Servidores: Greve é cada vez mais política em Joinville (SC)

Acompanho as notícias sobre a greve dos servidores municipais da maior cidade do estado de Santa Catarina desde o inicio. Já havia postado nota neste Blog sobre a briga interna do PT, que leva toda a cidade a sofrer com serviços públicos ainda piores. O fato é que a intransigência chega a limites insuportáveis para a população, que precisa dos CEIs, escolas, hospital, postinhos de saúde e demais serviços funcionando.

Errou a Prefeitura quando não apresentou qualquer índice para aumento salarial – coisa obrigatória aos trabalhadores – o que detonou a greve que seguramente já tinha todas as condições preparadas no Sindicato dos Servidores. Errou também o Sindicato, principalmente agora, quando não quer ver os dias parados descontados. Ora, se na iniciativa privada a greve é de direito, mas se parar os dias são descontados, porque no serviço público seria diferente? Afinal, todos são protegidos pela lei que impede suas demissões, tem estabilidade no emprego.

Acredito que nesse momento a gangorra começa a virar em favor da Prefeitura, que tenta encerrar a greve apresentando propostas, e o Sindicato se nega a discutir a possibilidade de descontos dos dias parados, inclusive parcelados! Cada vez fica mais clara a vontade mais política de desgaste do Prefeito Carlito Merss, do que propriamente vontade de garantir ganhos aos servidores. Penso que é possível e preciso que isso acabe. A cidade exige.

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.