Comer mexerica é bom para curar gripe

A fruta recebe vários nomes pelo Brasil afora: mexerica, tangerina, bergamota, vergamota, laranja-cravo, laranja-mimosa, laranja-mandarim, tangerina-carioca e tangerina-mineira são alguns deles, dependendo de cada região.

A lista de benefícios também é longa. A mexerica contém poucas calorias e é rica em vitamina C, que auxilia na prevenção de gripes e resfriados, e uma boa quantidade de vitamina A, indispensável á saúde da visão e da pele.

Contém, ainda, cálcio, que fortalece os ossos, potássio, que regula os batimentos cardíacos e pectina, fibra solúvel que ajuda a diminuir o colesterol do sangue. A pectina, presente no bagaço, facilita também a função intestinal.

Na hora de comprar, para saber se a mexerica é de boa qualidade. Deve-se pressionar levemente a fruta com os dedos. Se ela estiver firme, está em bom estado, se a casca é fina e frouxa ou tem aparência opaca, não está boa para consumo.

E, para estimular o consumo, nada como uma receita de doce com a fruta.

Frozen Iogurte de Mexerica

Ingredientes:

½ litro de suco de mexerica
1 envelope de gelatina sem sabor e incolor
2 xícaras (chá) de iogurte natural desnatado
5 colheres (sopa) de açúcar
Casca de mexerica em tiras finas para decorar

Modo de fazer:

Dissolva a gelatina conforme as instruções da embalagem e, em uma tigela, misture-a com o suco de mexerica, o iogurte e o açúcar.
Bata o líquido com um batedor natural até que fique homogêneo.
Cubra a tigela com filme plástico e leve ao congelador por duas horas, ou até que as bordas cristalizem.
Bata a mistura na batedeira até ficar firme e cremosa.
Distribua em taças e decore com as tiras da fruta.

Bom apetite!

Portal Terceira Idade

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.