Selo de Qualidade para restaurantes em Floripa

A gastronomia é um dos pontos fortes de qualquer cidade turística no mundo, e um indicador importante para a qualificação que o turista dá à cidade, região, estado ou país quando o visita, ou a visita. Florianópolis busca qualificar o setor da gastronomia agora instituindo um selo de qualidade para a procedência e preparo dos pescados.

A Secretaria de Turismo, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico iniciou uma campanha para incentivar o registro de restaurantes no Serviço de Inspeção Municipal (SIM). Equipes da prefeitura, em parceria com a Vigilância Sanitária vão visitar estabelecimentos e conscientizar sobre a importância do registro.

O selo do serviço atesta a qualidade e procedência dos pescados e garante que o beneficiamento (higiene, acondicionamento, embalagem e rotulagem) dos alimentos seguiu uma série de boas práticas. Pescadores que fornecem pescados para restaurantes e que realizam esse processo antes da venda, são obrigados por lei, a apresentarem o registro no SIM.

Os restaurantes que optam por serem os responsáveis por esse beneficiamento também são obrigados por lei, a apresentar o selo.

Com a campanha “Diga SIM ao SIM”, a Prefeitura de Florianópolis quer educar os restaurantes sobre a importância da garantia da procedência dos pescados.

“Essas ações visam garantir que os alimentos não apresentem riscos à saúde da população e que tenham sua procedência e qualidade garantida. ”, explica o superintendente de Pesca, Maricultura e Agricultura, Adriano Weickert.

De acordo com a lei 555/2016 e decreto 18.185/2017 que regulamenta a legislação em Florianópolis, os restaurantes devem comprovar procedência da matéria-prima dos alimentos comercializados no local. Se encontrado em situação irregular, o estabelecimento pode receber intimação ou auto de infração da vigilância sanitária e passa a responder processo administrativo.

Sem dúvidas é uma medida acertada, mas que precisa da adesão tanto de quem pesca e vende, quanto de quem compra e prepara os pescados para o consumidor final. Outra atitude que a Prefeitura da Capital precisa tomar e com grande urgência é a qualificação dos trabalhadores no setor de turismo como um todo. Na média, o atendimento deixa a desejar por diversos fatores.

Festa das Flores 2012: Desfile alegórico resgata antiga tradição

Entre as surpresas programadas para a 74ª Festa das Flores de Joinville, o Desfile Alegórico promete ser uma das principais atrações. A parada acontecerá no final de semana que antecede a Festa, no domingo (11/11), a partir das 9h30 e percorrerá toda a extensão da rua Rio Branco, no Centro da cidade. Seguindo o tema da Festa das Flores deste ano – “O Espetáculo dos Jardins” – e a linguagem utilizada – “O circo” – o Desfile Alegórico promete encantar o público com muitas cores, dança, música e animação.

Além de toda a beleza visual, o Desfile Alegórico traz como foco o resgate das tradições e a valorização da cultura de Joinville. “O espetáculo das Flores e a magia do circo apresentarão, de forma especial, os principais grupos e elementos culturais da nossa cidade, com a participação de representantes de diversas sociedades, instituições, entidades e etnias”, afirma a presidente da Fundação Turística de Joinville, Maria Ivonete Peixer da Silva.

Ao todo, serão mais de 40 instituições participantes do Desfile, entre elas alunos e professores das escolas municipais; fanfarras; banda do Exército; representantes dos clubes e sociedades de Joinville; Veteran Car e Clube dos Jipeiros; ciclistas; rede feminina de combate ao câncer; atuais Rainha e Princesas da Festa das Flores, além das candidatas a majestade da 74ª edição do evento; desfile das ex-Rainhas; apicultores e agricultores; grupos da melhor idade; representantes da AJAO (Associação Joinvilense dos Amadores de Orquídeas); além de carros alegóricos elaborados com produtos recicláveis e decoração de grande beleza e colorido.

Além de encantar o público, o Desfile Alegórico tem o objetivo de promover o turismo de Joinville. E Maria Ivonete justifica: “Pesquisas realizadas mostram que o setor de turismo vem registrando crescente presença de público na cidade, durante o período da Festa das Flores. Por isso, é fundamental tornarmos o evento cada vez mais atrativo para públicos de todos os estilos e idades. E estamos retomando o Desfile Alegórico em grande estilo, com o objetivo de que ele se incorpore definitivamente à programação da Festa das Flores”.

À frente da organização e produção do Desfile Alegórico está Marcio Paloschi, estilista e figurinista que já assinou importantes trabalhos do Carnaval das capitais do Rio de Janeiro e São Paulo. Para Joinville, Paloschi promete um show com muita história, beleza e animação: “A cidade vai reviver a alegria dos desfiles. Teremos muitas flores, balões, cores, performances, personagens da cultura da cidade, da história do circo. Vamos resgatar o passado, valorizar a sua história e semear o nosso futuro”.

Realização e patrocínio

A Festa das Flores de Joinville é realizada pela Fundação Turística de Joinville e pela AJAO (Agremiação Joinvilense dos Amadores de Orquídeas) e tem o patrocínio do Sindec (Sistema Municipal de Desenvolvimento à Cultura); Fundação Cultural de Joinville; Funturismo (Governo do Estado de Santa Catarina); Bradesco; TAM Linhas Aéreas e TAM Viagens; e Governo Federal (Eletrosul, Ministério do Turismo e Ministério da Cultura por meio da Lei Rouanet).

Serviço:

74ª Festa das Flores de Joinville

13 a 18 de novembro de 2012

Complexo Expoville

Joinville – SC

www.festadasflores.com.br

Rua das Palmeiras será recuperada, obras iniciam na próxima segunda-feira (5/3)

Rua das Palmeiras deve ter é cafés, pontos de cultura, envolvimento e atividades para a população e turistas

A rua das Palmeiras, no Centro de Joinville, vai ser repaginada. A alameda, que nos últimos tempos tornou-se um conhecido ponto de consumo e venda de drogas, passará por uma reestruturação. A intenção é preservar esse patrimônio histórico da cidade, explorar o potencial turístico e incentivar atividades empreendedoras na região que um dia já foi considerada área nobre da cidade e hoje tem diversos imóveis abandonados. Para isso, o projeto prevê que a rua volte a ter o traçado semelhante ao original, com a reabertura da ala central, onde será implantado um grande passeio, com bancos e painéis com fotos antigas e textos sobre a história da rua, datada do fim do século 19, quando era conhecida como alameda Brüstlein.

As obras devem começar na segunda-feira, com a substituições da atual tubulação, que é antiga e está obstruída, por um novo sistema de drenagem. Os procedimentos serão realizados pelas equipes da Secretaria Regional do Centro e monitorados por uma equipe de arqueologia, que vai acompanhar toda a obra. Ainda não se sabe o que será encontrado durante essa intervenção, mas a expectativa é achar vestígios do período colonial que futuramente farão parte de um acervo a ser exposto na própria via, que será musealizada e integrada ao Museu Nacional de Imigração e Colonização.

O projeto prevê, além da abertura do passeio central da rua do Príncipe até a entrada do museu, na rua Rio Branco, a implantação de uma faixa de pedestres elevada em frente ao museu. “Assim, a preferência será dos pedestres, e os visitantes do museu poderão fazer uma visita guiada também pela rua das Palmeiras”, ressalta o coordenador de patrimônio cultural, Raul Walter da Luz.

As calçadas foram projetadas levando em consideração questões de acessibilidade, e neste sentido, o Museu Nacional de Imigração e Colonização também vai passar por modificações. “A brita será substituída por pó de pedra, e também já encaminhamos um projeto para a implantação de um elevador, para facilitar o acesso de pessoas com deficiência e idosos”, diz a coordenadora do museu, Judith Steinbach.

O projeto foi desenvolvido pela Fundação Cultural de Joinville, em parceria com Ippuj, Seinfra, Conurb e Secretaria Regional do Centro. “O investimento previsto é de R$ 417.530,63, mas esta é uma estimativa e o valor não contempla os gastos com a iluminação, que será reforçada”, afirma o diretor executivo da Conurb, Renato Godinho.

Matéria do AN On line