Com nova expansão, rede federal terá 63 universidades e 500 escolas técnicas

O plano de Expansão da Edudação Superior e Tecnológica e Profissional, vinculado ao Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), anunciado nesta terça-feira (16), em Brasília, pela presidenta Dilma Rousseff, deve elevar a 63 as universidades federais do país. São quatro novas unidades, das quais três são campi que passarão a ter autonomia. No caso das Instituições Federais de Educação Profissional e Tecnológica (Ifets), as novas 120 unidades devem completar 500 escolas técnicas federais no país.

Serão 250 mil vagas abertas em universidades federais e cerca de 600 mil em Ifets. A criação das universidades precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional.

Na cidade de Marabá (PA), a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) será instalada onde funciona um campus da Universidade Federal do Pará. A Universidade Federal da Região do Cariri (UFRC), no Ceará, terá como sede Juazeiro do Norte, no atual Campus Cariri da federal do estado. Na Bahia, o campus de Barreiras será promovido a Universidade Federal do Oeste da Bahia (Ufoba).

O estado ainda receberá a Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufesba), no município de Itabuna – a única unidade constituída sem envolver equipamento já existente.

Além de aproveitar prédios e a estrutura dos campi, novas construções serão realizadas. É por isso que o investimento varia de R$ 15 milhões a R$ 20 milhões, segundo o ministro da Educação, Fernando Haddad. As quatro novas instituições de ensino terão 17 campi, dos quais 12 deles ainda serão criados e cinco, transferidos de outras universidades já existentes. Até 2014, 12 universidades federais de 11 estados vão receber 15 novos campi (clique aqui para navegar pelo mapa dos novos campi).

Escolas técnicas
Os 120 municípios cujos prefeitos assinaram acordos de doação de terrenos para a instalação das Ifets foram selecionados a partir de critérios relativos à extrema pobreza. Segundo o Ministério da Educação, foram privilegiadas cidades muito populosas, com baixa renda per capita e com resultados ruins no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

A Bahia terá nove unidades (nas cidades de Santo Antonio de Jesus, Lauro de Freitas, Euclides da Cunha, Juazeiro, Brumado, Alagoinhas, Xique Xique, Itaberaba e Serrinha). Maranhão e São Paulo terão oito escolas federais cada, enquanto sete municípios do Rio Grande do Sul e o mesmo número do Rio de Janeiro receberão os equipamentos. Todas as 26 unidades da federação e o Distrito Federal terão pelo menos uma nova unidade administrada pelos institutos federais locais já existentes (clique aqui para acessar o mapa onde estão localizadas)

Às 120 anunciadas, outras 88 estão em construção, com término previsto para 2012. Ao todo, a gestão da presidenta Dilma Rousseff promete entregar 208 unidades de ensino técnico federal. A previsão, segundo o Ministério da Educação (MEC), é que todas as escolas estejam funcionando até o fim de 2014.

Da Rede Brasil Atual, com Agência Brasil

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.