A poesia no Blog com Vinícius de Moraes – “A felicidade”

Essa poesia de Vinícius virou música, sambinha do bom, cantada por muitos da MPB. No ano quem que faria 100 anos, o Blog Palavra Livre vai publicar muitas produções do nosso poeta, começando por “A felicidade”, confiram, curtam:

“Tristeza não tem fim
Felicidade sim

A felicidade é como a pluma
Que o vento vai levando pelo ar
Voa tão leve
Mas tem a vida breve
Precisa que haja vento sem parar

A felicidade do pobre parece
A grande ilusão do carnaval
A gente trabalha o ano inteiro
Por um momento de sonho
Pra fazer a fantasia
De rei ou de pirata ou jardineira
Pra tudo se acabar na quarta-feira

Tristeza não tem fim
Felicidade sim

A felicidade é como a gota
De orvalho numa pétala de flor
Brilha tranqüila
Depois de leve oscila
E cai como uma lágrima de amor

A felicidade é uma coisa boa
E tão delicada também
Tem flores e amores
De todas as cores
Tem ninhos de passarinhos
Tudo de bom ela tem
E é por ela ser assim tão delicada
Que eu trato dela sempre muito bem

Tristeza não tem fim
Felicidade sim

A minha felicidade está sonhando
Nos olhos da minha namorada
É como esta noite, passando, passando
Em busca da madrugada
Falem baixo, por favor
Pra que ela acorde alegre com o dia
Oferecendo beijos de amor”

A poesia no Blog com Vinicius de Moraes – “Tomara”

Do grande Vinicius de Moraes tomo pedaço de sua obra para os leitores do Blog. Tomara que você tenha uma ótima sexta, tomara que tenhas um ótimo final de semana, tomara que tudo se realize com muita paz, saúde, tomara que tudo dê certo para vocês! Com vocês a poesia de um dos nossos grandes poetas:

Tomara

Que a tristeza te convença
Que a saudade não compensa
E que a ausência não dá paz
E o verdadeiro amor de quem se ama
Tece a mesma antiga trama
Que não se desfaz

E a coisa mais divina
Que há no mundo
É viver cada segundo
Como nunca mais…”

A poesia do dia com Vinícius de Moraes – “Soneto do Amigo”

Para fechar o dia aqui no Palavra Livre, segue uma belíssima poesia de Vinícius de Moraes, grande poeta brasileiro, e que fala da amizade. Confiram no talento de Vinícius a importância dos amigos.

“Soneto do Amigo

Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo
Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.

É bom sentá-lo novamente ao lado
Com olhos que contêm o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.

Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.

O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica…”

Poesia do dia: Soneto a quatro mãos de Vinicius de Moraes e Paulo Mendes Campos

Meus filhos, meus amores
Meus filhos, meus amores
Publico essa poesia de dois grandes nomes da literatura, poetas brasileiros que em cada linha desmancham um mundo de emoções. Ao ler esse Soneto a quatro mãos, lembrei de meus filhos e da aventura dura por que estamos passando, que me deixa de coração apertado, mas que com a presença de Deus, vamos superar. Com vocês o melhor da poesia brasileira:

“Tudo de amor que existe em mim foi dado
Tudo que fala em mim de amor foi dito
Do nada em mim o amor fez o infinito
Que por muito tornou-me escravizado.

Tão pródigo de amor fiquei coitado
Tão fácil para amar fiquei proscrito
Cada voto que fiz ergueu-se em grito
Contra o meu próprio dar demasiado.

Tenho dado de amor mais que coubesse
Nesse meu pobre coração humano
Desse eterno amor meu antes não desse.

Pois se por tanto dar me fiz engano
Melhor fora que desse e recebesse
Para viver da vida o amor sem dano”.

Vinicius de Moraes / Paulo Mendes Campos