Busscar dá “aumento”, mas é de jornada de trabalho

O título da matéria é esse mesmo que você leu, mas infelizmente o verbo “aumentar” não está, mais uma vez no caso Busscar, ao lado dos trabalhadores. Essa semana os “chefes” dos poucos seguidores que ainda trabalham em pouquíssimos ônibus na empresa deram um recado direto do aumento, mas não foi salarial, foi de jornada! Sim, isso mesmo. Até agora os seguidores estavam recebendo a diária de R$ 80,00 por oito horas trabalhadas. Mas a novidade do aumento foi de quase uma hora a mais diária no trabalho! Que presente de grego!

O Sindicato dos Mecânicos já denunciou a todos os órgãos federais de fiscalização dessa aberração que são as diárias para esses poucos seguidores, alertando que não estão sendo depositados o FGTS, INSS, e mais, que a empresa está computando isso como adiantamento salarial. Ou seja, quando os seguidores descobrirem, pode ser tarde. Se muitos podem até estar recebendo a mais no momento do que seria o seu salário real mensal, podem depois descobrir que estão devendo para a empresa! Isso mesmo minha gente. Como o Sindicato já se movimentar para fazer valer esse novo salário pago em diárias, e não o que está na folha, ação legítima diante da permanente atividade de pagar diárias, a Busscar resolveu agora dar um ar de “legalidade”, para não ficar devendo ou ter de equiparar salários, isso no caso de realmente conseguir sair desse lodaçal da pré-falência em que se encaminha.

Para o presidente do Sindicato, João Bruggmann, essa atitude mostra a verdade real, ou seja, nada mudou na Busscar. “Infelizmente ainda tem trabalhadores que não enxergam as fraudas cometidas contra eles mesmos. Além das mentiras de retomada forte, que ninguém vê – dos números anunciados, nem oito ônibus saíram das linhas desde novembro – e da sempre “quase” negociação do projeto Guatemala, sempre a espera que o BNDES cubra o furo do dinheiro, agora vieram com essa de “aumento”, mas só na jornada. Outra enganação aos trabalhadores que ainda apóiam essa gestão que quebrou a Busscar”, explica Bruggmann.

A direção sindical, junto com o departamento jurídico e demais advogados de milhares de trabalhadores lesados pela empresa há 23 meses, estão acompanhando todos os movimentos de bastidores que antecedem a realização da Assembleia Geral dos Credores, para evitar jogadas que visem aprovar tudo que negue os direitos dos trabalhadores. A nova lista apresentada será também impugnada pelo Sindicato diante de vários erros contidos, além de algumas mudanças “estranhas” de classe de credores realizada pelo administrador judicial.

“Estamos atentos, preparados e com apoio da grande maioria dos trabalhadores que foram lesados pela Busscar. Esse plano que apresentaram já nasceu morto, e se não mudar radicalmente será negado por todas as classes de credores. E com essa postura de “aumentar” a jornada pagando diárias ilegais, mostra ainda mais a forma de gestão que aí está e que colocou a empresa quase no fundo do poço, e junto, milhares de famílias e trabalhadores”, dispara o Presidente.

Do Sindicato dos Mecânicos de Joinville e Região

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.