Parte de metalúrgicos com contrato suspenso voltará ao trabalho na Mercedes

De 1.500 trabalhadores com contratos suspensos desde julho na fábrica da Mercedes-Benz em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, 250 – da linha de produção de eixos – retornarão à fábrica na primeira semana de janeiro, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

Desde meados do ano, quando a montadora anunciou ter excedente de mão de obra, por causa da queda nas vendas de caminhões, a entidade tem negociado alternativas para preservar os postos de trabalho, como o chamado lay-off (suspensão dos contratos), que atingiu 1.500 dos 13 mil funcionários da unidade.

Outras medidas foram congelamento de reajustes e adoção de semana reduzida (quatro dias em vez de cinco). Aproximadamente 500 funcionários com contrato por prazo determinado, que poderiam ser dispensados, foram mantidos pelo menos até 31 de março.

O presidente da entidade, Rafael Marques – que assumiu o cargo no sábado (1º) –, avalia que o retorno mostra o acerto das negociações com a empresa. “As medidas e ações adotadas pelo governo federal, muitas delas sugeridas pela categoria, para enfrentar a crise econômica internacional e incentivar o consumo interno contribuíram para a manutenção dos postos de trabalho”, afirmou.

“Mas a nossa luta só acabará quando a economia estiver mais robusta e todos os trabalhadores em lay-off tiverem voltado à fábrica”, acrescentou o diretor de Organização do sindicato, Moisés Selerges Jr, membro do Comitê Sindical de Empresa (CSE) da Mercedes.

Do Observatório Social

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.