Em assembleia trabalhadores da Busscar aprovam a solução

busscarOs trabalhadores e trabalhadoras da Busscar atenderam o chamado do Sindicato dos Mecânicos de Joinville e Região e compareceram em massa na manha desta quarta-feira – 7 de julho – em frente à fábrica para decidir o seu futuro. Cerca de 1,3 mil pessoas ocuparam a rua em frente à empresa para ouvir as informações que o Sindicato tinha sobre as últimas horas de negociações com os acionistas. O presidente João Bruggmann explicou detalhadamente todos os passos tomados pelo Sindicato na defesa dos direitos dos trabalhadores, as implicações da falta de interesse dos acionistas da empresa em abrir o capital, a negativa de liberação dos funcionários informada na tarde de terça-feira (6/7), e o pedido de mais “paciência” aos trabalhadores. “Não há mais como pedir paciência a quem não vê o seu salário a três meses! Que a diretoria ou seus representantes venham aqui olho no olho com os trabalhadores e peçam mais paciência. A discussão conosco é democrática, eles que venham aqui no caminhão de som pedir essa paciência. O que os trabalhadores querem e precisam urgentemente é dos salários”, cobrou Bruggmann diante dos aplausos da multidão.

Após as explicações e discursos inflamados por parte de trabalhadores e sindicalistas, o presidente João Bruggmann colocou as propostas em votação com presença de três trabalhadores para acompanhar a legitimidade da votação. Por quase unanimidade a proposta das rescisões indiretas foi aprovada diante de poucos votos dados a saída pelo pedido de falência

“Os trabalhadores mereciam mais respeito por parte dos acionistas da Busscar. Eles apoiaram passeatas, ida a Brasília, idéias sem força para acontecer, e agora são ignorados. A empresa chegou a dizer que quem quisesse sair que pedisse a conta, porque eles não liberariam ninguém. Esse é o respeito que sobrou para quem gerou lucros durante anos para eles. Mas agora penso que a melhor saída foi tomada. Os trabalhadores vão entrar com ações em massa para a rescisão indireta, e a Justiça terá de se manifestar com rapidez para liberá-los, e também para que possam sacar seu FGTS existente e demais direitos. Ao mesmo tempo nossas ações pedindo os bens do grupo econômico para pagamento dos direitos está para ter decisão, juntamente com a ação de pagamento de salários em 48 horas. Tudo isso junto dará ao trabalhador a tranqüilidade que a empresa não lhe deu, e quebra a corrente que os prendia a um processo que só visa o interesse dos acionistas. Ninguém vive só de paciência”, afirmou o presidente João Bruggmann. O Sindicato vai atender em processo de mutirão na sede recreativa durante toda a semana que vem.

Sindicato dos Mêcanicos de Joinville e Região

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.