Não às sacolas plásticas – reciclagem sim

reciclagemEles são práticos e parecem ser inofensivos, mas os saquinhos plásticos usados nos supermercados são uma praga para o meio ambiente.

A taxa mundial do consumo de saquinhos plásticos está estimada em 500 bilhões ao ano, quase 1 milhão por minuto. O mais preocupante é que apenas 0,6% deles são reciclados, e o tempo que eles demoram para se decompor na natureza é de até 500 anos. Efraim Rodriguez, doutor em ecologia pela Universidade de Harvard, aponta alguns hábitos que podemos adotar para diminuir esse impacto.

Habitue-se a andar sempre com uma sacola resistente para carregar suas compras.Recicle seu lixo, assim você contribui para que o meio ambiente seja preservado para as próximas gerações.

Para reciclar o lixo, dois passos são fundamentais: saber separar devidamente os materiais e entregá-los à postos de coleta seletiva. No caso dos plásticos, nem todos os tipos são recicláveis. Misturar plásticos recicláveis com os não recicláveis dificulta muito no processo de reciclagem final. Conheça as diferenças:

Plásticos recicláveis:

-todos os tipos de embalagens de xampus, detergentes, refrigerantes e outros produtos domésticos;
-tampas plásticas de recipientes de outros materiais;
-embalagens de plástico de ovos, frutas e legumes;
-utensílios plásticos usados, como canetas esferográficas, escovas de dentes, baldes, artigos de cozinha, etc.

Plásticos não-recicláveis:

-plásticos (tecnicamente conhecidos como termofixos), usados na indústria eletro-eletrônica e na produção de alguns computadores, telefones e eletrodomésticos;
-plásticos tipo celofane;
-embalagens plásticas metalizadas, por exemplo, de alguns salgadinhos;
isopor.

Fonte site: Reciclavéis

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Um comentário em “Não às sacolas plásticas – reciclagem sim”

  1. Muito boa a matéria! Esclarecimentos como estes são muito úteis para a população em geral.
    E o assunto é muito oportuno.
    Abraço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.