A importância da risada na cultura brasileira

gargalhadaAs pessoas que riem bastante tornam-se mais atrativas, porque demonstram capacidade de brincar com os problemas, rir de si mesmas e não se importar tanto com o que os outros pensam.

Dar uma boa gargalhada é algo sério entre os brasileiros. Tanto é que virou tema de análise da antropóloga carioca Mirian Goldenberg. Ela está começando a analisar os primeiros questionários da sua pesquisa sobre a importância da risada na cultura brasileira. O trabalho começou em 2007, quando, ao ser convidada para dar uma conferência na Universidade de Munique, percebeu que o sorriso que estampava no rosto a afastava dos alemães.

“Tem povos que não riem, ou que riem de forma contida; já para o brasileiro, levar-se muito a sério é um dado negativo”, conclui Mirian. “Então, saber brincar com os problemas, rir de si mesmo e não se preocupar tanto com o que os outros acham tornam-se atrativos. Às vezes mais importante até que a preocupação com o corpo, a aparência ou o dinheiro.” E, aí, entram em cena poderosos aliados nessa gostosa missão: os amigos.

Ri melhor quem ri com o outro, quem compartilha a sensação de estar descontraído e de bem com a vida; porque isso indica intimidade e ajuda a manter e a fortalecer as relações. Então, da próxima vez que alguém começar a gargalhar numa reunião de trabalho, por exemplo, não esquente. O ambiente vai ficar mais leve: afinal, rir não tem contraindicação.

Abril

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.