Udesc: estudantes participam de competição nacional essa semana

Alunos da Udesc Joinville passaram o final de semana finalizando os últimos ajustes e realizando os testes no carro, fabricado na própria universidade para a final nacional da10ª edição do Baja SAE Brasil.

Na etapa classificatória, em novembro de 2012, no Rio Grande do Sul, os estudantes joinvilenses garantiram o segundo lugar na competição, além do primeiro lugar na prova de suspensão e tração, e terceiro lugar no enduro de resistência. Os alunos competiram com outras 22 equipes de 20 instituições de ensino do sul do país.

Para a final que ocorrerá entre os dias 14 e 17 de março, em Piracicaba (SP), o carro teve poucas alterações em relação ao que participou da etapa Sul, as principais mudanças foram no sistema de acionamento do freio, e pequenas modificações que resultaram em redução de massa, além de uma total reformulação na parte estética do veículo.

Atualmente, cerca de 22 alunos do curso de engenharia mecânica fazem parte da equipe, além de alunos de engenharia elétrica, que atualmente são responsáveis pela parte elétrica e eletrônica do carro, uma parceria muito importante e que promete ótimos resultados.

Os alunos partem do campus da Udesc na quarta-feira pela manhã. “Nos temos uma boa expectativa para esta competição, em vista do ótimo resultado obtido na etapa sul, considerando que havia sido a primeira participação do até então novo carro em competições”, afirma o estudante, Gabriel Presotto.

Deputado critica descaso com escolas estaduais em SC

Em pleno início do ano letivo, centenas de estudantes da rede pública de ensino estão sem aulas em vários municípios catarinenses por que as escolas estaduais passam por reformas. “Somente em Joinville, a situação afeta cerca de 1,5 mil estudantes de seis instituições”, critica o deputado Dirceu Dresch (PT).

Em Joinville, na semana passada, os pais decidiram fazer protestos para cobrar providências da Secretaria de Desenvolvimento Regional e do governo do estado. “Deixaram para fazer no início do ano letivo obras que deveriam ter sido feitas no início do ano passado. É muita incompetência”, frisa Dresch.

Ele também citou exemplos de escolas estaduais em outros municípios. Em Jaraguá do Sul, o governo do Estado deu início ao fechamento do Colégio Estadual Alberto Bauer, prejudicando centenas de jovens do ensino médio e causando a revolta dos moradores, os quais acionaram o Ministério Público Estadual.

Em Barra Velha, a escola estadual David Pedro Espíndola foi interditada pela Defesa Civil e os alunos precisaram ser remanejados para salas improvisadas na Apae e para  outras unidades de ensino. Em Schroeder, a comunidade denuncia que a escola estadual Miguel Couto também está sendo fechada e o número de vagas foi reduzido drasticamente, obrigando os alunos a buscarem matrícula em escolas dos municípios vizinhos, já que é a única unidade de ensino público estadual na cidade.

Na opinião do deputado Dirceu Dresch, o governo deveria reduzir os gastos com as secretarias regionais e, em contrapartida, qualificar a educação, principalmente dos jovens, no momento em que Santa Catarina recebe novas empresas.

“Até agora não se sabe para que servem as SDR. Os prefeitos vêm à administração central para tratar dos problemas. Enquanto isso, o governo gasta R$ 530 milhões por ano para manter as estruturas regionais e as escolas estaduais estão sendo interditadas por representar  risco à vida dos estudantes. É um total absurdo.”

Ao falar desse assunto na tribuna da Assembleia Legislativa, o deputado recebeu apoio inclusive de deputados da base governista, como o deputado Nilson Gonçalves (PSDB).