Serra vai mal: PM prende professores em evento

Uma semana após um grupo de professores em greve hostilizarem o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), a Polícia Militar prendeu três manifestantes nesta quarta-feira, 24, durante evento na cidade de Francisco Morato. A PM usou gás de pimenta, cassetetes e escudos para evitar que os cerca de 30 professores ligados à Apeoesp se aproximassem do tucano.

Quarenta policiais militares da Força Tática tentaram impedir que os manifestantes usassem apitos e gritassem palavras de ordem próximos ao palanque onde Serra estava – o governador participava da inauguração de um hospital. Parte dos professores do Estado de São Paulo estão em greve desde o início para pedir reajuste salarial.

“A gente veio preparado. Na semana passada, tentaram jogar uma pedra no governador”, disse o comandante do 23º Batalhão da PM, José Carlos de Campos Junior. Questionado sobre um dos policiais que, durante o tumulto, disse que iria “descer a porrada”, o PM respondeu: “Vocês imaginam como são momentos de calor”. “Às vezes, se perde a cabeça, mas não existe isso de baixar a porrada”. Segundo o policial, os manifestantes foram detidos por desobediência e desacato.

Da CNM/CUT

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.