pessoa que prestou o serviço e tomar as devidas providências”, explica o fiscal de trânsito da Seinfra, Geovani Lampugnani.

Atualmente, a frota de Joinville é composta com 213 táxis, e o valor da bandeirada custa R$ 4,35, quando o táxi sai do ponto. A bandeira 1, que vale das 6h às 20h, custa R$ 2,15 por quilômetro. A bandeira 2, que vai das 20h às 6h, custa R$ 2,80 cada quilômetro. Aos sábados, a bandeira 1 vai das 6h às 13h, e a 2 o restante do tempo. Aos domingos e feriados vale a bandeira 2.

A Unidade de Transportes da Seinfra também alerta sobre a atuação de taxistas de outros municípios e de motoristas que não apresentam registro, mas se passam por taxistas. Na última semana vistorias aconteceram em táxis dos municípios de Jaraguá do Sul, Garuva e Araquari, que estavam em Joinville, mas não podem exercer o serviço no município. “A fiscalização sobre os veículos de outros municípios está sendo intensificada, pois eles só podem trazer passageiros, mas não podem oferecer o serviço de táxi em Joinville. Os usuários também devem ficar atentos a veículos que não estão cadastrados, e para isso é preciso prestar atenção nos itens de identificação do táxi”, relata Lampugnani.

Quando o passageiro se sente lesado e deseja fazer alguma sugestão ou reclamação referente aos táxis que atuam no município pode ligar na Ouvidoria pelo número 156 ou pode fazer uma denúncia no site da Prefeitura (www.joinville.sc.gov.br). Quando a cobrança indevida é comprovada, o taxista é notificado e precisa fazer o reembolso do valor ao passageiro.

Informações sobre o valor cobrado pelo serviço de táxi:

– A bandeirada no município custa R$ 4,35, ou seja, este é o valor cobrado quando o táxi sai do ponto.

– Bandeira 1 (vale das 6h às 20h): custa R$ 2,15 por quilômetro.

– Bandeira 2 (vale das 20h às 6h): custa R$ 2,80 por quilômetro.

– Aos sábados, a bandeira 1 vai das 6h às 13h. A bandeira 2 vale para o restante do tempo.

– Aos domingos e feriados vale a bandeira 2.

– Os passageiros devem sempre solicitar ao taxista o recibo, que deve conter o número de registro do veículo, o nome do condutor, o valor pago pelo usuário e o trajeto com o ponto de origem e o destino.

Da Secom/Prefeitura de Joinville (SC)

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.