Busscar em crise novamente

Quem leu hoje o jornal A Notícia de Joinville (SC) na coluna de Claudio Loetz conheceu mais um capítulo do caso Busscar, empresa fabricante de carrocerias para ônibus com sede na cidade e que disputou a liderança do mercado nacional com a Marco Polo duriante anos. A crise financeira que quase quebrou a empresa em 2003, voltou agora e talvez com mais força. A produção está praticamente parada por falta de capital de giro. A direção da empresa luta por mais um aporte de recursos do BNDES no valor entre R$ 25 e 40 milhões.

O presidente do Sindicato dos Mecânicos, João Bruggmann, entidade que foi fundamental para que o acordo com o BNDES naquele 2003 fosse possível – afinal o sindicato foi um fiador – se manifesta na nota de Loetz pedindo a abertura de capital da empresa, com a profissionalização da gestão. Segundo Bruggmann, a empresa é viável, os trabalhadores são dedicados e com conhecimento tecnológico diferenciado, mas falta mais transparência da real situação da empresa, e a decisão da família entregar o comando para um conselho de administração ou algo do gênero.

A Busscar infelizmente se fecha à imprensa e sociedade em geral sobre seus problemas, mas quer dinheiro público, novamente, para se salvar. Essa postura de virar as costas, evitar a imprensa, não ajuda nem um pouco as coisas. E demonstra que o Sindicato tem razão ao cobrar transparência. Afinal, colocar mais dinheiro público em negócio privado sem qualquer prestação de contas é realmente delicado. E se a postura da empresa assim continuar, provavelmente as coisas só vão piorar. E as milhares de famílias dos trabalhadores não merece esse fim da empresa. E onde fica o dinheiro público de todos os brasileiros nessa hora? 

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Um comentário em “Busscar em crise novamente”

  1. tá certo meu guru….. transparencia é tudo….quer dinheiro público??? é preciso tornar público…abraços..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.