Apague o cigarro e os incêndios na mata

25% dos incêndios no planeta são causados por pontas de cigarro

Desgraça pouca é bobagem. Além de fazer um mal danado à saúde (são mais de 4 mil substâncias tóxicas na fumaça), fumar ainda causa sérios problemas à natureza. Para começar, uma bituca de cigarro leva, em média, 100 anos para se degradar.

“As pessoas se esquecem ou ignoram o tempo da degradação do cigarro. Quando vemos um simples filtro de cigarro jogado na calçada, na praia, nos lagos, enfim, devemos pensar que nossos netos conviverão com esse lixo”, alerta o pneumologista Oliver Nascimento, médico assistente da disciplina de Pneumologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e vice-diretor do Centro de Reabilitação Pulmonar da instituição.

Mas esse não é o único dano. “É um dado aterrador, mas 25% dos incêndios que acontecem no planeta são provocados pelas bitucas (pontas de cigarro) acesas, resultando em destruição e morte”, diz.

Pensa que acabou? “É importante que a população olhe para os efeitos decorrentes do tabagismo no ser humano e, também, para mais além. Para se ter uma ideia, a cada 300 cigarros produzidos, uma arvore é derrubada. Portanto, o fumante de um maço de cigarros por dia sacrifica uma árvore a cada 15 dias”, informa Nascimento.

Segundo o especialista, para a produção dos cigarros, a lenha derrubada é usada nas estufas onde é feita a secagem das folhas do tabaco. “O desmatamento em larga escala deixa o solo desprotegido e a mercê de chuvas, e isso acaba provocando erosões e destruição da terra”.

Mas a luta contra o tabagismo é árdua. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), fumantes que tentam parar de fumar sem ajuda médica têm menor chance de sucesso (uma média de 5%). E mesmo entre os que conseguem largar o cigarro, apenas de 0,5% a 5% mantêm a abstinência por um ano sem apoio médico.

“É uma luta diária, mas que geralmente acaba em vitória para o ex-fumante. O que traz uma esperança de que essa pessoa passe a viver com saúde e qualidade, além de poder curtir a natureza preservada e deixá-la como herança para as futuras gerações”, conclui o médico.
ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Um comentário em “Apague o cigarro e os incêndios na mata”

  1. Cuidar do meio ambiente é acima de tudo valorizar a vida.
    Pensando nisso a ECOCITY Soluções Ambientais do Paraná, criou uma importante ferramente de Gestão Ambiental, o PROGRAMA BITUCA ZERO.
    Só em Curitiba são descartados diariamente 5 milhões de bitucas. Elas, poluem nossas ruas, praças e principalmente nossos rios. Estudos demonstram que 20 bitucas tem o mesmo efeito poluidor de 1 litro de esgoto doméstico.
    Isso é muito!
    O PROGRAMA BITUCA ZERO além da instalação de coletores especiais, realiza a coleta semanal e destina todo o resíduo para a reciclagem 100% ambiental.
    BITUCA ZERO: O MEIO AMBIENTE AGRADECE!
    Conheçam mais do nosso trabalho no site:
    http://www.ecocitybrasil.blogspot.com
    Obrigado.
    Roberto Façanha
    ecocitybrasil@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.