Agências publicitárias brasileiras conquistam mercado em Portugal

“Toda crise gera oportunidade”: essa forma de pensar marca tino empresarial de publicitários brasileiros que vêm se expandindo na Europa.

Os temores relacionados à economia de Portugal, Espanha e principalmente da Grécia não arrefeceram o ânimo das agências publicitárias brasileiras em Portugal. A Fischer Portugal (Grupo Totalcom), que está há três anos no país, e a Duda Portugal, do publicitário Duda Mendonça, inaugurada no segundo semestre de 2009, mantêm previsões de crescimento para 2010. Elas se mostram preparadas para a forte concorrência das agências portuguesas e internacionais que atuam no país, bastante acirrada depois que os criativos brasileiros passaram a ter um maior destaque nas premiações de Portugal, conquistadas no Festival Internacional de Publicidade de Cannes (França). No ano passado por exemplo, a Fischer Portugal foi a segunda agência do país que mais trouxe leões do festival.

O sobrinho do famoso publicitário brasileiro Duda Mendonça e responsável pela nova Duda Portugal, Ricardo Braga, comemora o sucesso da primeira campanha da agência em Lisboa, veiculada na mídia no último trimestre de 2009. Trata-se da campanha criada para a rede de supermercados Pingo Doce, que possui mais de 350 lojas em todo o país. Segundo ele, a ofensiva publicitária foi citada espontâneamente até em programas de TV em Portugal.
O publicitário acredita que é natural existir uma reserva de mercado aos portugueses do setor e uma postura de concorrência das agências de Portugal. “Mas assim que o mercado vai conhecendo a nossa postura e intenção de contribuir em todos os sentidos para o crescimento do mercado português, essa posição deixa naturalmente de existir”, afirmou Braga, que transita entre Portugal e o Brasil, esforçando-se para colocar em prática uma aspiração antiga de Duda Mendonça: abrir uma agência na Europa

Aposta no Brasil

O presidente do grupo Totalcom, Eduardo Fischer, que reside em São Paulo e viaja trimestralmente para reuniões na Fischer Portugal, explica que nos dois últimos anos a Fischer em Portugal já tem feito os ajustes necessários para enfrentar o cenário de crise, aumentando qualidade e equilibrando custos e benefícios dos serviços.

Colocando em prática a máxima “toda crise gera oportunidade”, Fischer analisa a possibilidade de novas aquisições de empresas de publicidade ou serviços de marketing nos próximos anos. A expectativa é de que até o final deste mês o grupo Totalcom também finalize a negociação para a saída da empresa de branding MyBrand do comando da Fischer Portugal, onde a companhia tem participação minoritária. Há também rumores no mercado de que a MyBrand, do grupo OnGoing – que já marca presença no Brasil por meio do jornal Brasil Econômico – poderá abrir uma nova filial da MyBrand no país.

O mercado de publicidade português é fortemente concentrado na televisão. No ano passado, segundo dados do Mediamonitor, divulgados no jornal especializado Meios & Publicidade, 73,6% dos investimentos foram direcionados à TV, 15,3% à mídia impressa, 6,4% a anúncios em outdoor, 4% para rádio e 0,5% para cinema.

Dw.word.de

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.