Outubro Rosa – Exames de mamografia crescem 37% em seis anos

palavralivre-mamografiaO número de mamografias no Brasil cresceu 37% entre os primeiros semestres de 2010 e 2016. O volume de exames feitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) passou de 1,6 milhão para 2,2 milhões no período. Na faixa etária de 50 a 69 anos, considerada prioritária, o alcance foi ainda maior (64%), saindo de 854 mil para 1,4 milhão de mamografias.

Na comparação com anos fechados, o aumento foi de 36% entre 2010 (3 milhões) e 2015 (4,1 milhões). Já as mamografias realizadas na faixa etária prioritária aumentaram 61% entre 2010 (1,5 milhão) e 2015 (2,5 milhões). O rastreamento é uma estratégia de detecção precoce utilizada em políticas públicas para populações-alvo específicas a fim de reduzir a mortalidade por uma determinada doença.

O Instituto Nacional de Câncer (Inca) estima 57 mil casos novos de câncer de mama em 2016. O SUS garante a oferta gratuita de exame de mamografia para as mulheres brasileiras em todas as faixas etárias, desde que exista recomendação médica.

Prioridade
A faixa dos 50 aos 69 anos é definida como público prioritário para a realização do exame preventivo, pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A orientação é seguida pelo Ministério da Saúde, baseada em estudos que comprovam maior incidência da doença e maior eficiência do exame.

Para tratar o câncer de mama, o SUS oferece cirurgias oncológicas (mastectomia, conservadoras e reconstrução mamária), radioterapia e quimioterapia. Em 2015, foram 18.537 mastectomias e cirurgias conservadoras, 2,9 milhões de procedimentos de radioterapia e 1,4 milhão de sessões de quimioterapia, além de 3.054 cirurgias de reconstrução mamária.

Dessa forma, o Ministério da Saúde tem garantido investimento crescente na assistência ao câncer de mama, com ampliação de 31% dos recursos nos últimos cinco anos, totalizando R$ 599 milhões em 2015. A prevenção da doença também teve um aumento de 15% no mesmo período, passando de R$ 195,3 milhões para R$ 224,7 milhões.

Campanha
Para alertar as mulheres e desconstruir os mitos associados ao câncer de mama, o Ministério da Saúde e o Inca lançaram um hotsite específico da campanha. A ideia é informar e conscientizar sobre a doença e proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento para a redução da mortalidade.

A campanha “Câncer de mama: vamos falar sobre isso?” tem como um dos objetivos enfatizar a importância de a mulher ficar atenta a alterações suspeitas nas mamas.

Os principais sinais e sintomas do câncer de mama são: caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente, indolor; pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja; alterações no bico do peito (mamilo); pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço ou saída espontânea de líquido dos mamilos.

Com informações do Portal Saúde

Mulheres: unidades de saúde incentivam exames preventivos contra o câncer

A Secretaria Municipal de Saúde já iniciou as atividades voltadas à promoção e prevenção da saúde feminina, em alusão às comemorações ao Dia Internacional da Mulher (8/3). Todas as unidades de saúde estão incentivando e captando, principalmente, as mulheres que não realizaram o exame de coleta de preventivo de colo uterino e a mamografia, nos últimos 12 meses.

“Há mulheres que ainda não estão cientes da importância desses exames. Identificamos 198 mulheres com lesões no colo de útero por meio dos exames preventivos realizados no ano passado”, revela a enfermeira responsável pelo Programa Saúde da Mulher, Silvia Leão Betat. Ela explica que, quando identificada uma lesão no colo de útero, a paciente é encaminhada para a biópsia, que pode confirmar o resultado negativo. “Algumas dessas lesões se tratavam de um tumor ou até de câncer”, destaca a enfermeira. Em 2012, a secretaria da Saúde realizou 31.183 exames de colo de útero nos postos de saúde.

Já a oferta de mamografias, exclusivo para mulheres a partir de 40 anos, alcançou a quantidade de 17.284 no ano passado. Os exames que resultaram em alteração somaram 168. “Os exames complementam a apalpação nos seios, que a mulher pode fazer em casa, às vezes, para identificar nódulos ou alterações que possam se confirmar tumores”, afirma. O câncer de mama vitimou 20 mulheres enquanto o câncer de colo do útero vitimou outras 13 no município, no ano passado.

Além dos exames preventivos, algumas unidades de saúde já começaram a oferecer um dia dedicado à mulher com atividades físicas, palestras, rodas de conversa, estandes de orientação ao cuidado da saúde feminina, exames de saúde bucal, sorteio de brindes e Dia da Beleza, com a parceria da comunidade e de instituições. Confira o cronograma acessando aqui:.

Da Prefeitura de Joinville