STF nega habeas corpus para suposto mandante do assassinato de Dorothy

O ministro Cezar Peluso, do Supremo Tribunal Federal (STF), indeferiu o pedido de liminar para a libertação de Vitalmiro Bastos de Moura (Bida), supostamente um dos mandantes do assassinato da irmã Dorothy Stang, ocorrido em fevereiro de 2005 em Anapu (PA).

Com a recusa do pedido de habeas corpus (HC nº 102757), cai uma estratégia da defesa do acusado que tentava protelar o julgamento remarcado para segunda-feira (12), depois de os advogados de Bida não comparecerem ao júri no dia 31 de março.

A defesa pedia a libertação de Bida, preso desde 12 de fevereiro, e o adiamento do júri. O STF ainda não liberou a íntegra do despacho de Cezar Peluso.

Procurado pela Agência Brasil, o advogado Eduardo Imbiriba informou que a equipe de defesa de Bida ainda não traçou nova estratégia para o réu. Ele declarou que a defesa está preparada para o júri, mas não confirmou a presença no julgamento marcado para segunda-feira.

Da Ag. Brasil

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.