Schulz projeta crescer acima do mercado

A transformação de projetos aprovados no ano passado em pedidos de encomendas neste terá repercussão no incremento de receita esperado pela divisão automotiva da Schulz. A estimativa é de aumento superior às projeções de 30% do mercado de veículos pesados, principal segmento de atuação da empresa de fundidos de Joinville, SC. As expectativas de crescimento também implicam a manutenção das operações do Finame e do Procaminhoneiro para financiar a compra de caminhões novos e usados, implementos rodoviários e ônibus.

De acordo com o diretor de operações Bruno Salmeron a empresa conquistou cinco novos clientes no ano passado, dentre eles as fábricas da Jost nos Estados Unidos e Alemanha.

Ele disse que o número de novos projetos aprovados no ano passado ficou acima da média histórica da empresa, o que lhe permite estimar ampliação de uso da capacidade instalada para 80% ante 60% de 2009.

Em 2009 a Schulz aplicou R$ 31,4 milhões em investimento, aí incluídos R$ 8,5 milhões na aquisição da Somar, empresa que atua no segmento de bombas hidráulicas. Os valores foram direcionados para compra de ferramentais para novos produtos e de máquinas importadas e na recuperação de outras. Mais de 50% destinaram-se à divisão automotiva: “Concluímos plano de expansão da capacidade de produção, o que nos dá condições de atender plenamente esta demanda acional”.

A divisão automotiva ganhará mais duzentos trabalhadores durante o ano que se juntarão aos atuais 1,4 mil: “Preservar os talentos num ano de crise foi uma das principais medidas acertadas da empresa”.

A crise levou à demissão de cerca de 20% do quadro total, que fechou 2009 com 1 mil 697 funcionários.

As vendas externas, que caíram 70% em 2009, deverão ter leve recuperação no segundo semestre deste ano, acredita Salmeron.

A Schulz encerrou 2009 com receita operacional bruta de R$ 478,5 milhões, a maior parte gerada pela divisão automotiva, queda de 22,1% na comparação com os R$ 614 milhões obtidos em 2008. Por meio de ações de redução de custos e ganhos financeiros a Schulz alcançou lucro líquido de R$ 35,2 milhões, revertendo o resultado negativo de R$ 13,1 milhões do ano anterior.

Fonte: Autodata

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.