Maternidade Darcy Vargas, em Joinville prepara Semana da Amamentação, para o início de agosto

aleitamentoNa primeira semana de agosto, a Maternidade Darcy Vargas (MDV), em Joinville, comemora a Semana Mundial de Amamentação. O tema deste ano é: “Hospital Amigo da Criança: 10 passos que valem uma vida!”, e festeja o 20º aniversário da “Declaração de Innocenti”.
A abertura da Semana de Aleitamento Materno está marcada para às 10 horas do dia 2 de agosto, no anfiteatro da Maternidade Darcy Vargas, localizada na rua Miguel Couto, 44 – bairro Anita Garibaldi, em Joinville.
Durante cinco dias, o evento vai destacar a importância do apoio à amamentação por parte da família, comunidade e profissionais de saúde. O apoio às mães é largamente reconhecido como fundamental para o estabelecimento da lactação. Além de ser o modo mais seguro e saudável de alimentação infantil, o aleitamento materno é, também, o mais barato.
Como política global de saúde pública, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que a amamentação seja exclusiva até o sexto mês. A partir dessa idade, deve haver complementação com outros alimentos, mas o aleitamento ao peito pode ser mantido beneficamente até dois anos ou mais.
Todos os anos, desde 1992, este evento acontece em vários países do mundo e é um bom exemplo de como divulgar a lactação natural na nossa comunidade, mudando comportamentos e preparando uma geração mais saudável para o futuro.

Hospital Amigo da Criança

A Maternidade Darcy Vargas possui o título de “Hospital Amigo da Criança”. Em todo o mundo, pelo menos em 156 países, mais de 20 mil unidades já receberam o título, mas nem 500 deles estão localizados em países desenvolvidos.
No Brasil, existem pelo menos 337 unidades hospitalares credenciadas como “Hospital Amigo da Criança”. Nos municípios com hospitais com programas oficiais de estímulo à amamentação, estes funcionam como facilitadores da disseminação de informações consistentes sobre a importância do leite materno na alimentação infantil.

Histórico do Aleitamento Materno

Apesar de todas as qualidades do aleitamento materno, ao final do século XIX, na época da Revolução Industrial, iniciou um declínio nas taxas mundiais de amamentação, que foi intensificado após a Segunda Guerra Mundial. Essa queda teve início nos centros urbanos de países desenvolvidos, estendendo-se gradativamente aos países em desenvolvimento.
Os motivos desse declínio são atribuídos aos processos de urbanização e industrialização. Entre outros, são citados o trabalho materno, as ocupações da mulher na sociedade moderna, o surgimento dos produtos lácteos exclusivos para lactentes, a valorização da mama como símbolo sexual, a falta de entusiasmo do pessoal de saúde, e carência de conhecimentos das vantagens do aleitamento materno por parte das mães. Com a urbanização, a família estendida cede lugar à família nuclear, e a menina passa a ter menos oportunidades de aprender informalmente a arte da amamentação.

Informações:SDR JOINVILLE

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.