Novo manual do Vaticano condena pedofilia

pedofiliaO Vaticano divulgou um novo manual que endurece suas leis contra atos de pedofilia por padres. O documento estabelece procedimentos sobre como devem ser julgados e punidos os sacerdotes envolvidos. Mas não lida com os casos passados, não obriga padres a informar a polícia sobre abusos que tenham conhecimento e nem prevê a expulsão imediata de um suspeito, reivindicações de grupos de vítimas. O documento ainda aproveita para classificar a ordenação de mulheres como “crime grave”.

O documento foi divulgado pela Congregação para a Doutrina da Fé e assinado pelo seu prefeito William Levada, arcebispo americano e que sucedeu ao alemão Joseph Ratzinger, que deixou o cargo para se tornar Papa.

Federico Lombardi, porta-voz do Vaticano, explicou que as medidas aceleram os procedimentos para “afrontar com eficiência as situações mais graves e urgentes, abre as portas para que laicos participem de tribunais eclesiásticos, eleva a prescrição do delito de abusos de 10 para 20 anos e introduz o delito de pedopornografia”.

Na prática, essa introdução permite que se puna a aquisição, posse e divulgação “por parte de um membro do clero, em qualquer modo e com qualquer meio”, de imagens pornográficas.

Mas o maior prazo de prescrição é considerado como a principal inovação, já que permitiria que jovens esperassem até ser adultos para decidir abrir um caso contra um padre que os tenha abusado anos antes. Hoje, com apenas dez anos de prazo, muitos dos casos acabam sendo decididos pelas famílias.

Gazeta Digital

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.